Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Lenda Adaptada

Domingo, 31.05.09

Era uma vez uma formiga muito trabalhadora, debaixo de um sol escaldante de verão, construiu a sua toca e acumulou suprimentos para o longo Inverno que se aproximava. Por perto o gafanhoto viu aquilo e pensou: - Que idiota! E passou o verão às gargalhadas, cantando e dançando.
Com o chegar do Inverno, o gafanhoto, tremendo de frio, armou uma barraca de lona à porta da toca da formiga, convocou a imprensa para uma entrevista e exigiu explicações: Por que é permitido à formiga, uma toca aquecida e boa alimentação, enquanto os gafanhotos estão expostos ao frio e morrendo de fome? Compareceram todos os órgãos da comunicação social à entrevista, RTP, SIC, TVI, Diário de Noticias, Correio da Manhã, Independente, Público, Rádio Renascença, TFS e outros, tiraram muitas fotos do gafanhoto trémulo de frio e com sinais evidentes de desnutrição.
As imagens dramáticas na televisão mostraram as deploráveis condições do gafanhoto, sentado num banquinho debaixo de uma barraca de plástico preto, depois, depois mostraram a formiga na sua confortável toca, onde estava uma mesa farta e variada. Um programa de TV apresentou durante 15 minutos o tema, mostrando o gafanhoto cambaleante. O povo português estava perplexo e chocado com o contraste. A BBC de Londres manda a Portugal uma equipa especial para fazer uma reportagem para ser distribuída para toda a Europa. A CBS nos Estados Unidos interrompe uma entrevista colectiva sobre a crise Mundial , para mostrar como anda a cidadania dos gafanhotos portugueses.
A notícia recebe apoio imediato de Francisco Louçã, com a ressalva de que os recursos devem ser dirigidos ao programa Fome Zero do governo de José Sócrates, e cria uma Emenda Constitucional que aumente os impostos para as formigas e ainda obriga as comunidades a promover a integração social dos gafanhotos.
A formiga, multada por supostamente não entregar sua quota de folhas verdes ao Ministério das Folhas e não tendo como pagar todos os impostos e contribuições em que fora multada assim como os respectivos retroactivos, pede falência.
As Finanças instauram de imediato uma comissão de inquérito para investigar a falência fraudulenta de inúmeras formigas abastadas. O Ministério das Folhas nomeia uma comissão de auditores fiscais suspeitando de que as formigas tenham desviado recursos do FF5 (folhas frescanº 5 de Banco de Portugal) e suspeitas de lavar folhas.
O gafanhoto decide invadir a toca da formiga e lá acampa. A formiga pede ajuda às autoridades policiais, mas é informada que não existem efectivos para atender a ocorrências desta natureza e que por orientação do Secretário de Segurança, que deseja evitar confronto com os SEM TOCAS, não podem fazer nada. A formiga recorre à justiça na esperança de obter a reintegração da toca, mas é negado, o juiz invocou um novo ramo do direito, "O ECONÓMICO" e sentencia que a formiga não provou a produtividade da Toca.
O Ministério da Reforma Agrária desapropria a Toca da Formiga, por não cumprir sua função social e a entrega ao friorento e desnutrido gafanhoto. O Ministério da Justiça examinando folhas do Jornal Última Hora, descobre que o gafanhoto no passado esteve preso, por promover algumas greves, assaltos e sequestros (que pode encaixar em crimes políticos), conseguindo a sua inclusão no grupo dos perseguidos políticos com direito a indemnização governamental e pensão vitalícia, é imediatamente encaminhado o caso para o escritório do brilhante deputado Marques Mendes, em Lisboa, para entrar com um pedido de indemnização milionária (claro que ele ficará com 40%, mas isso já é outra história, a do Lobo e da Raposa) que o Estado Português (quer dizer , nós) teremos que pagar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 07:37

O preço do perdão

Sábado, 30.05.09

Um velho mineiro falava com um homem de fé , dizendo:- Eu gostava de acreditar que Deus pode perdoar os meus pecados. Mas acreditar que ele me perdoa somente por eu confiar nele , sem nada em troca , é facil demais para ser verdade.

O homem de fé ouviu-o em silêncio e perguntou:-

O Senhor foi trabalhar hoje?

-Sim!

- E o Senhor pagou alguma coisa para entrar e sair da mina?

