Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A Fuga do Café

Quinta-feira, 10.01.13

Às  vezes acontecem-me coisas que ficam na memória e me trazem um certo sorriso aos olhos e à alma ...

Uma tarde comum , como todas as minhas tardes, saio do meu carro mesmo em frente ao edifício onde está o meu escritório . Uma tarde chata , cinza, pesada , em que as árvores despidas agitam os ramos nus sob uma ligeira brisa fria . Visto calças azuis , camisa castanha, uso no pescoço um cachecol de seda bege e sobre a camisa um casaco preto . Entro no edifício apressado , a aragem fria não convida a ficar na rua , na recepção a miúda que todos os dias está impecavelmente vestida , penteada e maquiada , cumprimenta-me e sorri como sempre . O cheiro do seu perfume é doce e intenso , aspiro-o deliciado , mas quase não a vejo . Ela está sempre ali , para mim é como uma certeza absoluta , ela está ali. Entro no elevador já perfumado por quem subiu antes de mim, olho para o espelho gigante que cobre uma parede do elevador, vejo divertido que o meu cabelo voltou a estar todo espetado . Esse sempre foi o terror da minha mãe , ela queria que o meu cabelo ficasse bem penteado, mas ele tem vontade própria e deixa-me com um ar rebelde que me diverte . O elevador pára, saio para o corredor bem aquecido , os meus passos não fazem ruído sobre a espessa carpete que se estende pelo chão . Das portas fechadas dos gabinetes chega-me o som de teclados , de toques de telefone , de conversas e de risos . Caminho até ao meu gabinete , abro a porta e uma onda de ar quente acolhe-me . Já me tinham ligado o ar condicionado, a minha música preferida tocava baixinho , sobre a minha mesa, as pastas alinhavam-se impecavelmente arrumadas . Olho em volta e apesar do calor ambiente , sinto frio . O gabinete é enorme , o chão de mármore branca faz lembrar a gélida neve . Uma das paredes está coberta por um espelho que a tapa completamente , olho-o e ele reflecte um homem despenteado , que parece entediado e cansado . Acendo o pesado lustre que fica ao centro do tecto, a luz intensa que se espalha parece aquecer o ambiente . Abro as pesadas cortinas de veludo que tapam uma imensa janela , mas não há sol algum para iluminar essa tarde . Torno a cerrar a cortina , prefiro o lustre que imita a luz do sol . Nem abro a varanda para ver as minhas plantas , sinto frio , quero ficar quieto . Uma ligeira pancada na porta tira-me desse marasmo , mando que entre .

O Paulo entra efusivamente na sala, dá-me o abraço apertado de todos os dias .

-Não te ouvi chegar ...

Rio-me .

Convido-o para um café quentinho , que aceita de imediato. Peço pelo telefone dois cafés com natas e canela, enquanto esperamos falamos de banalidades .

Conhecemo-nos tão bem , que nem precisamos falar para nos entendermos .

O café chega pela mão de uma funcionária extremamente bonita. Capto o olhar do Paulo sobre ela , vejo como ele olha atentamente cada gesto , cada traço e sorrio , ele capta o meu sorriso e cora , meio divertido , meio atrapalhado . Ela sai e bebemos o café tranquilamente , enquanto olhamos no jornal as cotações do dia .

Ele sai para o seu gabinete e torno a ficar só . Sinceramente não me apetece trabalhar , mas há coisas que são urgentes . Ligo o PC e aguardo que a net ligue também . Muito rapidamente tudo está operacional . Abro pastas necessárias ao trabalho e quase por impulso ligo o MSN . Sei que me vai distrair , mas não tento contrariar o impulso . Vou trabalhando e falando, sempre consegui essa proeza . Há conversas que de repente se tornam intimistas , que mexem com sentimentos . Trabalhar assim fica difícil , peço mais um café. Quando ele chega , tomo-o mesmo em frente ao PC . O meu olhar está absorto no monitor , sem querer o meu braço toca numa coluna de som e o café cai-me todo em cima . A primeira reacção é de irritação . O cachecol , a camisa e o casaco ficam cheios de café .Como é que uma chaveninha tão pequena pode conter café suficiente para sujar tanto . Sinto a camisa molhada no peito, ainda quente , mas sei que vai arrefecer . Ligo para a recepção e peço o motorista . Avisam-me que não está , que está na rua a trabalho . Deixo recado para que suba mal chegue . A camisa incomoda-me assim molhada , fico mais um pouco a conversar no MSN , o trabalho fica de lado . A conversa fica interessante , os meus sentidos prendem-se ali . Deixo de sentir o frio da camisa molhada , o meu pensamento voa para outras paragens . O tempo passa e nem me dou conta . De repente batem na porta , o motorista entra apressado e exclama :- Como o Senhor está!! Já está assim há muito tempo? Vamos já para casa para o senhor mudar de roupa .

