Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Leiam por favor

Terça-feira, 05.06.07

 

NOJO, REPULSA, NÁUSEA

Aviso:

Apesar de ao inicio parecer engraçado,

este  post pode ser considerado chocante e repulsivo

para os leitores.

Decidi posta-lo para que não se fique na ideia

de que ser acompanhante é apenas ganhar dinheiro e

curtir. Leiam, se quiserem, mas fica o aviso de que o vosso dia

pode ficar arruinado. Como o meu ficou.

                 

                    

                  

                

 

 

 

 

Era de tarde, estava eu alapada na hidromassagem com a última Decider que havia no frigo na mão, quase a adormecer (eu adormeço muitas vezes na banheira) e toca o tlm . Tenho o hábito de o deixar na beirada da janela para o caso de tocar, basta esticar o braço e pumbas , atender;

 

“Toue?”

 

Olá Maria, sou teu fã, não costumo procurar raparigas da tua idade (?) mas tu és muito à frente, acho que posso estar à vontade contigo.”

 

“Claro que sinhe…”

 

“Posso marcar para daqui a uma hora?”

 

“Yeap.”

 

Saí do banho e fui-me semi-vestir para o embate.

 

À hora exacta chega o homem, cinquentão, magrinho, óculos, muito sorridente.

Pareceu-me porreiro.

 

Duche da praxe, sentámo-nos na cama a conversar, autografei-lhe o meu livro, que ele trouxe, e começou o roçar de chicha.

Saquei de um preservativo preto (agora ando numa de goticismo fodal) e estava a preparar-me para abocanhar o ganso quando ele me diz que não quer, que a coisa dele é só espetar mesmo. Então tá bem, digo eu, e ele põe-me de quatro.

Começa devagarinho e vai-me apalpando toda e dizendo palavrões.

           

         

 

 

Pausa para observação:

Os primeiros minutos do convivío dão-me o conhecimento necessário sobre o tipo sexual do cliente. Sendo assim, adapto a minha performance de acordo com a tipologia da pessoa que está ali no momento. Este aqui era do tipo ‘pornografia barata’.

               

           

 

 

Preparo-me para começar a debitar ‘sacanagens’ ao homem quando ele, enquanto me come/apalpa/cheira, pergunta:

 

“Tens muitas amigas?”

 

        

 

Nota: quando um cliente pergunta isto a uma acompanhante, o que ele quer dizer é: conheces muitas putas que me possas recomendar?”

        

 

 

“Algumas”

 

“Novinhas?”

 

“Sim, da minha idade, dezoito, dezanove anos, bem novinhas”, respondo, enquanto ele me come a um ritmo agora mediano.

 

“E de nove, dez anos, nada?”

 

“NÃO”, respondo de maneira agressiva, de modo a que a conversa ficasse por ali.

 

Notem que durante a minha vida de putaria ouvi isto mil vezes, e portanto, a minha reacção não passa disto.

 

“Eu agora tenho uma com dez anos. É boa, a puta”.

 

Nos primeiros milésimos de segundo pensei que ele estivesse no gozo, ou a testar a minha reacção, porque isso também é usual na putaria. Mas ele estava mesmo a falar sério, e começou a foder com força.

 

“Tens.. tens quê?”

 

Eu estava sem reacção e não sabia se devia desencaixar-me dele e enchê-lo de porrada ou apenas rezar para o resto da hora passar rápido e tirar aquilo da cabeça.

 

“Uma putinha, dez anos. Boa. Fodo-lhe aquela cona toda.”

 

Enquanto me fodia, começou a contar de como sacava as meninas na net, de como as penetrava, as coisas que lhes fazia, do clube de pedófilos que existia, dos vídeos que faziam e trocavam uns com os outros, de como se juntavam todos para provar os meninos e meninas que arranjavam, do gozo que lhe dava abrir os genitais das crianças com espéculos, da como lhes batia quando elas faziam muito barulho e como os convenciam a voltar.

 

Eu estava de quatro para ele, e portanto, ele não me via a chorar.

Eu não fazia barulho para ele não parar, apenas controlava a respiração para não saírem soluços e cerrava os olhos para não cair água na colcha, de modo a não ficar uma pocinha que me denunciasse.

 

Sentia vontade de matar o homem. É incrível como, quando nos deparamos com certas situações, sentimos coisas que nunca pensamos sentir, como por exemplo matar alguém.

