Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Às vezes basta um detalhe ...

Terça-feira, 26.11.13

 

Um certo dia houve um julgamento complicado . Tratava-se de uma mulher, cujas provas da acusação a apontavam como culpada do homicídio de um homem . Na verdade o corpo do presumível morto nunca tinha aparecido, mas as provas de que a acusação dispunha, faziam crer a todos , que Teresa , assim era o nome da arguida , havia efectivamente assassinado o seu amante e posteriormente feito desaparecer o corpo . O advogado de defesa da arguida tentava como podia , anular as fortes evidencias que apontavam a sua constituinte como assassina. Tendo praticado  teatro e sabendo como mexer com as emoções de quem assistia e também claro do Delegado do MP e do Juiz , resolveu arriscar o ultimo trunfo que conseguia arranjar . Era ainda muito novo, mas sabia o que valia e retomando a palavra , disse: - Meritíssimo Juiz , antes de terminar , quero dizer que guardei para o final , algo que pode mudar o rumo deste julgamento .

Todos os rostos se viraram para o jovem advogado, que satisfeito viu que todos estavam suspensos das suas palavras .

- Dentro de um minuto - continuou o advogado olhando para o relógio - a pessoa que durante todo este processo se julgou estar morta e pior que isso , ter sido assassinada pela minha cliente, vai entrar por aquela porta .

Dizendo isto indicou a porta , por onde tinham entrado ao longo da tarde , todas as testemunhas .

No tribunal fez-se um profundo silêncio e todos , incluindo o Juiz, olharam a porta de modo inegavelmente expectante .

Lentamente o minuto passou e ninguém cruzou aquela porta . Os olhares de todos , caíram de forma inquisidora sobre o advogado .

Então o advogado falou :- Eu disse que o presumível assassinado ia entrar por aquela porta e TODOS, incluindo o Meritíssimo Juiz , olharam durante um minuto com a maior expectativa . Deduzo então , que ninguém nesta sala tem a certeza de que o namorado da minha cliente morreu , sendo assim , todas as provas que parecem  incriminá-la , afinal não têm o peso suficiente para deixar na alma de cada um uma certeza válida da sua culpabilidade.

O Juiz retirou-se da sala , para ponderar a sua decisão final . Não passou muito tempo e ele voltou , de rosto sereno , calmo , tranquilo e olhando de frente o advogado , disse: - Considero a ré culpada .

O advogado olhou incrédulo para o juiz:- Mas como ? - murmurou perplexo .

- Quando o Dr. disse que a presumível vitima ia entrar por aquela porta , efectivamente todos os presentes na sala, incluindo eu , olhamos na expectativa de um desfecho feliz para esta tragédia, mas o Dr. não reparou numa coisa básica e de importância máxima , que alterou a minha decisão . Há pouco , eu disse que quando o Dr. falou , todos os presentes olharam com expectativa para aquela porta , mas na verdade um dos presentes nesta sala não olhou ... A sua cliente ...

Às vezes ser bom  advogado não basta , há que ter bons clientes também ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 15:42


1 comentário

De valquiria a 27.11.2013 às 09:40

Bom dia Gonçalo!!!Sim, não basta ser bons advogados,há que ter bons clientes.Advocacia é relacionamento de longo prazo e deve ser e deve ser baseado em confiança.E uma atividade- meio e não uma atividade-fim.Por mais competente que seja o advogado não existe causa ganha porque as decisões são dos juízes.Em seu texto,o advogado mostrou sua defesa e poderia ter ganho a causa.Mais por descuido de sua cliente,ela mesmo acabou assinando sua sentença de culpada e foi condenada.Nunca devemos esquecer que o advogado esta do nosso lado e tem o maior interesse na nossa vitoria.
Beijos com carinho!

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  


Deus Cuida de Mim

(Para escutar clic no video)

NAO2c.jpg

Proibida a cópia e ou a reprodução deste Site, sem a prévia autorização do autor, por quaisquer meios ou processos existentes ou que venham a ser inventados, especialmente por programas de computador de acesso à Internet ou não, sistema gráfico, micro filmagens, fotográficos, videográficos; bem como a inclusão de qualquer parte desta obra em qualquer sistema de processamento de dados. Estas proibições aplicam-se também às características da obra e à sua edição. A violação dos direitos autorais é punível como crime, com pena de prisão e multa, além da possibilidade de busca e apreensão dos exemplares reproduzidos e apetrechos utilizados na reprodução.

Curriculum Vitae do Autor do Blog

Licenciado em Direito pela Universidade de Yale
Pós-graduação em Direito Criminal
Doutoramento em Medicina Forense

Estudos de História de Arte

Estudos de RPG aplicados ao ensino de técnicas teatrais

Escritor de Poesias e textos de reflexão

Com vários artigos de opinião publicados em revistas

Autor de alguns estudos de Mitologia

Membro da Maçonaria

Membro das Ordens Inglesas de Aperfeiçoamento Maçônico.

Cavaleiro Templário, membro do Preceptório Madras

Membro Honorário do Priorado

Iniciado em estudos sobre a Magia Celta em Stonehenge no ano de 1990

Membro da Antiga e Mística Ordem Rosacruz

Membro da Ordem Martinista

Membro do Colégio dos Magos

Conhecedor de, Kabbalah, Astrologia e Numerologia, formado pelas escolas mais tradicionais do ocidente.

Faixa-Preta (10º grau) de Kung Fu

Praticante de Karate

Praticante de capoeira

Professor de Chi-Kung Técnicas de kung Fu

Deu cursos e participou em projectos urbanísticos usando conhecimentos de Feng-Shui

Gestor de empresa


Mural do Sonhos



comentários recentes





Quem Nos Visita



Contador

contador de visitas