O meu pensamento vagueia tão longe que mal me apercebo daquilo que é dito .

Ele coloca-me a gabardine sobre os ombros e gentilmente toca-me para que me levante e saia .

Digito rapidamente no PC : - Tenho que ir .

Do outro lado vem a resposta. - É tão cedo , porque foges?

Vejo que o motorista por trás de mim , lê aquilo que apareceu escrito e disfarça atrapalhado.

Desligo o PC e rio para mim mesmo . Parece de facto uma fuga , mas na verdade fujo da roupa fria e manchada de café .

Desço no elevador e olho no espelho a minha figura lamentável , com a roupa manchada .

Ainda no elevador visto a gabardine para que não se veja o estrago na roupa.

Ao sair a recepcionista olha-me e comenta: - Vai já sair Dr.? Está tudo bem ?

Sorrio-lhe e digo que sim . Saio e entro no carro que já me espera de porta aberta .

Coloco um CD de música clássica e fecho os olhos . O motorista respeita o meu silêncio e fica calado . Acho que adormeci e acordei com o ruído dos portões da quinta que se abrem . O carro entra e fecham-se de imediato . Saio do carro e sou acolhido em festa pelos meus cães. Entro no salão pelo jardim , a casa está calma , tranquila , a TV está ligada sem som , as minhas revistas e jornais estão arrumadas ao lado do sofá . Ninguém está em casa , a empregada deve ter ido às compras e ao longe ouço a voz familiar do marido dela a falar com os cães .

Vou para o banho e deixo que a água quente me aqueça e lave o cheiro a café .

Na minha cabeça ecoa ainda a frase : - Porque foges???

É mais uma tarde na minha vida...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:19





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  


Caetano veloso

(Para escutar clic no video)

NAO2c.jpg

Proibida a cópia e ou a reprodução deste Site, sem a prévia autorização do autor, por quaisquer meios ou processos existentes ou que venham a ser inventados, especialmente por programas de computador de acesso à Internet ou não, sistema gráfico, micro filmagens, fotográficos, videográficos; bem como a inclusão de qualquer parte desta obra em qualquer sistema de processamento de dados. Estas proibições aplicam-se também às características da obra e à sua edição. A violação dos direitos autorais é punível como crime, com pena de prisão e multa, além da possibilidade de busca e apreensão dos exemplares reproduzidos e apetrechos utilizados na reprodução.

Curriculum Vitae do Autor do Blog

Licenciado em Direito pela Universidade de Yale
Pós-graduação em Direito Criminal
Doutoramento em Medicina Forense

Estudos de História de Arte

Estudos de RPG aplicados ao ensino de técnicas teatrais

Escritor de Poesias e textos de reflexão

Com vários artigos de opinião publicados em revistas

Autor de alguns estudos de Mitologia

Membro da Maçonaria

Membro das Ordens Inglesas de Aperfeiçoamento Maçônico.

Cavaleiro Templário, membro do Preceptório Madras

Membro Honorário do Priorado

Iniciado em estudos sobre a Magia Celta em Stonehenge no ano de 1990

Membro da Antiga e Mística Ordem Rosacruz

Membro da Ordem Martinista

Membro do Colégio dos Magos

Conhecedor de, Kabbalah, Astrologia e Numerologia, formado pelas escolas mais tradicionais do ocidente.

Faixa-Preta (10º grau) de Kung Fu

Praticante de Karate

Praticante de capoeira

Professor de Chi-Kung Técnicas de kung Fu

Deu cursos e participou em projectos urbanísticos usando conhecimentos de Feng-Shui

Gestor de empresa


Mural do Sonhos



comentários recentes






Contador

free counter