Eu juro que se pudesse seria capaz de mata-lo naquele momento. Eu chorava e imaginava a cara das meninas que eram vitimas dele, imaginava o que elas pensariam enquanto ele as penetrava, imaginava tanta coisa e no entanto movia o meu corpo mais e mais rápido, com raiva, queria que ele se viesse logo para sair dali.

Mas ele parou e pediu para eu acabar em cima dele. Pelo menos estava perto do fim.

Limpei as lágrimas com a mão enquanto me virava e sentei-me em cima dele, comecei a foder a um ritmo alucinado, só queria que o filho da puta se viesse e fosse embora para ligar à minha filha e falar com ela.

Estava agoniada e achei que vomitaria se demorasse muito.

Senti-me sozinha, muito sozinha. Estava ali a cavalgar uma besta que me penetrava com o mesmo pau que abusava de crianças.

Finalmente o homem veio-se e eu saí de cima no mesmo segundo e comecei imediatamente a vestir-me.

Ele ficou a reclamar que ainda queria dar mais uma queca, alegando que “não se contenta com pouco”, eu fingi que não ouvi e vestia-me a uma velocidade estúpida.

O filho da puta foi tomar um duche, e quando voltou, mesmo eu estando já vestida e com cara de vai-te embora, começa novamente o apalpanço e a conversa porca.

Eu juro que estava a aguentar muito, muito bem, mas não deu mais. Tirei-lhe as mãos de cima de mim com um gesto brusco e mandei um berro que estava preso na garganta há muito:

 

“SAI DA MINHA CASA! SAI DA MINHA CASA!”

 

Ele só olhava para mim com cara de estúpido e de quem não entende o que há de errado nele. Palhaço.

 

Atirei-lhe com as roupas dele ao focinho, ele começou a vestir-se e eu já a rodar a chave da porta;

 

“EMBORA, NOJENTO DE MERDA!”

 

“Olha, não venho mais aqui, foda-se!”

 

“MAS QUERES LEVAR NOS DENTES?! EU É QUE TE ESPANCO SE VOLTAS AQUI, FILHO DA PUTA. SAI!”

 

Ele saiu, FINALMENTE, eu ainda bati com a porta de tantos nervos, e fui desligar o telemóvel. O dia tinha acabado ali.

 

Peguei no telefone pessoal, liguei para a Mini-Me, falei muiiiito com ela, e tomei banho, várias vezes.

Às vezes ainda penso naquele gajo e em tudo o que ele me contou, é angufilhadaputa.stiante, preferia morrer sem saber aqueles detalhes todos, mas, às vezes,vida de puta é  

 

 

 

 

Este Texto foi retirado do blog

http://atuaamiga.blogs.sapo.pt

 

É um texto chocante que mostra o encontro dela com um pedófilo. Ao ler isto apetece-me perguntar que merda de mundo é este que permite que coisas destas aconteçam?

Deixo aqui este texto com um apelo a todos. Quem tiver conhecimento destas situações, denuncie.Todos os dias crianças inocentes são raptadas para gozo destes seres doentes. Desapareceu a Maddie, desapereceu uma outra criança a 26 de Fecereiro, desaparecem tantas que não são notícia. Isto não pode e não deve continuar impune. Porque se acontece à vista de todos e ninguém faz nada torna-nos a todos cumplices. Quero deixar um apelo , quem tiver conhecimento de casos destes, de adultos que exercem violência sexual sobre crianças por favor denunciem. Se tiverem medo, se não quiserem dar a cara, basta uma denuncia anónima.Podem ligar para o S.O.S. criança, para a PJ, ou para a esquadra ou posto de GNR mais próximo das vossas residências.Nunca esqueçam que saber que alguém comete esse delito e calar os torna cumplices do mesmo. Omissão é um crime grave perante todos e perante as vossas consciências. Vamos impedir que coisas abominaveis deste tipo andem por ai a proliferar na maior impunidade. Esta é uma obrigação moral de todos. Pelos nossos filhos, por todas as crianças do mundo, por favor vamos ficar atentos e denunciar. A felicidade e a vida de uma criança pode estar nas nossas mãos. Um abraço a todos.

 

 

Algumas instituições onde podem efectuar as denuncias

 

 

SOS CRIANÇA

 

POR TELEFONE

 

O atendimento telefónico dispõe desde (24 de Maio de 2004) da Linha 1410, destinada a ser utilizada no âmbito da Crianças Desaparecidas.

