Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Boémio Domado

Segunda-feira, 27.04.09

 Em mil sussurros de um desejo intenso

abraço-te

Sinto contra o meu

o teu corpo leve e suave que treme

E muitas vezes me entristeço nas carícias

pensando o quanto iria doer um adeus

Sem armas , sem estratégia

eu te invado

numa terra de nós dois

em que já não existem fronteiras

sem medo, sem agressão percorro em ti

os atalhos conhecidos de um campo de prazer

sou o ténue suspiro da tua boca

E sou prisioneiro do abraço

em que envolves o meu corpo

Não quero mais saber de traições

de boémias

de outros corpos em meus braços

se em casa contigo

tenho tudo o que procuro

e me completa

E se junto com todo o prazer

que só tu me sabes dar

me dás também a alegria única de me sentir teu

e sentir-me amado

de te ter

e de te pertencer

Sou tantas vezes o teu menino

e sou também o teu homem

mas no calor do teu corpo

eu esqueço a minha idade

e nos teus seios

sou menino que brinca

e homem que devora

deitado na nossa cama

sou leão selvagem

inebriado no cheiro da tua carne

E de manhã acordo no seio da tua nudez

querendo que o meu corpo de novo

anoiteça no teu

para afogar no lago do teu corpo

este desejo

para pintar em aguarelas de suor

a tela do meu desejo

ao sair da cama o longo beijo

que não é despedida

porque sempre estou junto a ti

e esperamos que a noite regresse

lentamente

e sem me dar conta , eu já me despedi

despedi de tudo e de todos

para anoitecer em teus braços

que me acarinham sem cansar

e no teu amor os meus sentidos entregam-se

e sou de novo menino a brincar

e homem a querer e a amar...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 21:44

O livro da minha Vida

Segunda-feira, 27.04.09

 

E eis que de repente agarras as folhas

largadas a esmo

do livro da minha vida

Manipulas , catalogas , arquivas e ordenas

cada uma das páginas escritas

largadas ao acaso

na total desarrumação que me rege

Pegas nas folhas que falam de vida

e colocas junto às que falam de amor

fazes das páginas largadas ao acaso

um livro perfeito e belo de ler.

Pegas naquilo que de mim ficou espalhado

e juntas

juntas com o teu jeito suave

de quem sabe arrumar

aquilo que eu espalho de mim

Já não há mais palavras minhas , perdidas no vento

já não há mais frases minhas

ocultas no pó da saudade

já não há risos meus

congelados no frio da solidão.

Entraste e arrumaste a desorganização dos sentidos

colocaste ordem na mistura que fiz de mim mesmo

na confusão de dizer e sentir

em que me perdia.

Alinhaste simetricamente os momentos

sei onde encontrar agora

o riso , o abraço , a coragem , o destemor.

Ordenas os sentimentos , a vida , o caminhar

e eu entrego-me a ti

tão carente dessa ordem suave que colocas em mim

tão ávido de me sentir "arrumado"

de não me sentir perdido

nas gavetas da vida.

E eis que surges em mim

qual luz de uma lua de amor

e iluminas as trevas de um gélido coração

alimentas os restos moribundos de uma esperança que morria.

E estás aqui

reges as minhas emoções

com a mesma sabedoria com que um maestro rege a sua orquestra.

Sem atropelar uma única nota

unificando-as e harmonizando-as

para que se faça a mais bela e a mais perfeita melodia.

E tu estas aqui

ajudando-me a reescrever o livro da minha vida

a encontrar as perdidas emoções

nas prateleiras empoeiradas de um passado triste.

És tu a chave do meu coração

a depositária e guardiã do livro da minha vida

a companheira que me segura a mão

desde tempos imemoriais

que tanta vez respirou

na tentativa de que o ar

entrasse nos meus pulmões e me fizesse viver.

Muitas vezes é o teu coração que bombeia o meu sangue

são os teus pulmões que respiram o ar que me mantém vivo

são tuas as pernas com que caminho

e tua é a força que me mantém aqui.

Já vi em teu rosto torrentes de lágrimas

vi-te sofrer a minha dor

vi-te questionar o porquê de tudo

mas nunca te vi desistir

não és navio que levante a ancora e fuja da tempestade

és navio que junto comigo

atravessa o oceano repleto de furacões

e encontra a rota certa que me não deixa naufragar.

