Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



às vezes

Quinta-feira, 07.09.06

Às vezes só é preciso acreditar que o amor existe

que vem como brisa

enxuga lágrimas

e faz de um dia cinza

a mais linda Primavera

Às vezes é só preciso acreditar que o sonho existe

que faz de uma dor sentida

esquecida

um terno sorriso

e um novo acreditar

às vezes é preciso ser criança

e sentir como criança

deixar que nossos olhos se percam

numa fantasia só nossa

que nós um dia criamos

Às vezes é preciso ver sorrisos

por entre as lágrimas que caem

dos olhos de quem ama

Outras vezes é preciso ver lágrimas

no sorriso forçado

de quem perdeu o amor

Às vezes é preciso inventar carícias ternas

afagos de amor

toques

aconchego

às vezes é preciso enfrentar a dor

conquistar o amor

vencer o medo

Às vezes é preciso ser tempestade

que ruge violenta

no peito que dói

às vezes é preciso ser calmaria

lago de amor

onde se lavam feridas

de uma dor sempre presente

Às vezes é preciso ser fogo

labareda

chama

Que abrasa de paixão

e queima lentamente

outras vezes é preciso ser água

lenitivo para a dor

ou apenas rio

que corre para o mar

da dor que se sente

às vezes é preciso inventar força

criar sorriso

lutar para vencer

outras vezes é hora do cansaço

do sol no ocaso

do lento escurecer

A nossa vida é feita dos matizes

que um pintor genial

um dia inventou

Deus gostou daquela tela

e a olhar para ela

o mundo criou

 

                                   

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 09:25


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes



subscrever feeds