Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Para ti Mãe

Segunda-feira, 14.01.08

Vá vem contar-me histórias

dessas que me contavas

quando eu era pequenino

e no teu seio me amparavas

as lágrimas me enxugavas

era tão bom ser menino

Vem dizer-me que a vida é bela

vem afastar os meus fantasmas

acariciar o meu cabelo

vem limpar os meus olhos

vem enfim cuidar de mim

com teu carinho e desvelo

Vem cantar-me as canções

que me cantavas à noite

quando temia adormecer

e nos teus braços me acalentavas

me sorrias ou ralhavas

tudo me fazias esquecer

Vem contar-me aquelas lendas

de piratas e de conquistadores

com que povoavas a minha mente

vem ter comigo como antes

para que eu possa soletrar por instantes

o nome, mãe, novamente

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:51

Decifrando lágrimas

Segunda-feira, 14.01.08

Lágrimas são palavras pequeninas

que não foram ditas

que rolam no rosto

pequenos cadáveres de expressões

assassinadas

Lágrimas são sonhos mortos

que feneceram na esperança

da concretização que não o foi

do dia que não raiou

do sorriso que se perdeu

Lágrimas são desgostos da alma

chuva da tristeza que corre

pela maciez do rosto

Lágrimas são pérolas de saudade

são gritos de uma verdade

que não se deixou viver

Lágrimas são pedaços de alma

pequenos pedaços de vida

que caiem inertes e mortos

nas mãos que os assassinaram

Lágrimas , pedaços de dor

gotas de um ácido que queima

lento por dentro de nós

lágrimas que jorram dos olhos

que são testemunhas delas

e que lhes dão a vida

lágrimas pequenas gotas

onde cabe o mundo todo

onde cabe o coração

lágrimas reflexos de nós

do amor e da loucura

do medo e da ilusão

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:32

Palavras soltas

Segunda-feira, 14.01.08

 

