Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Uma Questão de elegância

Sexta-feira, 27.04.12

Há uns anos atrás , num domingo de verão , em que displicentemente cuidava das minhas rosas , ligou para minha casa uma senhora muito aflita , que queria falar comigo . Mandei a empregada responder que não trabalho aos domingos , mas a senhora parecia de tal modo aflita , que excepcionalmente acedi recebê-la em minha casa . E enquanto a senhora não vinha , voltei ao meu jardim e às minhas roseiras . E claro que para cuidar das roseiras , eu não tomo especial cuidado com a roupa que vou vestir . Algum tempo depois , quando eu falava descontraidamente com o meu jardineiro e com o empregado que cuida dos cavalos , vejo atravessar o meu jardim , vinda da minha casa , uma senhora que obviamente tinha entrado pela porta da frente , impecavelmente vestida e penteada . Quando chegou perto de nós , ela inquiriu com alguma rudeza :- Algum de vocês pode dizer-me onde está o advogado?.

Olhei para ela , sorri, e respondi como habitualmente faço:- Boa tarde minha senhora , posso ajudar nalguma coisa?

Ao que a senhora já bastante irritada , respondeu :- Mas será que não percebe o que eu digo? Estou a procura do advogado , a empregada que me abriu a porta , disse-me para vir até ao jardim , que o encontraria aqui e não o vejo em lado nenhum .

Com uma enorme vontade de rir , olhei para a irritada senhora e respondi:- Boa tarde minha senhora , o advogado sou eu . Como vê já me encontrou , em que posso então ajudar?

Ela olhou para mim com os olhos muito abertos e atrapalhada disse:- Ah o advogado é o senhor . Queira desculpar , mas sujo de terra e com essa roupa , enfim...

Ao que respondi :- Desculpe mas é domingo , estou na minha casa , a tratar do meu jardim , não ia vestir um terno Armani , para tratar de roseiras . Mas segundo a minha empregada me disse , a senhora estava muito aflita para falar com um advogado e não me parece que para a ajudar eu tenha que estar vestido como um modelo .

A senhora já muito atrapalhada ainda tentou consertar : - Desculpe Doutor , é que efectivamente vestido assim , o senhor não me parecia advogado .

O meu jardineiro que tem pavio curto e estava irritado com a prepotência da senhora , voltou-se e disse:-Veja lá minha senhora , como é fácil ficarmos iludidos com as aparências . Quando eu vi a senhora dirigir-se para aqui tão bem vestida , tão bem penteada , com ar tão distinto , eu pensei que a senhora teria a educação e a correção de ser polida com todos aqui presentes .

A senhora nem respondeu , mas de facto fica provado que nem tudo que parece , é .

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:37

Devolução ...

Quinta-feira, 26.04.12

Se eu pudesse devolvia todas as fantasias mortas , todos os sonhos assassinados , todas as palavras que me feriram e maltrataram . Se eu pudesse devolvia o choro calado , as lágrimas caídas , as noites insones e o gosto a cinza na minha boca . Se eu pudesse devolvia momentos amargos, horas tristes , minutos de uma dolorosa frieza . Se eu pudesse devolvia as rosas mortas , os livros fechados , as mãos vazias , os braços abertos no nada . Se eu pudesse devolvia o medo das noites tristes , o cinzento dos dias em que o sol não nasceu . Se eu pudesse devolvia as esperanças vãs , as palavras mentirosas , os gestos interesseiros , o tom rude , a frieza . Se eu pudesse devolvia os momentos de espera , de ciúme , de decepção , de desilusão . Se eu pudesse devolvia as acusações infundadas , as palavras idiotas , sem fundamento , ridículas . A vida não me permite devolver nada disso , mas permite-me crescer com isso e com esse crescimento , vem a capacidade de esquecer , ignorar, deixar para lá e mais tarde até sorrir .  Hoje sorrio de momentos que em tempos foram de desespero e de incerteza . Hoje consigo rir de palavras que em tempos me feriram , de medos que outrora senti , de dores que me fizeram chorar . Não posso devolver , não quero revidar , mas fiz aquilo que estava ao meu alcance , sorri e esqueci . E a todos os meus leitores que hoje pensam estar a viver uma dor intransponível , deixo um conselho , não desesperem . Tudo que hoje parece um tremendo fracasso , uma dor sem volta , amanhã será apenas motivo para um discreto sorriso . Sejam felizes!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 18:55