- Claro que não , não me custou nada , apenas tive que entrar no elevador, ele levou-me para baixo e trouxe-me para a superficie.

O homem de fé , olhou-o com atenção e disse:- E o senhor confiou naquele elevador? Não foi barato demais?

A rir o mineiro explicou:- Claro que confiei . A viagem foi de graça , mas o elevador foi muito caro. A empresa deu muito dinheiro para ele trabalhar em segurança.

 

Então o homem de fé explicou a verdade que o mineiro não conseguia entender, que o perdão dos pecados é grátis para nós , mas que foi pago por um preço muito elevado pelo Pai , através de Jesus.  Jesus deu a sua vida pelos nossos pecados.

Ele veio à terra e morreu na cruz para dar vida a todos que crerem em Deus.

Cristo pagou uma divida que não era dele , para nos libertar de uma divida que não podiamos pagar. Nunca nos devemos esquecer que o perdão dos nossos pecados é de graça para nós , mas custou a agonia de um inocente a ser martirizado numa cruz. Ele pagou esse perdão com o seu sofrimento fisico e espiritual.

Que o Pai nos abençoe e nos perdoe a todos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 12:44

Amar

Sexta-feira, 29.05.09

Ao longo da minha vida descobri que não sabia na verdade amar. E estou a aprender a amar, a amar de verdade. Aprendendo a amar não só quem me ama , mas as pessoas em geral, as que me magoaram , as que me decepcionaram, quando foram tão diferentes daquilo que esperei delas. Aprendi a amar quem me fere com palavras injustas e gestos impensados. É muito difícil aceitar as pessoas como elas são , com todas as imperfeições , mas estou aprendendo. Para aprender a amar , tive que aprender a ver os outros não só com os olhos críticos , mas também com os olhos suaves do coração. Aprendi a escutar o que me é dito com a voz da alma , a ler os olhos tristes de quem se cruza comigo. Aprendi a ouvir o que me dizem para lá das expressões banais. Tento descobrir a angústia disfarçada pela ironia, a insegurança mascarada num sorriso, a solidão encoberta por uma falsa alegria. Tento descobrir o sorriso de ocasião, a segurança exagerada e a indiferença fingida. Para amar os outros é preciso descobrir a dor de cada coração. Para aprender a amar , é preciso saber perdoar , porque o amor perdoa , esquece as mágoas. O amor adoça as marcas da insensibilidade e da incompreensão e perdoa os gestos que as causaram. Amar é parar de alimentar mágoas , de relembrar ofensas , amar é exterminar a revolta do coração. Devagarinho estou a aprender a amar , a descobrir o valor que se encontra em cada pessoa que cruza a minha vida, valor que muitas vezes está escondido por tudo que essas pessoas sofreram, pela rejeição, pela falta de compreensão , de carinho, de aceitação, por experiências duras que a vida lhes deu. Estou tentando aprender a amar , mas este aprendizado é lento , cheio de avanços e recuos. Porque é na verdade muito difícil amar incondicionalmente , amar até quem não sabe ou não quer ser amado. Faço ainda muitos erros , recuo muitas vezes, mas estou a aprender a amar, a seguir as palavras de Cristo, AMAI-VOS UNS AOS OUTROS COMO EU VOS AMEI. Um dia eu chego lá!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:12

SEJA FELIZ AGORA

Quarta-feira, 27.05.09

Nós seres humanos que nos consideramos tão inteligentes , passamos o tempo adiando a nossa felicidade. Costumamos pensar , serei feliz quando me formar , quando casar, quando comprar casa, quando tiver filhos e à medida que vamos alcançando estes nossos patamares que supostamente nos fariam felizes , somos assaltados por um outro se , quando , um dia...