Grito, digo que não

fecho os olhos

cerro as mãos

faço birra

resmungo e falo

Porque não quero

porque não posso

porque isto

porque aquilo

porque seria ruim

porque sentiria remorso

porque a vida

tem normas e regras

porque existe a moral

costumes

porque sou frontal

sou franco

porque sou homem

sou sincero

porque sou pai

sou responsável

porque amo

sou romântico

mas quando vens

tudo se vai

sou de novo menino

o não quero

fica desdito

olho o céu o infinito

sorrio

cheio de esperança

e sou de novo criança

e quero

só porque quero

e faço birra de novo

mas desta vez porque amo

porque quero

porque desejo

invento nas rimas o beijo

olho o sol

em desafio

voo como os pássaros

feliz

sou de novo inconsequente

sou miúdo

sou atrevido

sou tímido

sou um rapaz

mas vibro quando estou contigo

sou gente

sou o que sou

não aquele que criei

é meu o sorriso

que te dou

nada mais incomoda

ou faz dano

sou de novo corajoso

alegre

vitorioso

nos momentos

em que te amo

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:11

Perdi-me

Segunda-feira, 14.01.08

Perdi-me num cantinho do nada

do nada que a vida nos dá

quando pensamos ter tanto

perdi-me por becos e ruelas

caminhos velhos e vielas

por onde nem a lua espreita

perdi-me porque te encontrei

por amar-te e porque sonhei

sonhos de rosas e canela

de encantos e de magias

de velhas feiticeiras e magos

sonhos, sonhos guardados

nas ruelas desta vida

nos caminhos em que me perdi

quando a vida chama a si

sua lei , sua verdade

e eu perdido ainda estou

não sei por onde caminho

onde vou

mas tenho que caminhar

por entre vidros estilhaçados

espelhados tristes, quebrados

pássaros feridos nas asas

voando em círculos de dor

perdido em ruas sem nome

sabendo que amo e sinto

toda a força deste amor

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 10:54

Procuro-te

Segunda-feira, 14.01.08

Vem porque preciso de ti

preciso da paz

das tuas mãos frias na minha fronte

preciso do sussurrar das tuas vestes

do teu fato cor da noite

e do esquecimento

Vem preciso de ti

Onde andas quando grito

quando rasgo a noite

num uivo quase desumano

quando peço para não sentir

quando não quero

quando me recuso

Vem senhora dos meus sonhos

que descansam em teu seio

onde há tanto tempo

os depositei

Vem ter comigo porque te chamo

porque te grito

porque te imploro

apenas a paz de um momento

Vem ter comigo na noite

na noite dos meus sentidos

na agonia de um longo alvorecer

num cair de máscara que é cansaço

que é grito

que é desespero

num acordar que não quero

que não pedi

que não exigi

que me foi imposto

Vem senhora da noite

vem ter comigo

porque te chamo

e é de dor o meu grito

pega-me na mão

leva-me

ensina-me a conhecer a calma

tão desejada

e tão merecida

Vem leva contigo o cansaço

a sede do abraço

o grito de revolta

as lágrimas caídas

os medos, os fantasmas

a dor , a acusação

o desprezo e a loucura

quando o amanhecer é tortura

quando o dia pesa em mim

vem senhora

porque te chamo

coloca sobre mim o teu manto sereno

deixa que sorria enfim

que nasça em mim a paz tão tua

que me mostre ser loucura

o que senti

o que chorei

que a noite nasça em nós

e se faça em mim a paz

essa que tanto esperei

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 10:31

O AMOR

Domingo, 13.01.08

                                                   

A inteligência sem amor, faz-nos preversos
A justiça sem amor, torna-nos implacáveis
A diplomacia sem amor, faz-nos hipócritas
O êxito sem amor, faz-nos arrogantes
A riqueza sem amor, faz-nos avarentos
A docilidade sem amor , torna-nos servis
A pobreza sem amor, faz-nos orgulhosos
A beleza sem amor, é apenas ridícula
A autoridade sem amor, cria tiranos
O trabalho sem amor, faz-nos sentir escravos
A simplicidade sem amor, apenas nos deprecia
A oração sem amor, faz-nos introvertidos
A lei sem amor, apenas nos escraviza
A política sem amor, é um acto de egoísmo
A fé sem amor deixa-nos fanáticos
A cruz sem amor é mera tortura
A vida sem amor...não tem sentido

                                                            

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 12:15

SE...

Sábado, 12.01.08

 

 

Se o amor for grande...
a espera não será eterna,
os problemas não serão dilemas,
e a distância será vencida.
Se a compreensão existir
as brigas irão fortalecer-nos,
os factos nos farão rir,
e os diálogos nos marcarão.
Se o respeito prevalecer,
os carinhos serão doces e suaves,
os beijos profundos e cheios de valor,
e os abraços calorosos e confortantes.
Se a confiança existir,
a dúvida se extinguirá,
as perguntas serão respondidas,
e as palavras poderão ser ditas.
Talvez não seja um amor eterno.
E não é um amor doentio,
Nem um amor ideal.
Mas um amor verdadeiro.
Aquele que vence as barreiras
Impostas pela vida e pelas ocasiões.
Aquele que não teme a escolha,
E faz a opção de simplesmente
Ser intensamente vivido.

                                        

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 10:29

Apresentação

Quarta-feira, 09.01.08

 

                                   

 

 

Não me venham falar de razão,
Não me cobrem lógica,
Não me peçam coerência,

Porque eu 
Eu sou pura emoção.
Tenho razões e motivos próprios,
Sou movido por paixão,
Essa é minha religião e minha ciência.

Não meçam os meus sentimentos,
Nem tentem compará-los a nada,
Deles sei eu,
Eu e os meus fantasmas,
Eu e os meus medos,
Eu e a minha alma.
A tua incerteza fere-me
Mas não me mata.
As tuas dúvidas açoitam-me
Mas não me deixam cicatrizes.

Não me fales de nuvens,
Eu sou Sol e Lua,
Não contes as poças,
Eu sou mar,
Profundo, intenso, passional.
Não exijas prazos e datas,
Eu sou eterno e intemporal.

Não me imponhas condições,
Eu sou absolutamente incondicional.
Não esperes explicações,
Não as tenho, apenas sou,
Sem hora, local ou ordem.
Vivo em cada molécula,
Sou o todo e sou um só, 
Tu não me vês,
Mas sentes-me

Estou tanto na tua solidão,
Quanto no teu sorriso.
Vives por mim,
Morres por mim,
Sobrevives sem mim.
Eu sou começo e fim,
E todo o meio.

Sou o teu objectivo ,
A tua razão

que tu mesma 
Ignoras e desconheces.
Tenho milhões de definições,
Todas certas,
Todas imperfeitas,
Todas lógicas apenas
Em motivações pessoais,
Todas correctas ,
Todas erradas.

Sou tudo,
Sem mim, tudo é nada.
Sou amanhecer,
Sou Fénix ,
Renasço das cinzas,
Sei quando tenho que morrer,
Sei que sempre irei renascer.
Muda-se o protagonista,
Nunca a história.