Partiu Miguel Portas

Quarta-feira, 25.04.12

Morreu um amigo e isto começa a ser repetitivo na minha vida , infelizmente . Morreu Miguel de Sacadura Cabral Portas.  Políticas e ideologias à parte , perdeu-se um amigo e um homem digno , porque sempre se manteve fiel às suas ideias e isso merece todo o respeito . O Miguel foi uma pessoa que nunca negou as suas ideias em função de cargos ou de realizações pessoais . Foi um homem que dedicou a sua vida a causas em que sempre acreditou . Foi um bom jornalista , economista e político de firmes ideais . O Miguel entregou o melhor de si mesmo às causas que defendia e nas quais acreditava . E um homem que vive em função do seu ideal , merece de nós toda a consideração . Sinto muito mais uma partida , mais um pouco de história que se perde e eu pessoalmente sinto a partida de um amigo , que não partilhando as minhas ideias , sempre as ouviu com o seu sorriso aberto e franco . Deixo à família os meus sentimentos mais profundos e sinceros .

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 12:55

Saber Viver

Terça-feira, 24.04.12

Apesar de o Jô ter razão nessa afirmação , nada me demove de ser sincero . Porque no dia que eu fingir o que não sinto e disser o que não sei , estarei assassinando tudo aquilo que sou . Aprendi a gostar de mim e a expor a minha verdade sem medo e desde o momento que assumi comigo mesmo ser quem sou , descobri que estou sempre no lugar certo , à hora certa , e isso deixa-me tranquilo . O não ter que fingir deixa-me em paz . E o nome que dou à minha sinceridade e falta de hipocrisia , é auto-estima . Não preciso de mentir , compactuar ou ser hipócrita para que os outros me aceitem . Prefiro que me escolham pelo meu valor pessoal e pela minha dignidade e capacidade , do que pela minha capacidade de dar graxa . Se eu fosse contra a minha verdade , viveria constantemente em angústia , em medo , em dor . Muitos acusam-me de ser prepotente , gélido, arrogante , mas quero que todos saibam que sou apenas autêntico . Nunca desejei ser diferente do que sou , nem ter amizades sociais , apoiadas em bases pouco sólidas . E todas as decepções que eu tive , foram sendo fonte de crescimento e amadurecimento . Por isso ninguém passou na minha vida em vão . Nunca enganei ninguém , nem inventei situações para obter dos outros o que queria , nunca fiz promessas vãs , nunca tentei passar imagens falsas de mim . Pelo contrário , sempre contei os meus defeitos , para que depois não me cobrassem perfeição . Sempre deixei que as pessoas que passaram na minha vida , tomassem as suas decisões sem pressão , alguns chamam isso de fraqueza , eu chamo de respeito . E o respeito que também sinto por mim , leva a afastar da minha vida tudo o que me fere ou me prejudica . E hoje egoistamente afasto da minha vida as pessoas que considero fúteis , falsas , mentirosas ou hipócritas . E também as egoístas .  Muitas pessoas dizem que cobro em excesso dos amigos , das pessoas da minha vida , mas se me dou , quero receber . A minha vida não é Porto de embarque ou de chegada , onde cada um aporta quando quer . Sou bem mais que isso e isso na verdade não é egoísmo , é sim amor - próprio . Não me sinto vazio , não tenho medo de passar tempo comigo mesmo e o ter tido a vida por um fio , ensinou-me a não fazer grandes planos . Hoje faço o que quero , o que acho certo , o que me apetece , no meu tempo e no meu ritmo . E isso vem em consequência de uma vida estável que possúo e que não tenho que esconder , porque ela provém do meu trabalho e do trabalho dos que vieram antes de mim. Claro que eu sei que nem sempre tenho razão e nem me outorgo detentor de imutáveis verdades , mas isso não é insegurança , é uma dose saudável de humildade. Hoje não vivo em função do passado , o passado tem esse nome mesmo , passado , passou, e não me preocupo grandemente com o futuro . Prefiro dedicar-me ao agora , ao hoje , ao exacto momento em que a minha vida acontece , saboreio cada minuto , cada hora e isso faz-me viver em paz. Às vezes ainda tenho problemas que podem decepcionar-me e até atormentar-me , mas o meu coração enche-se com outros motivos de alegria , de felicidade e deixa de lado o que não presta . E acho que atingi a sabedoria mais desejada por todos , a capacidade de enfim , saber viver .

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 12:03

Pensamento Do Dia - Coisas Que Eu Sei

Terça-feira, 24.04.12

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:59

Existem dias ...