Quando nos nasce o primeiro filho , ficamos à espera que cresça , porque só seremos felizes quando ele já andar , depois falar , depois andar na escola e depois quando se formar na faculdade que para ele sonhamos. Depois de tudo isso alcançado , inventamos que só seremos felizes quando tivermos carro novo , quando tivermos ido fazer a tal viagem, ou então quando nos reformarmos. E o pior é que isso são tudo formas de perder um tempo de vida precioso. O melhor momento para sermos felizes é este que vivemos agora. Insatisfeitos sempre seremos e um pouco de insatisfação é muito produtivo. Sempre teremos metas a ultrapassar , mas, apesar de todos os obstáculos , sempre é tempo de ser feliz. Não acredito que exista um caminho para a felicidade , acredito que ser feliz é o caminho que devemos percorrer na nossa vida. Devemos aproveitar todos os momentos para sermos felizes. Ainda mais se tivermos alguém com quem partilhar a felicidade. Chega de perder tempo, porque o tempo não espera por ninguém. Seria tão bom que parássemos de esperar para sermos felizes.A felicidade é uma viagem que devemos aprender a fazer todos os dias. Confie na sua capacidade de ser feliz!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 07:35

Fazer Amor Contigo

Segunda-feira, 25.05.09

 

Meu amor

Fazer amor contigo é percorrer os caminhos

da mais bela arte

Fazer amor contigo é a conjunção do belo

com o sublime

Fazer amor contigo é entregar-me plenamente

despir a alma

Fazer amor contigo , é dar-me em amor

não apenas sexo

Fazer amor contigo é voar além das estrelas

esquecer o conceito da minha humanidade

Fazer amor contigo, é a junção das almas

muito além do lado físico

Fazer amor contigo é um presente Divino

coroado pela perfeição deste amor

que nos vem de Deus

Fazer amor contigo é enlouquecer

nas fronteiras do teu corpo

Fazer amor contigo , não tem regras

nem obrigações

é quebrar todas as normas

entregarmo-nos um ao outro

cedendo a todas as tentações

Fazer amor contigo é conhecer paraísos

no toque da pele

Fazer amor contigo, é transformar gemidos

em sublime poema

Fazer amor contigo, é navegar num mar de prazer

é tornar a alma um cofre de segredos

é esquecer todos os medos

é gritar, amar, viver!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 22:32

Fantasmas Interiores

Segunda-feira, 25.05.09

Certa vez estava um Senhor calmamente sentado num banco de um jardim como habitualmente fazia ao cair da tarde. Ficou olhando os pássaros que voavam ao acaso por ali e as crianças que brincavam felizes. De repente pareceu-lhe que o sol tinha desaparecido , olhou e viu sete vultos que o rodeavam e o olhavam com ironia, um deles apresentou-se dizendo:- Nós somos habitantes de um tempo futuro e viemos falar contigo.Vamos apresentar-nos um a um.

Dito isto um aproximou-se e disse:- eu sou o azar e posso levar-te tudo o que possuis.

O segundo disse:- Eu sou a fome e um dia poderei bater à tua porta.

O terceiro disse:- Eu sou o desemprego , um dia te tirarei toda a capacidade de sobreviveres.

O quarto disse:- Eu sou o fogo , um dia virar-me-ei contra ti e deixar-te-ei sem um tecto que te abrigue.

O quinto disse : - Eu sou a tristeza , um dia te procurarei e te tirarei todos os sorrisos.

O sexto disse:- Eu sou a solidão e um dia te tirarei toda a vontade de viver.

Por fim o sétimo disse:-Eu sou a velhice e quando eu chegar só te restará a morte.

Os vultos rodopiavam e deixavam o pobre do homem tonto, com dificuldade em pensar e em respirar. Mas era um homem forte , que a pouco e pouco se foi enfurecendo com aqueles estranhos que o atormentavam e gritou exaltado:- Deixem-me em paz!!! Vocês não são habitantes de futuro nenhum, são os meus pensamentos mais tristes, os meus próprios temores. Vocês vivem do meu medo , assolam as minhas noites , mas na minha vida e futuro eu mando.

E a vida ensinou-me muitas coisas, aprendi com as árvores que a renovação é possível , depois de tudo nos ser levado. Aprendi com os pássaros que Deus sempre proverá alimento para todas as suas criaturas.

Aprendi com as crises que muitas vezes não é preciso um patrão para nos reerguermos. Basta coragem e ânimo para trabalhar. Aprendi com as andorinhas que mesmo que nos derrubem o ninho, podemos voltar a construí-lo. Aprendi com as crianças que ser feliz não requer esforço, basta olhar cada dia com esperança.

Aprendi com as cigarras a cantar mesmo que aparentemente não exista ninguém para nos ouvir e sei que mesmo que nos julguemos sós , a nossa voz sempre fará eco nalgum coração. E aprendi com os idosos que as metas são sempre superáveis e a vida sempre nos dará pequenos desafios e pequenas alegrias.