És a estrela que ilumina a minha noite

és o sol que beija a minha pele

és a chuva cálida que despenteia e molha o meu cabelo.

És a tarde que me abraça num aconchego doce

e a noite que sofregamente me acolhe em seu leito

és o caminho que devo percorrer

és o sentido que me faz querer...

és o mar de tentação em que afogo o desejo

és flor que afago em gemidos de gozo

és mulher , és guarida

és ponto de chegada , noite e madrugada

és o principio de tudo

o meu futuro tão esperado

que se faz presente

no teu folhear paciente

de um livro quase abandonado!! 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 07:34

Em Memória do Poeta Tomaz Jorge

Domingo, 26.04.09

 Morreu o Poeta Tomaz Jorge, um amigo pessoal , mas um grande vulto das letras também. Morreu um Poeta e pouco mais há a dizer.

Não me apetece tecer considerações banais, daquelas que sempre se fazem nestas ocasiões.

Sinto muito a morte do poeta , e sinto igualmente a perda do amigo.

Para manter vivo um poeta que partiu , nada melhor que relembrar aqui a sua obra.

Transcrevo aqui um dos poemas mais conhecidos do Poeta Tomaz Jorge.

 

GAJAJA

Fruto pálido, empaludado…
Cereja dos trópicos
de cor desmaiada.
Luanda:
- onde estão as tuas gajajeiras
que a troco dos seus frutos
pedradas eu lançava,
pedradas que magoavam
- pedradas de criança!
Por certo que foram destroçadas,
sepultadas
em teus alicerces
da Brito Godins
e de todas as Ingombotas,
tal como os frondosos cajueiros.
Vi hoje uma gajajeira já quase morta.
Havia pedras a seu lado,
areia e cimento
e um buraco longo, rodopiando,
fazendo quadrados,
rectângulos, quadrados…
Se a minha fortuna não fosse feita de sonhos,
compraria aquele terreno.
A copa da gajajeira
seria o meu chapéu,
a umbela dos dias quentes
e das noites de luar e de cacimbo.
Luanda:
- onde é que estão as nossas gajajeiras?
Essas gajajeiras que me davam
as gajajas da minha infância
os frutos da minha vadiagem!
Eu atirei pedradas!
Mas tu, Luanda,
o que fizeste delas?

 

Gostaria que no fundo de cada coração se mantivesse a voz de cada poeta que parte.

Para o Poeta Tomaz Jorge um eterno abraço de Saudade e até um dia destes...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 18:36

Amar-te

Sábado, 25.04.09

 

Sei que é difícil encontrar

o verdadeiro amor

É muito mais difícil ainda conquistá-lo

mantê-lo sempre vivo

mas é impossível de se esquecer

quando nos foi dado vivê-lo

Mas o amor verdadeiro tudo vence

em tudo crê

e tem uma luz que só nele cresce

O amor verdadeiro nunca morre

Amar é olhar dentro da própria alma

e encontrar o outro

é ver sempre um sorriso

e viver intensamente

saboreando cada minuto que passa

É abraçar o mundo num instante eterno

e sentir que somos gigantes

reis e governantes

de um mundo só nosso

Amar é ter a quem nos dar

amar é sentir uma alegria tão grande

que nos aproxima de Deus

porque só de Deus nos vem a capacidade de amar

Amor

Amor de verdade

é o que eu sinto por ti.. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 16:58

Amar de verdade

Quinta-feira, 23.04.09

 

A primeira forma de saber que amamos alguém de verdade

é quando algo corre mal.

Não podemos ter a certeza

quando tudo ainda corre bem

quando nunca houve uma desavença.

Amar quando está tudo bem é muito fácil.

É muito fácil dizer que amamos

quando tudo é sorrisos

quando nada nos magoa.

Mas o verdadeiro amor só se testa

quando algo nos fere profundamente.

Não quero com isto dizer

que só amamos de verdade

quando existem problemas

não é verdade , mas ...

Mas é quando a dor nos procura

quando a pessoa que amamos nos magoa

ou nos decepciona

que avaliamos o quanto a amamos.

Porque o amor de verdade não morre com a dor.

Não se rende a problemas

a desencantos ou decepções

Porque se isso acontecesse , não seria amor.

O amor não é um sentimento frágil.