Mudo-se de cenário,
Mas não de roteiro.
Sou música,
Ecôo , reverbero , sacudo.
Sou fogo,
Queimo, destruo, incinero.
Sou água,
Afogo, inundo, invado.
Sou tempo,
Sem medidas, sem marcações.
Sou clima,
Proporcional à minha fase.
Sou vento,
Arrasto, balanço, carrego.
Sou furacão,
Destruo, devasto, arraso.
Mas  também sou tijolo,
Construo, recomeço...
Sou cada estação,

No seu apogeu e glória.
Sou o teu problema
E a tua solução.
Sou o teu veneno
E o meu antídoto
Sou a tua memória
E o teu esquecimento.
Eu sou o teu reino,
E o teu trono.

Sou a tua prisão,
Sou o teu abandono
Sou a tua liberdade.
Sou a tua luz,
E a tua escuridão
E sou o teu desejo de ambas,
Velo o teu sono...
Poderia continuar a descrever-me

Mas já te dei uma ideia do que sou.
Muito prazer,

já sabes o meu nome,
Mas ai, dentro de ti 
o meu nome é amor

                                                                                 .

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:43

Comecemos 2008 ouvindo a mensagem do silêncio

Terça-feira, 01.01.08


O silêncio é doçura:
Quando não respondes às ofensas,
Quando não reclamas os teus direitos,
Quando deixas à Deus a defesa da tua honra.

O silêncio é misericórdia:
Quando te calas diante das faltas de teus irmãos,
Quando perdoas sem remoer o passado,
Quando não condenas, mas intercedes em segredo.

O silêncio é paciência:
Quando sofres sem te lamentares,
Quando não procuras consolação junto aos homens,
Quando não intervéns, esperando que a semente germine lentamente.

O silêncio é humildade:
Quando te apagas para deixar aparecer teu irmão,
Quando, na discrição, revelas dons de Deus,
Quando suportas que tuas ações sejam mal interpretadas,
Quando deixas os outros a glória da obra inacabada.

O silêncio  é  fé:
Quando te apagas, sabendo que é Ele quem age...
Quando renuncias às vozes do mundo para permanecer na Sua presença...
Quando te basta que só Ele te compreenda
.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 12:10

VIVA 2008

Terça-feira, 01.01.08

Que o Senhor Nosso Deus de imensa bondade;
Envolva todos vocês com o Manto Sagrado....
Fazendo cair sobre todos...
Saúde..União...Fraternidade...Paciência...Esperança...
Simplicidade.... Paz de Espírito....Humor.....Gratidão..
E.... Muitos Corações Apaixonados....
Então Um Grande....FELIZ ANO de 2008

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 00:00


Pág. 2/2





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  


Caetano veloso

(Para escutar clic no video)

NAO2c.jpg

Proibida a cópia e ou a reprodução deste Site, sem a prévia autorização do autor, por quaisquer meios ou processos existentes ou que venham a ser inventados, especialmente por programas de computador de acesso à Internet ou não, sistema gráfico, micro filmagens, fotográficos, videográficos; bem como a inclusão de qualquer parte desta obra em qualquer sistema de processamento de dados. Estas proibições aplicam-se também às características da obra e à sua edição. A violação dos direitos autorais é punível como crime, com pena de prisão e multa, além da possibilidade de busca e apreensão dos exemplares reproduzidos e apetrechos utilizados na reprodução.

Curriculum Vitae do Autor do Blog

Licenciado em Direito pela Universidade de Yale
Pós-graduação em Direito Criminal
Doutoramento em Medicina Forense

Estudos de História de Arte

Estudos de RPG aplicados ao ensino de técnicas teatrais

Escritor de Poesias e textos de reflexão

Com vários artigos de opinião publicados em revistas

Autor de alguns estudos de Mitologia

Membro da Maçonaria

Membro das Ordens Inglesas de Aperfeiçoamento Maçônico.

Cavaleiro Templário, membro do Preceptório Madras

Membro Honorário do Priorado

Iniciado em estudos sobre a Magia Celta em Stonehenge no ano de 1990

Membro da Antiga e Mística Ordem Rosacruz

Membro da Ordem Martinista

Membro do Colégio dos Magos

Conhecedor de, Kabbalah, Astrologia e Numerologia, formado pelas escolas mais tradicionais do ocidente.

Faixa-Preta (10º grau) de Kung Fu

Praticante de Karate

Praticante de capoeira

Professor de Chi-Kung Técnicas de kung Fu

Deu cursos e participou em projectos urbanísticos usando conhecimentos de Feng-Shui

Gestor de empresa


Mural do Sonhos



comentários recentes



subscrever feeds




Contador

free counter