De repente os vultos mudaram a expressão irónica e alegres sorrisos luziram-lhes no rosto.

E voltaram a apresentar-se dizendo:-

Eu sou a prosperidade, eu sou a abundância, eu sou o progresso, eu sou a segurança, eu sou a alegria, eu sou a amizade e por fim o último disse ser a fé e a promessa da vida eterna.

O homem sorriu e afastou-se com a certeza de ter vencido os seus fantasmas interiores. De ter derrubado os seus medos e de ter transformado o negativismo em energia positiva. Nunca devemos deter-nos perante os nossos medos , devemos sempre procurar em nós a força de acreditar e de vencer.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 00:05

Conceitos de felicidade

Domingo, 24.05.09

Costumamos achar que na vida tudo é relativo e com base nisso também cremos que a felicidade é relativa.E ainda mais relativa a ideia que temos do que é ser feliz. Para alguns ser feliz é ter uma excelente conta bancária. Para outros a felicidade seria terem uma carreira brilhante, terem postos de comando, tudo que os fizesse sentir de facto muito importantes. Para outros ser feliz era entender a vida , a natureza. Para mim ser feliz, é viver, é sentir o sangue correr nas minhas veias. Felicidade é amar a minha família , poder reuni-la, é ter tempo para ouvir as histórias das crianças, tempo para o namoro com a esposa, é sorrir de alegria e muitas vezes também chorar de saudade. Felicidade é a certeza de que sou amado, é cultivar amizades, é o calor das palavras de amigos distantes que nunca me esquecem , é o abraço fraternal do amigo que é como um irmão. Ser feliz é acordar com choro de bebé, é acordar de madrugada , depois de deitar tardíssimo, porque o filho ainda criança teve um pesadelo e precisa de carinho. Ser feliz é o almoço em família, a lareira acesa, a manta no chão e o namoro enroscadinho em frente às chamas , saboreando aquele vinho que nos faz sonhar. Ser feliz é acordar e ver o sol sorrindo num céu muito azul, é sentir a chuvinha miúda fazendo carícias e a brisa da tarde beijando o meu rosto. Ser feliz é ver o outro , estender a mão e estar disponível para todos os que cruzarem a minha vida.Ser feliz é fazer da vida uma grande viagem, cometer sábias loucuras e procurar tirar o máximo de prazer.É ter muitos amigos , mas antes de tudo é ser amigo, o mais dedicado que eu souber e for capaz de ser.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 01:28

Valorize a vida

Sexta-feira, 22.05.09

Um certo senhor já muito idoso , bastante vergado pelo peso dos anos que já contava, cansado porque transportava um fardo de lenha com um peso grande demais para as suas escassas forças, com as pernas pesadas e os pés feridos pela estrada de terra e pedras que percorria, olhava ao longe a sua choupana que lhe parecia ainda tão distante. Já muito cansado e desanimado , jogou ao chão a carga de lenha e pôs-se a murmurar baixinho:- Mas que vida mais infeliz tem sido esta minha! Desde manhã à noite é só trabalhar para não receber quase nada em troca. Sempre tive muito pouco que comer, a minha mulher é uma chata que não me dá paz e os meus filhos são uns preguiçosos , imprestáveis e desobedientes.Queria tanto morrer . Oh morte onde andas que não me vens buscar!!!

Ouvindo isto, o anjo da morte, resolveu aceder à vontade daquele velho senhor que lhe parecia tão amargurado e tão cansado de viver.

Resolveu aparecer ao idoso senhor e disse:- Ouvi o teu pedido e resolvi satisfazer a tua vontade. Eu sou o anjo da morte e venho buscar-te já que tanto o desejas.

O idoso Senhor ficou muito atrapalhado e muito aflito respondeu:- O Senhor anjo ouviu mal , eu não quero que me leve , só quero que me ajude a colocar nas costas aquele molhito de lenha que deixei cair.

