Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



MOMENTOS

Terça-feira, 16.01.07

Há momentos que doem

momentos que ficam

momentos que são dor

momentos que são paz

Há momentos de amor

momentos de ternura

momentos de paixão

há momentos esquecidos

mas não perdidos

guardados para sempre

no coração

Há momentos assim

momentos teus

momentos meus

momentos nossos

momentos que se foram

outros que ainda vão chegar

a vida é um momento

momento de querer

momento de amar

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:29

BRINDEMOS

Domingo, 14.01.07

Brindemos ao beijo

que brinca

nos nossos lábios

brindemos

com a taça

da ternura

o desejo que perdura

nas palavras

que não dizemos

nos sorrisos

que escondemos

loucos

pelo beijo

que freme

no calor da nossa boca

brindemos

ao beijo sentido

desejado

querido

que nos pousa nos lábios

e brinca

com o nosso desejo

brindemos

brindemos ao nosso amor

brindemos ao desejo

ao desejo guardado

recolhido

preservado

no calor do nosso beijo

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 22:08

ENTREGA

Domingo, 14.01.07

Na entrega de dois corpos suados

que se tocam

curiosos

descobrindo a magia

o toque

do outro corpo

que se oferece

Na entrega apaixonada

em que as veias latejam

e o coração pulsa

num compasso regido

por gemidos de paixão

Dois corpos que se descobrem

que se entregam

que se dão

que se oferecem

num momento em que deixam

de ser dois

e são um só

num amplexo de magia

de amor

de desejo

de tesão

num momento

em que os corpos incendiados

são dois doces pecados

numa loucura saboreada

num amplexo premente

a entrega desejada

numa união de corpos

que o coração sim

esse sente

O primeiro passo do amor

é sempre essa corrente

de desejo

que nos liberta

e nos prende

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 21:33

SIMPLICIDADE

Domingo, 14.01.07

Nada é tão simples como o amor

e nada é tão complicado

como esse sentimento

que se insinua

cresce

e num momento

em que distraídos

não sentimos

ele vem docemente

e nos toma

arrebata

e nasce luz numa alma

que de repente

não está mais só

que se divide em duas

num amor

que a torna una

em dois corpos

O amor é simples

e complicado

doce e amargo

num cambiante de cores

sabores

que fazem da nossa vida

um eterno amanhecer

O amor é dono e senhor

e é também

o maior

de todos os sentimentos

amar

não é assim tão simples

nem assim tão complicado

amar é um sorriso

ofertado na dor

é simples amar

complicado

sentir um grande amor

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 20:40

Para quê????

Sábado, 13.01.07

Às Vezes só é preciso sorrir

estender a mão

acreditar

às vezes é preciso ver estrelas

na noite mais escura

admirar o luar, mesmo não o vendo

às vezes

às vezes só é preciso rir

mesmo por entre lágrimas

sonhar por entre pesadelos

acreditar entre descrentes

fazer magia

num palco vazio

às vezes só é preciso inventar

um navio fantasma

num mar irreal

uma tempestade de areia

num deserto inexistente

a doçura

no salgado de uma lágrima

às vezes

às vezes só é preciso abafar

um grito numa gargalhada

agradecer o picar do espinho

porque pegamos a flor

às vezes

às vezes é preciso

inventar a madrugada

em cada anoitecer

inventar o sol

pela calada da noite

inventar a paz no meio da guerra

às vezes

às vezes é só preciso acreditar

sonhar

teimar

insistir

viver

Se o céu é azul

o sol doirado e quente

se a lágrima é afago

a saudade é companhia

a tristeza uma irmã

e a dor um despertar

Para quê sofrer?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 19:21

PAZ

Sábado, 13.01.07

Ah eu queria só paz

aquela paz desejada

calma

que abraça o corpo

cansado

Eu queria apenas paz

a paz de um sonho

num momento de sorriso

a paz de um beijo

num momento de amor

ah eu queria apenas paz

tranquilidade

cessar a dor

É lei ter que sentir medo?

sentir cansaço?

sentir tristeza?

Ah e eu queria apenas paz

aquela paz

terna

de sorriso de criança

aquela paz calma

de sonho de menino

aquela paz tranquila

do desabrochar da flor

O meu coração cansado

anseia pela paz

ofertada num gesto de amor

que venha a paz desejada

no sorriso encantado

da mais bela das mulheres

que sempre é

a mulher amada

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 18:46

AQUELAS PALAVRAS

Quinta-feira, 11.01.07

Naquelas palavras que não se dizem

por medo

por covardia

por dor

são as palavras perdidas

que rolam

pesam sentidas

no seio do nosso amor

Onde andam as palavras

os risos

as tarde calmas de conversa

que se passavam rápidas

intensas

e agora

tanta vez não sei o que pensas

e fica o silêncio

a saudade

no seio das nossas almas

Mas mesmo nas tardes cinzentas

eu vejo no sorriso

que inventas

de mansinho só para mim

que mesmo com muita dor

haverá sempre amor

numa realidade sem fim

então não calemos os sentidos

não fiquemos mais perdidos

fala aquilo que sentes

devagarinho

só para mim

Saudade?

será eterna

deste amor doce

tão terno

mesmo que nele exista dor

sem este nosso amor

a minha vida é abismo

é loucura

é inferno.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 20:13

AINDA SONHO

Terça-feira, 09.01.07

Eu sonhei sonhar um dia

um sonho feito magia

nascido no seio de um sonho

que jamais ousei sonhar

sonho, sonhado acordado

brinquedo de sonhador

sonho, meio inventado

sonho ousado

pensado

sonho feito de amor

Ousei sonhar o sonho

que é feito saudade

de uma realidade

que aprendi a sonhar

sonho, o sonho mais doce

sonhado suavemente

duma alma que ainda crê

o sonho de te amar

o sonho de amar ternamente

um sonho terno, só meu

que habita nos meus olhos

sobrevive por entre escolhos

sonho que ninguém vê

sonho, que esse sonho não morreu

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 19:59

Pergunta...

Terça-feira, 09.01.07

Onde estás tu ?

Pergunto à lua

que me espreita

serena

impávida

sem se incomodar

com a minha solidão

Onde estás?

Pergunto ao mar

que espelha o céu

docemente

na noite que cai

tão calma

Onde estás tu?

a pergunta tem eco

nos montes longínquos

que vejo

num horizonte

que escurece

Onde estás tu?

pergunto ao vento

que me lê

o pensamento

e brinca

rodopia

despenteia o meu cabelo

seca a lágrima

que cai

Onde estás tu?

é a pergunta que grito

ao mundo

ao infinito

pergunta

pequena

mas tamanha

pergunta

que não sai

de dentro da minha alma

Onde estás tu?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 19:41

nunca saberás

Domingo, 07.01.07

Tu és a lágrima que rola no meu rosto

és o sorriso que entreabre meus lábios

o sonho que me encanta

a luz que alumia a minha estrada

Tu és a bússola que me guia

o sol que aquece a minha pele

a chuva que beija o meu corpo

Tu és o mar que ruge em dias

de tempestade

a areia onde marco os meus passos

a água que escorre por entre

os meus dedos

Tu és a música que toca a minha alma

o vento que me conta segredos

nas madrugadas da vida

Tu és meu sonho

minha luz

minha bênção

minha cruz

minha esperança

minha paz

e por ironia

confessei-te o amor que me guia

mas a força deste sentimento

as dores com que a ti me prendo

Ah dessas meu amor

Tu nunca saberás!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 21:17






mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes



subscrever feeds