Segunda-feira, 23.04.12
Há Dias Assim

Há dias assim , complexos , cinzentos , chatos , dias em que apetece ficar quieto e não falar com ninguém . Mas claro que isso não é possível , e depois de me forçar a levantar , a sorrir , lá vem alguém dizer :- Mas que se passa contigo , estas com uma cara!

Apetece-me dizer um monte de coisas incorrectas , se eu fiz tudo para criar uma máscara para esse dia , lá vem um chato cutucar o meu mau humor . Agarro-me ao verniz social , tão necessário nessa hora e respondo , com um sorriso que tenta ser alegre :- É impressão tua , estou bem , fica tranquilo .

Mas claro que nestas coisas nunca desistem à primeira e lá vem o célebre :- Eu sei que estás a esconder algo , mas tudo bem , se quiseres falar estou aqui ...

Conto até duzentos para não me sair nenhuma coisa da qual depois me arrependa , faço um sorriso idiota , daqueles que dá para tudo e saio de mansinho , para bem longe do curioso . Há dias em que não dá para explicar porque amanhecemos cinza . Nem dá para descrever porque estamos azedos . Pode ser um acumular de aborrecimentos que formam uma nuvem sobre a nossa cabeça e que nesse exacto dia eclodiu e nos encharcou de mau humor . Pode ser uma noite mal dormida , pode ser uma dor vaga na alma , que nesse dia se intensifica . Ou pode simplesmente ser vontade de ficar só,  nesse dia . Nem tudo o que sentimos dá para explicar em palavras . Nem todos os sentimentos são traduzíveis em palavras ou até mesmo em gestos . Sei que tenho dias em que fico quieto , calado , não por estar zangado com alguém , ou porque alguém me feriu , mas simplesmente porque desacelero , desço às minhas bases e renovo-me . Todo o crescimento ou renovação é um acto doloroso e solitário e de facto existem dias tristes , em que não dá para explicar o motivo . Outras vezes até existe um motivo real , uma dor tangível , mas explicar isso a outra pessoa será reviver de novo essa dor . E muitas vezes fazer entender aos outros os nossos sentimentos , é uma luta árdua e que em certos dias nos parece uma barreira intransponível . Por isso quando vejo um amigo de olhar triste , que me diz que não tem nada , eu não faço perguntas , simplesmente lhe dou um abraço bem firme e saio . Ele saberá sempre onde estou , quando e se precisar conversar .

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:21

Virando a Página

Sábado, 21.04.12

 

Há coisas que nos deixam com um sabor amargo na boca . Estive aqui a ler o comentário do Dado no meu post anterior . Hoje a frio , senti essencialmente um vazio triste ao reler tudo . Não estou na Net para magoar ninguém , Deus me livre , mas já fui magoado e enganado aqui e como tal estou com um pé atrás . Apesar do comentário amigável do Dado , nada justifica que tenha excluído a minha dupla , sem que nada se tivesse passado para tal . Mas seja como for quero esquecer este episódio que me cansou e deixar para lá . As intenções e os actos ficam por conta de quem os pratica . Eu tenho um código de honra que me obriga a defender aquilo que eu acho certo . Sempre levo em conta os sentimentos alheios , salvo se me ferirem gratuitamente . O meu conhecimento de ética e valores também se aplica aqui na net , sendo que para muitas pessoas a Net é mero passatempo e esquecem que aqui passam vidas e sentimentos reais . Há coisas que eu sei e uma delas é que não devo entrar neste tipo de concursos , porque sempre saio ferido e acho que acabo ferindo as pessoas , porque espero delas normas , que por isto ser um universo virtual , muitas pessoas acham que não se aplicam . Acho que eu aqui na net funciono num tempo diferente , com pontos de vista mais rígidos e talvez deva ser eu a aprender a não me entregar tanto ao que faço aqui . Acho que os meus sentimentos são por vezes um vespeiro , que ataca sem piedade quem os fere ou manipula . Defendo com unhas e dentes o meu ponto de vista , fecho o meu coração e mundo a todos, e quando os abro a alguém , creio que exijo verdade e lealdade . Os meus sentimentos não aceitam meros turistas . Tenho medo de ser ferido , e por isso levanto um cerco e me protejo , mas quando baixo as guardas sou integro e espero integridade . A transparência sempre foi e será a minha lei . Também enfrento os meus erros quanto os pratico e só fico descansado quando os conserto de algum jeito . Muitas vezes fico magoado e reajo a quente , mas depois o tempo passa e não guardo rancor por ninguém , salvo raríssimas excepções . Sei que tenho medo de me dar a amigos virtuais e depois decepcionar-me , como já me decepcionei . É difícil entender neste mundinho de areias movediças onde estão os locais seguros e para evitar afundar , escondo-me dentro da minha fortaleza . Para mim os amigos que fiz aqui na net não são seres imaginários , são pessoas reais e não posso sair e entrar da vida delas , quando estou ou não a fim . Hoje as coisas estão mais claras e menos pesadas e vou esquecer o que houve sem guardar ressentimentos de ninguém . Deixo aqui os meus cumprimentos sinceros a quem comentou o texto , não tive comentários negativos , mas se os tivesse recebido , teria respeitado tanto essas pessoas , quanto respeito as que ficaram ao meu lado . Eu não sou o dono da verdade e estou sujeito a criticas como toda a gente . O meu repúdio fica com aqueles que ficaram em cima do muro . Com aqueles que se apressam a empolar os acontecimentos , que incendeiam os ânimos às escondidas de todos , aqueles que deitam gasolina na fogueira e depois na hora de fazerem um juízo seja qual for , fogem da raia . Eu não sou infalível e recebo tão bem quem me elogia , como quem me critica . Agora não tolero os dissimulados e os cobardes , por isso acho que a net de facto possibilita a proliferação de pragas difíceis de exterminar . Quanto ao Dado , o assunto morre aqui . Este site sempre terá as portas abertas às suas visitas , assim como eu sempre passarei pelo site dele se estiver lá algo que me interesse ver ou ler . Um abraço a todos , especialmente aos que tal como eu , têm coragem para expressarem o que sentem .