Com um sorriso o negro anjo ajudou-o a colocar a carga nas costas e o senhor saiu dali apressado , parecendo-lhe a carga leve como uma pena. Porque só damos valor à vida  quando estamos na iminência de a perder. Devemos deixar de ver só o lado mau, e valorizar tudo de bom que a vida nos oferece. É uma perda de tempo gastar minutos preciosos em lamentações inúteis. Se a vida é injusta , lutemos para que seja mais justa , mas não percamos tempo com coisas inúteis , porque um dia o anjo da morte virá e não teremos a opção de escolher.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 21:57

Alguém...

Quinta-feira, 21.05.09

 

Existem tantas pessoas solitárias que precisam de alguém para conversar , para sentir carinho. Há pessoas que a vida tornou tristes e que precisam muito de alguém que as escute e ajude. Existem pessoas tão tímidas que precisam de uma mão estendida para saírem do recanto escuro onde se escondem. Há tanta gente que estando acompanhada se sente só e precisa de alguém para desabafar. Há pessoas que são fortes , mas que precisam de alguém que as ajude a canalizar essa força de forma útil e equilibrada. Há pessoas que são verdadeiros artistas , mas que precisam de alguém que lhes mostre e lhes diga como é belo aquilo que fazem. Há pessoas que pensam que passam na vida inutilmente e sem nenhum valor e precisam de alguém que lhes mostre o quanto são importantes e tudo que podem fazer. Há pessoas tão apressadas , que vivem a correr e precisam de alguém que as obrigue a contemplar e a olhar a vida com olhos de ver. Há tantas pessoas impulsivas que precisam de alguém que as ajude e as ensine a moderar o impulso e a não magoar os outros. Há pessoas que se sentem deslocadas e precisam de alguém que lhes mostre que o seu lugar é aqui . Há pessoas tão importantes que se julgam Deuses e precisam de alguém que lhes mostre as suas fraquezas e lhes diga e mostre o quanto são apenas humanas.

Todos nós precisamos de alguém , porque ninguém é tão alguém que nunca precise do outro. E quem sabe se o outro de quem se precisa não será você que lê este post. Sejamos sempre alguém na vida de qualquer pessoa que de nós precise. O segredo da felicidade consiste em amar o outro como a nós mesmos , em perdoar o outro , como queremos ser perdoados e a não julgar ninguém , porque um dia , inevitavelmente, todos , por Deus seremos julgados.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 23:17

Amigos "Virtuais"

Terça-feira, 19.05.09

 

 

Tantas vezes sinto saudades dos meus amigos "virtuais". Sinto saudades de ter tempo para falar com todos vocês. É engraçado como nasce uma amizade virtual entre pessoas que não se conhecem, que não têm as mesmas experiências de vida ,mas existe a mesma capacidade de ser amigo e sentir.Tantas vezes a nossa vida fica tão distante do amigo do outro lado do monitor, mas ao mesmo tempo tão perto. Apesar das pessoas menos recomendáveis que às vezes aparecem , existe um monte de gente boa e amiga que nos ajuda a vencer a solidão. Nem sempre é necessário ver quem fala do outro lado , basta sentir o pulsar do seu coração e "ver" o seu sentimento de carinho.Não é preciso ver a cor da pele , o tom dos olhos, para sentir a verdadeira essência de uma amizade. Algumas vezes precisei de um abraço de quem falava comigo e senti-o dentro da alma. Não é necessário sentir um perfume, quando uma alma sabe irradiar o aroma de um sentimento puro.Tenho amigos virtuais que me enchem o coração e tenho amigos que convivem comigo e que mal me conhecem , se é que algum dia me conheceram. Com essas pessoas eu aprendi a conhecer os sorrisos falsos, os beijos gélidos de lábios sem sentimento, apertos de mão , moles e sem vida , abraços que me apertavam num torno de gelo e de mentira.Tantas vezes disse a amigos virtuais o que nunca ousei dizer a amigos que conheci a vida toda. Sem medo de parecer menos forte , sem ter que esconder o medo ocasional. Os amigos virtuais nunca nos deixam traumas , afinal estão bem acima do medianismo e da amizade interesseira.Claro que também tenho bons amigos ditos "reais" que me ouvem , que gosto de ouvir, que me emprestam o ombro e a quem retribuo. Mas hoje o meu texto é para os amigos "virtuais" e queria dizer que gosto muito de vocês e quando precisarem sempre estarei aqui , ou lerei os vossos mails, sempre terei um tempo para vocês. Um abraço a todos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 00:04


Pág. 1/3





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes



subscrever feeds