 A Linha SOS-Criança  Número 21 793 16 17  e o Número Verde 800 20 26 51, assim como a Linha 1410 estão em pleno funcionamento nos dias úteis das  9h 30 às 18h30. Cada técnico tem um nome de código para que possa ser garantido duplo anonimato.

 

O numero verde destina-se a denunciar qualquer tipo de violencia sobre crianças

O anonimato caso o peça é garantido

 

Pode denunciar pelo correio , para o endereço

 

Apartado 1582 –1056-001 LISBOA

 

Ou por mail para

 

soscrianca@net.sapo.pt

 

 

DELEGAÇÕES da PJ

 

Directoria Nacional

Rua Gomes Freire,174, 1169-007 Lisboa

Telefone: 218 641 000
Fax: 213 575 844

 

 

 

Directoria do Porto

Rua Assis Vaz, nº113, 4200-096 Porto

Telefone : 225 582 000
Piquete: 225 088 644
Fax: 225 023 642
E-mail:directoria.porto@pj.pt

 

 

 

 

 

 

.............................................

 

 

Directoria de Coimbra

Rua Venâncio Rodrigues, nº16/18, 3000-409 Coimbra

Telefone: 239 863 000
Fax: 239 833 627
Piquete: 239 828 130
E-mail: direccao.coimbra@pj.pt

 

 

 

 

 

 

 

..................................

 

 

Directoria de Faro

Rua do Município, nº15, 8004-003 Faro

Telefone : 289 884 500
Fax: 289 802 296
Piquete : 289 829 621
E-mail:
directoria.faro@pj.pt

 

 

 

 

 

Para a Europol pode ser denunciado o desaparecimento de crianças raptadas em toda a Europa

 

 

 

Europol

Endereço Postal
Europol
P.O. Box 908 50
2509 LW The Hague
The Netherlands

Phone: +31 70 302 5000
Fax: +31 70 345 5896

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:06


2 comentários

De Valquiria a 05.06.2007 às 16:15


Fico horrorizada!Capazes de barbaridades só por prazer.Que prazer é este?Eu tenho nojo!Estes crimes são tão baixos e revoltante.São traumas que se levam por toda viva.
Gonçalo,sua atitude de colocar o texto hoje,foi bom quem sabe alguém lendo e conhece pessoas que cometem estes erros,resolva denunciar estas pessoas.

De Angélica Marques a 05.06.2007 às 17:23

Parabéns pelo teu civismo. Fizeste bem despertar consciencias. Beijos

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  


Deus Cuida de Mim

(Para escutar clic no video)

NAO2c.jpg

Proibida a cópia e ou a reprodução deste Site, sem a prévia autorização do autor, por quaisquer meios ou processos existentes ou que venham a ser inventados, especialmente por programas de computador de acesso à Internet ou não, sistema gráfico, micro filmagens, fotográficos, videográficos; bem como a inclusão de qualquer parte desta obra em qualquer sistema de processamento de dados. Estas proibições aplicam-se também às características da obra e à sua edição. A violação dos direitos autorais é punível como crime, com pena de prisão e multa, além da possibilidade de busca e apreensão dos exemplares reproduzidos e apetrechos utilizados na reprodução.

Curriculum Vitae do Autor do Blog

Licenciado em Direito pela Universidade de Yale
Pós-graduação em Direito Criminal
Doutoramento em Medicina Forense

Estudos de História de Arte

Estudos de RPG aplicados ao ensino de técnicas teatrais

Escritor de Poesias e textos de reflexão

Com vários artigos de opinião publicados em revistas

Autor de alguns estudos de Mitologia

Membro da Maçonaria

Membro das Ordens Inglesas de Aperfeiçoamento Maçônico.

Cavaleiro Templário, membro do Preceptório Madras

Membro Honorário do Priorado

Iniciado em estudos sobre a Magia Celta em Stonehenge no ano de 1990

Membro da Antiga e Mística Ordem Rosacruz

Membro da Ordem Martinista

Membro do Colégio dos Magos

Conhecedor de, Kabbalah, Astrologia e Numerologia, formado pelas escolas mais tradicionais do ocidente.

Faixa-Preta (10º grau) de Kung Fu

Praticante de Karate

Praticante de capoeira

Professor de Chi-Kung Técnicas de kung Fu

Deu cursos e participou em projectos urbanísticos usando conhecimentos de Feng-Shui

Gestor de empresa


Mural do Sonhos



comentários recentes





Quem Nos Visita



Contador

contador de visitas