Sabemos que amamos na verdade alguém

quando desejamos mais a sua felicidade do que a nossa

mesmo que a felicidade do outro

represente a nossa dor.

Quem nunca desejou a felicidade de alguém

mais do que a sua

é porque na verdade nunca amou.

O amor tem um toque de Divino

semelhante à sabedoria e ao sentimento de Deus.

Também sabemos que amamos de verdade

quando o ser amado parte e o nosso coração se parte em mil fragmentos

e em cada um deles permanece o mesmo amor imutável e sincero.

É por amor que nos tornamos seres superiores

capazes de grandeza e altruismo.

Desejar a felicidade de quem nos feriu não é facil

é preciso ter muita coragem

e muito amor ...

É o resultado de uma luta interior

em que uma parte de nós

revolta-se

sente dor e raiva

e a outra parte

enche-se de uma ternura perene de lembranças

de momentos partilhados

de doçura.

É uma luta complicada entre sentimentos tão contraditórios.

Muitas vezes perguntamo-nos como podemos amar quem nos feriu.

Somos apenas humanos

cheios de pensamentos egoístas

em que o nosso "eu" se centra

como pedra base de tudo.

É necessário um amor imenso

para vencer o nosso "eu"

a nossa própria dor.

O amor é uma luz Divina

que ilumina as trevas da dor

que deixa a sua luz por onde passa.

Toda a pessoa que é capaz de amar

de querer bem a quem a magoou

de perdoar e continuar amando

é um ser abençoado com a luz de Deus.

E as pessoas assim

sempre farão o mundo feliz

os outros felizes

e desejo do fundo da minha alma

que a felicidade não caminhe a par com elas

mas de mãos dadas

e que a luz do amor puro as ilumine.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 23:11

Dia Internacional da Terra

Quarta-feira, 22.04.09

Hoje dia 22 de Abril comemora-se o dia Internacional da Terra.

Deste nosso planeta tão esquecido por nós.

A terra tem todas as condições para nos permitir viver com conforto e saúde.

Mas o homem quis dominar a terra,

não quis ser filho da terra mas sim Senhor dela,

e ao querer isso , quis igualar-se a Deus.

Mudou cursos de rios, destruiu florestas virgens , desbravou campos inexplorados.

O homem tinha espaço para si e para conviver em paz com o resto da criação,

mas quis dominar tudo.

Ser o dono e o Senhor de um mundo que era equilibrado

e desiquilibrou tudo.

Com o tempo tornou-se assassino de espécies animais

e transformou a terra num local mais árido

mais triste e com menos vida.

Gostaria que todos tomassemos consciência de que estamos a destruir o unico mundo onde poderemos sobreviver.

Não estamos a construir uma vida melhor

ao fazermos isso

estamos a criar uma situação ilusória de bem estár que é de curta duração

e tem um preço muito elevado.

Gostaria que a partir de hoje cada um de nós tomasse a seu cargo

reconstruir um pouco do que destruimos.

Se cada um de nós este fim de semana plantar uma árvore

soltar uma ave das que sobrevivem em liberdade

ou simplesmente reduzir ao minimo o seu consumo de energia electrica

estará a ajudar a nossa mãe terra a respirar

e a regenerar-se.

E estaremos a permitir que os nossos filhos possam viver

uma vida saudável e feliz

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 14:52

Ser jovem , não é do tempo

Terça-feira, 21.04.09

Somos jovens

Quando estamos disponíveis para os outros

e até para nós mesmos

Se formos capazes de fazer nascer sorrisos

de semear jardins de amor

 

Somos tão jovens quanto a nossa fraternidade

Tão velhos quanto o peso da nossa indiferença

Somos tão jovens quanto somos capazes de amar

Tão velhos quanto somos capazes de ferir

 

Somos jovens quando sabemos espalhar esperança

somos velhos quando semeamos a dor

Somos jovens quando o nosso coração tem fé

somos velhos quando navegamos num mar de cepticismo

 

Quando todas as veias do nosso coração

estiverem imersas no fel

e a sua luz natural

for encoberta pelas trevas  do desamor

e do gelo da mentira

Então seremos irreversivelmente velhos

E nada mais nos restará

se ainda nos sobrar um sopro de lucidez

que pedir a Deus

que tenha piedade de nossas almas

 

