Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Cliente improvável

Domingo, 15.09.13

Uma tarde, final de um dia de trabalho cansativo, fico com a impressão que o meu cérebro não tem capacidade para compreender mais nada , desligo o meu computador . Salvo com cuidado um trecho de um trabalho de ficção que encerra o melhor do meu dia, um trabalho a duo onde a minha alma se refugia , cansada de números e leis . Fecho os olhos , conheço bem a pressão que me aperta as têmporas , a necessidade premente de desligar daquele trabalho e sair . Sair para comer um gelado e sentir o sol morno daquela tarde , acariciar-me a pele . Fecho a pasta devagar , nessa hora todos os meus gestos são lentos , fastidiosos . Quando me preparo para sair da poltrona , ouço a voz da minha secretária e amiga de anos, amiga de sempre :- Tem uma cliente ainda , Dr.... , levanto o rosto cansado , não acredito , era a ultima coisa que esperava ou queria ouvir . Olho-a enquanto puxo e abro a agenda, leio " 15 e 30 reunião com cliente sobre contrato publicitário P... " e depois mais nada . Deve ser engano - murmuro cansado para ela - não tenho mais nada aqui . Eu sei - respondeu sorrindo - a senhora não marcou , mas parece urgente , muito urgente... Está bem - mande entrar - resignei-me . Voltei a ligar o PC , o gelado e o sol tinham que esperar . Antes de sair , Daniela murmurou com ar de provocação : - É muito bonita ... Esbocei um gesto de indiferença, estava exausto , a perspectiva de mais trabalho não me seduzia , ainda que a cliente fosse a Miss Universo . Reclinei-me na poltrona, liguei o telefone interno e pedi à Daniela que mandasse entrar a inoportuna cliente. Passados segundos ouvi pancadas discretas na porta , mandei que entrasse e olhei curioso a mulher na minha frente . Tinha longos cabelos castanhos , meio dourados e uns intensos olhos negros . Envergava um discreto vestido azul , elegante e sóbrio . A maquiagem era suave e tinha ao pescoço um igualmente discreto colar de ouro com um pingente de ametista . Calçava umas sandálias pretas de salto muito alto , talvez porque a sua estatura não fosse na verdade muito grande . Levantei-me para a receber , apertei-lhe a mão e mandei que lhe servissem um café . Sorriu e numa voz perfeitamente educada e aveludada pediu: - Para mim um Brandy se for possível . Estranhei , geralmente as senhoras não faziam tal pedido . Ainda assim pedi que trouxessem o Brandy . Reparei que pegou nervosa no copo que lhe estendiam e que bebia com pequenos goles . Iniciei a conversa , tinha que quebrar o aparente nervosismo dela.  Perguntei o que a trazia ali , fiz questão de realçar o facto de estar já no final do dia , enfim . Ela olhou para mim  com um ar divertido e examinador . Parecia um oficial a fazer inspecção às tropas . Eu vestia umas calças brancas e uma camisa de seda azul , tinha tirado a gravata que estava no bengaleiro juntamente com o meu casaco . Mantive o olhar dela , sem entender muito bem o que procurava com o olhar insistente . Principiei a sentir-me incomodado e irritado , estava exausto e sem paciência . Insisti - : Pode dizer-me por favor qual o motivo que a levou a procurar-me hoje? É que já é tarde ...

- Não tem calor , Dr?

A pergunta dela apanhou-me de surpresa . - Calor? Não , tenho o ar condicionado ligado como a senhora pode ver .

Ela levantou-se , o seu rosto estava estranho , entre o divertido e o decepcionado , talvez . De repente aproximou-se de mim , as mãos dela agarraram os botões da camisa e começou a abri-los . Afastei-a , aquilo era no mínimo absurdo .

- Que está a fazer? Aqui é o meu escritório , não admito a ninguém comportamentos deste tipo . Pelo que percebo não posso ajudá-la no seu problema , por isso , por favor queira sair.

Ela olhou-me divertida , o sorriso dançava-lhe nos lábios e na boca .

- Não tenho problema nenhum Dr. .

- Então porque veio aqui?

- Moro aqui em frente quase , e todos os dias o vejo entrar neste prédio . Sempre vem acompanhado de um homem , e nem olha quem o rodeia . Sai de tarde , presumo que para almoçar e volta duas horas depois e finalmente sai ao final da tarde . Nunc a lhe vi um sorriso , nem um gesto , e nem imagina como o observo . às vezes nem parece humano .

- Porquê?

- Não sei , interessou-me o seu ar ausente . Reparei nas pessoas bem vestidas que entram aqui , no ar das mulheres, como se fossem donas do mundo .

- E?

- E resolvi vir aqui . O meu mundo fica muito longe deste mundo que só vejo pelo vidro da janela da marquise da casa onde trabalho . Um mundo que se parece com aquele que vejo nos filmes ...