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:33

http://dado.pag.zip.net/

Sexta-feira, 20.04.12

Gostaria de ter deixado este comentário no blog do Dado na página web http://dado.pag.zip.net/, mas como ele o retirou do ar , e antes me acusou no blog de ser causa do término do concurso para o qual me convidou , venho aqui esclarecer o equívoco . O que eu comentei é que sou frontalmente contra o facto de que num concurso , tenham os concorrentes que pedir votos . Acho ridículo , porque para quem concorre seja ao que for a votação deve ser isenta e por mérito . Valores que ao que parece ferem o senhor que me convidou para esse concurso . Eu sei que o que pretendia era visitas ao seu blog , mas isso não é ser um blogueiro de verdade . Levar visitantes aos blogs por meio de ardis não é ser blogueiro , nem fazer nada pela qualidade dos blogs . Ser blogueiro de verdade , é escrever artigos que sejam interessantes e captem leitores , que eles saiam dos blogs com a sensação que a visita valeu a pena . Eu tenho quase 700.000 leitores que trouxe até ao meu blog através do interesse que lhes despertei , escrevendo sobre temas que me são caros e que certamente também lhes despertou interesse . Ter um blog na net deve ser para fazer algo de relevante socialmente e não apenas para ver os contadores subir . Nunca usei ardis e nunca chamei ninguém ao meu blog e nem andei a comentar pedindo visitas . Os meus comentários são isentos e só os faço quando algo que leio mexe comigo de tal forma que sinto vontade de comentar ou quando o faço por sincera amizade . O que comentei no Blog do Sr. Eduardo não tinha nada de desistência , era uma constatação apenas e claro que eu iria até ao fim , eu costumo honrar os meus compromissos . Parece é que o Sr. Dado não sabe ler Português e para além disso é mimado , e faltou ao respeito a todos quantos convidou . Se não teve "tomates" para levar a prova até ao fim , lamento , mas não me coloque culpas que não tenho . Eu acho é que existe nos blogs excesso de falsidade e de hipocrisia e se colocam autenticas declarações de amizade a pessoas que a não merecem , para obterem visitas . Há pessoas que vivem como se os blogs fossem a coisa prioritária das suas vidas , eu respeito , mas não tenho paciência para isso . Eu não vivo da net , nem dos blogs , não são eles que me pagam as contas no final de cada mês e prezo muito palavras como : "amigo" "querido" e outras que tais , para as dizer a qualquer um a troco de visitas ao blog . Lamento profundamente que os outros participantes tenham sido excluídos , por um mero comentário meu . Eu acho que o promotor do concurso é mimado demais , para que lhe questionem os actos e faz birras e para mim quem faz birra é criança . E minha mãe dizia que quem dorme com crianças , amanhece "molhado" . E foi isso que aconteceu . Não sou um génio da net , não sou um génio dos templates e nem da informática e por isso nunca entenderei o motivo pelo qual ao adicionar pela primeira vez o endereço que o senhor Dado me deu , para responder às provas , a minha conta foi violada e posteriormente cancelada . Com a gravidade de a minha conta ser um endereço de trabalho . Mas isso prefiro deixar para lá , a culpa foi minha que adicionei sem saber quem . Deixo o meu pedido de desculpas a todas as duplas que se viram privadas do concurso por minha "culpa" sem eu saber porquê . Um beijo de carinho a todas as participantes e até já.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 12:31