Não é o tempo que nos faz velhos ou novos

mas sim o que temos dentro de nós

há tantos idosos com a luz plena da bondade em seu rosto

que os torna infinitamente belos

e eternamente jovens

e há tantos jovens

que mostram no rosto a luz da mentira

e da indiferença

que os torna precocemente velhos

e implacavelmente feios...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 23:40

A Todos que nos dizemos Cristãos

Domingo, 19.04.09

A todos que nos dizemos Cristãos

quantas vezes para honrar o que dizemos ser

visitamos um bairro de extrema pobreza

Perdemos horas de sono

velando a dor de um doente que não seja da nossa família

Quando foi que nos aproximamos de um sem abrigo

e lhe estendemos a mão

Nós que enchemos a boca para falar de Jesus

quantas vezes o honramos

ajudando e amando os outros como ele pediu?

Há quanto tempo não damos mais que uma moeda a quem nos pede

ou damos um pãozinho que não nos apeteceu comer

Quantas vezes preferimos passar um cheque a uma instituição

esperando que ela faça caridade

e evitamos sujar os nossos sapatos

nas casas sujas

e sem condições de tantas famílias

Quantas vezes pegamos pela mão uma criança pobre

suja

e a limpamos

vamos com ela comprar uma roupa limpa

ou oferecemos uma refeição.

Há quanto tempo não rezamos aos pés da cama de um moribundo

Não rezamos com um detido na sua cela

não rezamos no quarto da criança que morre de cancro

não rezamos junto com a mãe

que não tem pão para o filho

não rezamos com o chefe de família desempregado

não rezamos com o casal que se desuniu

com os pais que perderam um filho

Isto porque preferimos rezar em igrejas

com pessoas bem vestidas

musica suave

a fazer da nossa fé

um acontecimento social

tão longe da verdade de Cristo

Porque será

que nós que nos dizemos cristãos

recorremos sempre a Deus quando precisamos

e sempre encontramos o seu amor

Mas quando ele precisa de nós

nunca estamos presentes

nunca temos tempo

nunca há um minuto para agradecer

para ouvir

ou para entender

Esquecemos que não poderemos encontrar o Pai

se nunca andamos pelos mesmos caminhos que ele percorre

Se somos incapazes de carregar a nossa cruz

sem reclamar do seu peso

e se somos incapazes de ajudar os outros

quando somos chamados a isso

Ser tudo isto

não é ser Cristão

frequentar a missa

levando a roupa nova para mostrar

isto não é ser Cristão

é brincar com a vontade de Deus

Por isso há algo que nunca deveremos esquecer

e que se adequa a essa forma de ser "Cristão"

Nos Sepulcros caiados de branco

que nos parecem imaculados por fora

mas estão sujos

e negros por dentro

nunca entrará luz

nesses haverá para sempre o choro inconsolável

e o ranger de dentes desesperado!!!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 20:17

DEVEMOS DAR...

Sábado, 18.04.09

 

Muitas pessoas declaram não ajudar os outros

porque não possuem dinheiro

e crêem que isso as liberta de qualquer compromisso em relação aos outros

Esquecem essas pessoas que podem sorrir a quem chora

fazer afagos num doente

dar carinho aos aflitos

Nem sempre se ajuda com dinheiro

As flores não têm conta bancária

e oferecem-nos a paz do seu aroma

O firmamento não faz chover moedas

mas oferece-nos luz e aconchego

Não se paga pela brisa suave que nos enxuga as lágrimas

nem pelo ar com que deleitamos os pulmões

Não tem preço o carinho do amigo

o abraço amoroso

O canto das aves que nos eleva o espírito

a água da fonte que nos sacia a sede

o aconchego das árvores

que nos ofertam sombra e frutos

Deus deu-nos muitas coisas que nenhum dinheiro pode pagar.

A benção do sono

que conduz o nosso espírito a um mar de paz

Sonhamos e em sonhos temos momentos de felicidade única, recriamos paraísos onde nos deleitamos

e nunca o Pai nos cobrou por tal benção.

O Pai deu-nos o sol que brilha

as estrelas que iluminam a noite

sem de nós nada exigir.

Porque não podemos aprender com ele essa forma tão bela de dar?

Todos podemos ser mais ternos

mais carinhosos e acessíveis.

