Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Esquecer o medo

Segunda-feira, 15.06.09

Houve um momento na vida em que o medo era o meu principal sentimento. Tinha medo de não saber conservar o que tenho e mais medo ainda de não conseguir alcançar as minhas metas. Dos meus cabelos ficarem brancos. De não conseguir manter sempre o meu nível de vida, a minha casa sempre confortável. Medo de engordar e deixar de ser atraente aos olhos dos outros. Medo de ter uma doença grave que me causasse deficiência e me impedisse de praticar desporto com o meu filho. Medo de ficar doente e frágil e não ter nada mais a oferecer aos amigos e familiares. Mas tem um dia que o medo cansa e a vida ensina . Hoje compreendo que se o meu cabelo ficar branco , continuarei a ser interessante para a minha mulher. Deixei de ter medo de perder o conforto da minha casa, porque sei que o que faz uma vida feliz , não é uma casa linda , mas um coração em paz. Aprendi a gastar mais tempo com o meu lado espiritual , em vez de só ligar ao fisico. Também compreendi que se um dia por fatalidade uma deficiência fisica me impedir de praticar desporto com o meu filho , não quer dizer que passe menos tempo com ele. Pelo contrário, terei muito mais tempo para falar-lhe da vida , ensinar-lhe tudo o que aprendi. Se eu tiver a sorte de chegar à velhice, e não poder ter resistência fisica e a mesma agilidade mental, ainda assim poderei oferecer aos familiares e amigos, a força das minhas ideias , o meu exemplo, a minha ternura por todos , e a dignidade de uma alma que sempre amou a Deus , mesmo tendo errado muito. Se o meu destino ainda me trouxer perdas e desilusões , saberei enfrentar a situação e procurar soluções. Acredito no amor do Pai e sei que por cada perda , ele me dará novas oportunidades , oportunidades que eu não terei se nunca tiver problemas. E quando finalmente o meu coração tão cansado  achar que é hora de parar, nos momentos finais , lembrarei da minha família , dos meus amigos e vou adoçar esse momento com o calor terno da saudade. E quando por fim , o Pai me abrir os seus braços e me envolver na luz brilhante do seu espirito , vou rezar agradecido e entrar nessa paz. E nessa hora , será o momento de voltar ao Pai, de sair daqui e retornar a casa, ao seio de Deus. Então pergunto-me , ter medo de quê?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 22:13


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes



subscrever feeds