Falsas Amizades

Quinta-feira, 19.04.12

Em todo o lugar há pessoas falsas , que geram sentimentos falsos , alimentados por palavras falsas . E só nos restam duas opções , ou descobrimos a verdade e expomos a falsária em praça publica ou nos fazemos de parvos e vamo-nos divertindo fingindo que estamos sendo levados . Geralmente opto pela segunda hipótese , porque a primeira dá bem mais trabalho e devo confessar que sou meio comodista . E dá-me um certo prazer , ver os malabarismos que certas pessoas fazem , para parecerem sinceras . Gosto de ver as suas cambalhotas de carácter e o trabalho que têm . Elas não sabem , mas mais lhes valia serem sinceras . Tinham muito menos trabalho e mais alegrias . Eu fico quieto no meu canto , deixo passar o barco e dou uma de idiota . Às vezes é tão bom deixar que nos julguem idiotas . Com este tipo de pessoas eu tenho aprendido mesmo muito , tanto que até já lhes antevejo os esquemas e manobras . E claro que fico à espera que se afundem no seu próprio mar de enredos e mentiras . Isto quando estou bem disposto , porque quando decido virar a mesa , não deixo pedra sobre pedra . Eu não entendo que necessidade têm as pessoas em questão , de fingir sentimentos . Eu quando gosto de alguém , gosto de verdade , tolero erros , aceito desculpas , gosto e ponto final . Mas se acaso não gosto , não simpatizo , não vou fingir . Claro que não saío por aí agredindo as pessoas de quem não gosto , mas também não lhes vou fazer declarações de amizade . E depois existe uma raça asquerosa de pessoas "simpáticas" e "amigas" , aquelas que fingem amizade para ganhar algo , para sair por cima . Nessas ocasiões finjo-me de completo idiota , mas quando o ou a farsante pensa que já ganhou , sacudo-lhe o barquinho e deixo-as à deriva . E nessa altura sinto-me tão bem por ter arrancado mais umas máscaras . É uma utopia , mas desejava que o mundo todo fosse constituído por pessoas sinceras . Sem medo e sem mentiras . Pessoas que soubessem valorizar o que é de verdade gostar ou sentir amizade por alguém .

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 16:19

Cansaço ...