Fechamos o coração ao próximo

refugiamo-nos no nosso egoísmo

e pensamos que nada devemos

porque falta o dinheiro , mas esquecemo-nos que bondade

não tem nada a ver com recursos materiais.

Podemos e devemos ser amigos

ser sinceramente companheiros

e carinhosamente irmãos.

A maior prova de amar é dar.

Devemos mostrar um rosto suave

e um sorriso calmo

a quem por nós passa.

Devemos estender os braços

a quem pede um carinho

acolher no coração

quem chora de desamparo

de dor ou de desespero.

Não devemos ficar tristes

se fizermos um gesto de amor

que não seja entendido ou retribuído.

Que seria de nós

se o Pai Divino

ficasse ofendido cada vez que nos amou

e lhe viramos as costas

cada vez que nos tentou guiar

e viramos o rosto

Cada vez que quis o melhor para nós

e não foi entendido.

Devemos dar-nos a nós mesmos

dar de nós aos outros.

Dar um sorriso

dar um abraço

dar um carinho

dar um alento

dar uma palavra

dar uma lágrima

mas dar

Muito acima do dinheiro que possamos dar

há um tesouro muito maior que devemos partilhar

que não temos desculpa para não entregar

O nosso coração.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 16:50

A Grandeza do Ser Humano

Quinta-feira, 16.04.09

Quando alguém não se sente importante aos olhos do mundo

Não tem que se desesperar

porque quase sempre é grande

perante o olhar de Deus

A grandeza do ser humano

não se mede por status

por influência

ou por riqueza

mede-se apenas pela capacidade de amar

Nem todos podemos ser Reis ou profetas

mas todos somos chamados pelo Pai Divino

para sermos Santos

A santidade não é andar em igrejas a toda a hora

não é assistir à missa por marcar presença

não é fingir viver de acordo com a vontade do Pai

A santidade é o grau de pureza de alma mais elevado

a que um ser humano pode chegar

basta para isso ter fé, amar o próximo e ter um coração puro

Não interessa o que o mundo pensa de cada um de nós

Devemos olhar a vida como um presente Divino

pleno de esperança , amor , alegria e fé

a vida é um desafio de Deus que devemos aceitar

porque a nossa grandeza

não está no que vêm em nós

mas no que conservamos oculto , dentro de nós mesmos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 23:19


Pág. 1/2





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  


Caetano veloso

(Para escutar clic no video)

NAO2c.jpg

Proibida a cópia e ou a reprodução deste Site, sem a prévia autorização do autor, por quaisquer meios ou processos existentes ou que venham a ser inventados, especialmente por programas de computador de acesso à Internet ou não, sistema gráfico, micro filmagens, fotográficos, videográficos; bem como a inclusão de qualquer parte desta obra em qualquer sistema de processamento de dados. Estas proibições aplicam-se também às características da obra e à sua edição. A violação dos direitos autorais é punível como crime, com pena de prisão e multa, além da possibilidade de busca e apreensão dos exemplares reproduzidos e apetrechos utilizados na reprodução.

Curriculum Vitae do Autor do Blog

Licenciado em Direito pela Universidade de Yale
Pós-graduação em Direito Criminal
Doutoramento em Medicina Forense

Estudos de História de Arte

Estudos de RPG aplicados ao ensino de técnicas teatrais

Escritor de Poesias e textos de reflexão

Com vários artigos de opinião publicados em revistas

Autor de alguns estudos de Mitologia

Membro da Maçonaria

Membro das Ordens Inglesas de Aperfeiçoamento Maçônico.

Cavaleiro Templário, membro do Preceptório Madras

Membro Honorário do Priorado

Iniciado em estudos sobre a Magia Celta em Stonehenge no ano de 1990

Membro da Antiga e Mística Ordem Rosacruz

Membro da Ordem Martinista

Membro do Colégio dos Magos

Conhecedor de, Kabbalah, Astrologia e Numerologia, formado pelas escolas mais tradicionais do ocidente.

Faixa-Preta (10º grau) de Kung Fu

Praticante de Karate

Praticante de capoeira

Professor de Chi-Kung Técnicas de kung Fu

Deu cursos e participou em projectos urbanísticos usando conhecimentos de Feng-Shui

Gestor de empresa


Mural do Sonhos



comentários recentes



subscrever feeds




Contador

free counter