Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Tu e o mar

Terça-feira, 04.12.07

 

Pergunto porque me lembras o mar

será que é pela carícia das ondas

onde invento teus dedos

Pelo murmurar doce da espuma

onde recrio a tua voz

Ou será porque me prendo a ti

como me prendo ao mar

Ambos me enfeitiçam

são doces e agrestes, intempestivos

e escondem segredos

que apenas contam ao vento

seu confidente

Porque me lembras o mar

talvez pelo teu cabelo revolto

que me recorda dias de tempestade

em que o mar ruge

encapelado

Tu e o mar

eterna semelhança

que não sei desvendar

sei que a ti eu quero

preciso e procuro

como procuro o mar

quando estou triste

quando cansado preciso falar

Eu vos amo a ambos

de formas diversas

a ti doce poema que nunca escrevi

a ti e ao mar

tu grácil e formosa lembras-me o mar

o mar majestoso , indómito ou sereno

na sua plenitude de graça e magia

devolve-me a alegria

de um sentimento pleno

porque o olho a ele

e vejo-te a ti!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 10:46


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes



subscrever feeds