Terça-feira, 17.04.12

Eu não gosto de magoar ninguém , acho que quem respeita os outros , evita ferir . Também não faço das pessoas brinquedos , não me aproximo quando me apetece e afasto-me quando não estou a fim . Eu respeito os sentimentos dos outros , tal como espero que respeitem os meus . Respeito os meus amigos e eles sabem disso . Não sou de andar a procurá-los todos os dias só para dizer quanto gosto deles . Eles sabem que gosto , uma amizade de uma vida inteira chega para que tenham essa certeza . Não gosto de andar constantemente a alardear amizade , se eles confiam em mim , sabem que sou sincero . E a quem dúvida , então a esses é que não estou mesmo interessado em provar nada . Eu gosto de pessoas frontais , que me dizem o que pensam , obviamente salvaguardando o respeito por mim . Ser frontal , não é descarregar no outro as suas dúvidas , medos , frustrações ou fantasiosas invenções . Ser frontal é ser sincero , mas é também racionalizar , pensar antes de falar e sobretudo , sempre saber colocar-se no lugar de quem ouve . Aos 20 anos eu tinha paciência para birras , para jogos , para inseguranças , mas hoje cada minuto da minha vida é tão precioso que me recuso a gastar tempo com esse tipo de comportamento . A amizade , o amor , o companheirismo , seja o que for que nos liga a outra pessoa , tem que ter como base a confiança . Se alguém não confia em mim , então nada do que eu diga, vai mudar essa posição , por isso prefiro não me justificar . Aliás nem estou para isso . Quando alguém não confia , também não merece tanto empenho . Infelizmente e com grande tristeza minha , chego à conclusão que muitas pessoas me cansam . Não que eu seja melhor ou pior , não é isso , mas simplesmente porque não tolero mesquinhice , nem mentalidade pequena . Não sou nenhum ser de excepção , longe disso , mas tento entender os outros , não os ferir com mesquinhices e sobretudo sempre racionalizo antes de falar . Quanto alguém me vem com a história da frontalidade , regra geral sai asneira. Os nossos direitos terminam , onde começam os direitos dos outros . E penso que as pessoas acham que em nome da frontalidade podem despejar nos outros todas as coisas que lhes apetece . E não é verdade . O termo frontal , significa ser verdadeiro , sincero , mas em lado algum se afirma que signifique ser inconveniente. Eu amo pessoas sinceras , frontais , mas bem resolvidas , que saibam onde começam as fronteiras da tal frontalidade. Dúvidas de personalidade são tratados com psicólogos e eu estou longe de ser um . Cansam-me as mesquinhices , as espertezas saloias , as dúvidas . Arre, ou eu sou um ET ou então cai neste mundo na época errada. Eu nunca tenho dúvidas , nem a nível profissional , nem a nível pessoal . Eu sei o que sou , sei o que valho e obviamente conheço as minhas limitações . Mas não vivo amargurado com elas , quando posso ultrapasso-as , quando não posso respeito-as , mas não as temo . Eu encaro um assunto , resolvo-o e guardo-o fechadinho na gaveta da memória . Não sou mais forte que ninguém , mas sei que se eu não resolver as minhas fraquezas , não são os outros que o farão por mim . Também tenho momentos de fragilidade , medo , cansaço , mas nessas alturas, paro, repenso, racionalizo e sigo o meu caminho . Cada dia para mim hoje é uma dádiva . O ver o sol , o ouvir os pássaros , o ver flores , o caminhar , para mim são tesouros inestimáveis . E não perco o meu tempo que é precioso demais a dar atenção a fantasmas que me possam surgir . Faço o meu trabalho com alegria e quando não o posso fazer com alegria , faço-o com responsabilidade. E aos familiares , amigos, colaboradores , eu dou a cada um a importância consoante o peso que tem na minha vida . Mas isso não significa que eu aceite ser o muro das lamentações e dos medos de todos , seja em que sentido for e muito menos aceito que seja quem for coloque em dúvida os meus actos , os meus sentimentos , a minha honestidade ou o meu profissionalismo . Cada um que cresça para estar a altura do cargo que ocupa e do lugar que tem . Eu passei por momentos tramados , difíceis , nunca pedi apoio psicológico , acho que sou eu a ter que me centrar . Sou eu que tenho que dominar os meus sentimentos e emoções e não aceitar o ponto de vista clínico . A única vez que pedi um ponto de vista psiquiátrico , foi depois da cirurgia , porque eu mesmo queria ter a certeza que estava em condições mentais para tomar a cargo as responsabilidades que a seguir viriam . Quando a equipa psiquiátrica me garantiu que eu estava mentalmente são , equilibrado , eu decidi que então o resto era comigo . E passei por um processo lento de equilíbrio e de retoma da minha vida . Sei que sou mimado , que às vezes sou difícil de aturar , que me magoo facilmente , mas nunca coloco sentimentos em dúvida , a menos que actos provados e não imaginados me  confirmem o contrário . Eu não quero saber nada do que acham de mim , do que pensam do que faço e nem da opinião alheia , mas se possível ser poupado a especulações era bom . Nesta idade espero que todos aqueles que estão comigo saibam o lugar que ocupam e se garantam , em vez de andarem a "frontalizar" disparates. Eu só já aturo birras de crianças com menos de dez anos e mesmo assim se não me tirarem muito do sério . A vida é para ser vivida sem medos , sem limitações , já basta as que a saúde nos impõe e sobretudo sem criar macaquinhos no sótão . Às pessoas que são importantes na minha vida eu já provei que o são e como as tenho como lugares seguros , espero que também saibam assumir essa responsabilidade. Que ninguém espere que eu me justifique de coisas que nunca fiz ou farei e exijo a todos , aquilo que dou , respeito . E lamento quando coisas alheias à minha vontade , afectam terceiros , mas ainda assim eu não tenho culpa . Eu quero viver num mundo de gente crescida, crianças só mesmo as pequeninas.  Um abraço de amizade a todos .

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:27


Pág. 1/2





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes



subscrever feeds