- Não é verdade , é um mundo real , aqui funciona um escritório de advogados e uma produtora publicitária .

- Eu sei , mas que motivo arranjaria eu para entrar aqui?

- Mas era tão importante?

- Era como entrar no mundo das princesas Disney, era poder ser recebida por alguém que me fascinou visto de longe , que eu não tinha como chegar perto de outra forma . E que pela reacção que demonstrou não gosta de proximidades com quem não está no seu mundo .

Ri-me , parecia uma menina, uma criança a descobrir um mundo de fantasia .

- Mas sabe , aqui tudo é real , tão real como o brandy que acabou de beber .

- As senhoras todas emplumadas que vêm aqui não bebem isso?

- Não .

Ficou pensativa . - Sabe Dr. é que fui criada no campo , o meu pai era feitor de uma casa agrícola e a senhora servia brandy ao padre nos dias em que ele ia à herdade . Sempre me pareceu ser fino e elegante beber brandy .

- Seria mais natural pedir chá ...

- Chá? Mas eu não estou doente , graças a Deus .

Ri-me . - Bem , já viu o mundo que achava tão fantástico, que achou?

- Sabe Dr. , lá da janela da marquise da minha patroa , parecia tudo mais mágico . Quando entrei aqui , pareceu-me tudo mais normal .

- Como assim?

- Entrei e passei pelas senhoras bonitas que estão lá em baixo . Uma delas dizia para a outra que quando saísse do trabalho tinha que passar pelo dentista . A sua secretaria estava ao telefone a falar com o filho , e o Sr Dr. parece estar cansado e até há pouco muito irritado . Somando tudo , são vidas normais ...

- Claro que sim . sorri - mas olhe, devo dizer que está muito elegante , tão elegante quanto as recepcionistas ou as minhas clientes .

Riu , com ar traquinas .

- É que eu tirei esta roupa e a jóia do roupeiro da minha patroa , tenho que por tudo no lugar antes que ela chegue a casa . Ela é médica , chega hoje muito tarde .

Sorri-lhe, estava cansado mas divertido e incrédulo também . Um pouco mais tarde saímos os dois , quando nos viu, a Daniela veio solicita :- Marco hora para a senhora num outro dia?

- Não - respondi - A senhora já resolveu o problema que a trouxe aqui .

Descemos juntos até à entrada do prédio , dei-lhe um beijo no rosto e fui para o carro . Nunca mais a vi , mas muitas vezes olho da janela do meu gabinete os prédios em redor , imaginando de que janela , uns olhitos curiosos e negros estarão observando quem entra e sai dali . Ou talvez já não ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 15:43


1 comentário

De valquiria a 17.09.2013 às 13:28

Bom dia Gonçalo!!!A cliente improvável,observando você,que ali era um mundo magico.Mais percebeu que ali todos são reias.Trabalham e tem suas vidas normalmente.Enfim,talvez não te observa mais porque ja tirou sua curiosidade.
Beijos com carinho!!!

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  


Caetano veloso

(Para escutar clic no video)

NAO2c.jpg

Proibida a cópia e ou a reprodução deste Site, sem a prévia autorização do autor, por quaisquer meios ou processos existentes ou que venham a ser inventados, especialmente por programas de computador de acesso à Internet ou não, sistema gráfico, micro filmagens, fotográficos, videográficos; bem como a inclusão de qualquer parte desta obra em qualquer sistema de processamento de dados. Estas proibições aplicam-se também às características da obra e à sua edição. A violação dos direitos autorais é punível como crime, com pena de prisão e multa, além da possibilidade de busca e apreensão dos exemplares reproduzidos e apetrechos utilizados na reprodução.

Curriculum Vitae do Autor do Blog

Licenciado em Direito pela Universidade de Yale
Pós-graduação em Direito Criminal
Doutoramento em Medicina Forense

Estudos de História de Arte

Estudos de RPG aplicados ao ensino de técnicas teatrais

Escritor de Poesias e textos de reflexão

Com vários artigos de opinião publicados em revistas

Autor de alguns estudos de Mitologia

Membro da Maçonaria

Membro das Ordens Inglesas de Aperfeiçoamento Maçônico.

Cavaleiro Templário, membro do Preceptório Madras

Membro Honorário do Priorado

Iniciado em estudos sobre a Magia Celta em Stonehenge no ano de 1990

Membro da Antiga e Mística Ordem Rosacruz

Membro da Ordem Martinista

Membro do Colégio dos Magos

Conhecedor de, Kabbalah, Astrologia e Numerologia, formado pelas escolas mais tradicionais do ocidente.

Faixa-Preta (10º grau) de Kung Fu

Praticante de Karate

Praticante de capoeira

Professor de Chi-Kung Técnicas de kung Fu

Deu cursos e participou em projectos urbanísticos usando conhecimentos de Feng-Shui

Gestor de empresa


Mural do Sonhos



comentários recentes






Contador

free counter