Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O MEU MUNDO PRIVADO

Quinta-feira, 26.07.12

 

Para lá do meu portão , começa um mundinho só meu . Um mundo que preservo de olhares , de invasões , um mundo onde me permito ser eu , sem sorrisos forçados , sem palavras de ocasião , sem gestos sociais . Para lá do meu portão , sou invadido pelo aroma das minhas rosas que se liberta na brisa calma ao entardecer. Para lá do meu portão , a relva quente acolhe-me , as camélias agitam as suas rosas sem perfume , mas tão belas , e os pássaros cantam, felizes pelo término de mais um dia. Para lá do meu portão , fica o meu abrigo , o meu lar , é a fronteira onde o mundo exterior fica do lado de fora e começa o meu mundo privado , que me reflecte em cada detalhe . Para lá do meu portão , fica aquilo que na verdade sou , sem fato e gravata , sem protocolo , sem verniz . Para lá do meu portão , está a minha casa , o meu ninho , o meu ponto fulcral de equilíbrio , o meu local de descanso temporário . Para lá do meu portão , está o mundinho que escolhi, onde cada detalhe conta um pouco de mim , dos meus sentimentos e emoções . Para lá do meu portão , o meu mundo privado me acolhe , me abraça no silêncio do meu escritório, onde a cadeira já parece talhada para mim , onde cada livro tem vida , onde cada objecto tem uma história , onde posso soltar o meu grito de liberdade ou o meu choro de exasperação . Para lá do meu portão , inicia-se o meu mundo , onde sem qualquer restrição , eu posso finalmente ser apenas eu ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 15:05

Caminho

Sábado, 21.07.12

                                                          FOTO DA REVISTA ONLINE "OLHARES"

 

Sou grande e sou pequeno , sou do tamanho de mim mesmo , grande para aquilo que consigo e pequeno para o que esperam de mim. Procuro um caminho por entre as sombras, que me guie até onde devo ir e não até onde penso poder ir . Procuro luz que me guie , por entre as brumas que me cercam e faça brilhar a luz do azul que busco em torno de mim . Descanso na penumbra, já cansado de desbravar caminhos que me levam a lado nenhum e paro perplexo , esperando o caminho que eu sei que tenho , que busco , mas que não sei alcançar . Fico quieto no tempo , esperando que por magia , o caminho se abra , isento de pesadelos , de medo , de amargura . Um caminho simples , sem pedras gigantescas , sem torrentes conflituosas , sem cansaço e sem enigmas . Sou pequeno para gestos gigantescos , sou pequeno para rochas escarpadas , sou pequeno para rios em conflito , sou pequeno em meio das sombras que se abrem e me acolhem , numa falsa paz que não me dá guarida, nem alento . Sou pequeno para combater dragões , para ser forte , para ser seguro , para estar sempre ali . Tenho momentos de uma pequenez consentida , quando me recolho sobre mim mesmo e fecho o meu coração ao mundo que me rodeia . Egoísmo , pensarão uns , mas eu digo que é sobrevivência . Preciso parar para me ver , para me ouvir , para sentir aquilo que eu digo a mim mesmo , mas cujo eco se perde num caminho longínquo que desconheço , no qual não marco os meus passos e não me leva onde eu sei que quero ir . Não quero que me desbravem caminhos ou que caminhem por mim , quero apenas uma bússola que me norteie no caminho que devo trilhar . Sou grande demais para pequenos nadas , para grandes coisas que relativizo , para acontecimentos que já não consigo abarcar ou ver . Sou pequeno demais para as palavras que já não sei dizer ou que ficaram ditas e guardadas num cantinho da alma cuja chave já não encontro . Há palavras que detesto , frases que me agoniam e ficam girando na minha cabeça , como turbilhões que me arrastam para lugares que não quero rever . Há gestos aprendidos que se repetem automaticamente e ficam tão perto de sentimentos remexidos , amargos , de um passado distante que eu quero enterrar . Quero voar por um caminho certo , mas ainda me falham as asas e perco as penas no embate com as correntes de ar que em fúria me tiram da minha rota . Não sei qual o caminho que me leva onde eu quero ir , mas sei que tenho que chegar lá e para isso continuarei procurando, desbravando e aprendendo até que ele se me apresente . Sou pequeno para grandes gestos, grandes frases , grandes acontecimentos, mas sou grande para palavras pequenas , gestos pequenos , caminhos pequenos . Procuro o caminho que me leve onde eu sei que tenho que ir ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 21:35

O Caso Miguel Relvas

Terça-feira, 17.07.12

 

Miguel Relvas

 

Tem vindo constantemente a público, as habilitações académicas do Ministro Miguel Relvas.

Eu sei que vivemos num País de gente mediana , mas isto ultrapassa tudo .

Estamos a falar de um político que tem um bom currículo profissional. E se vivemos num País em que tantos Doutores conseguiram doutoramentos vergonhosos sob a alçada do tal tratado de Bolonha, que formou pessoas a torto e a direito. Se tivemos a vergonha que foi a Universidade Moderna , que formou fornadas e fornadas de estudantes em serviço Social , que foram colocados em áreas que não dominam e para as quais são absolutamente incapazes e se formou advogados que nunca vão poder exercer , porque a própria Ordem não os aceita , então que tem de tão estranho o caso Relvas.

Que tal se lembrarmos os professores e enfermeiros que durante anos exerceram com o antigo 9º ano e depois fizeram um ano de validação de competências e ficaram com uma licenciatura.

Será que esses profissionais são menos capazes? Claro que não . Porque mais importante que um canudo obtido esfregando as costas vários anos numa faculdade , é o percurso profissional de cada um , a sua competência em determinada área.

Estou cansado de ver professores desta nova fornada de licenciados , a fazer erros de palmatória. Coisa que os antigos professores sem canudo nunca fizeram . O Ano passado até os manuais escolares do 3º e 4º ano do ensino básico , continham erros, é isto que se pretende com tanta exigência formativa?

Desde o caso Sócrates que acho uma pouca vergonha , que jornalistas desocupados , que enveredam por uma forma de jornalismo abjecta , se dediquem a chafurdar na vida de cada um dos políticos que exercem cargos de poder . E pior ainda , é ver militantes do PSD ou afectos ao partido , a fazerem correntes de e-mails e brincadeiras no FB , para atingir alguém que tem feito um trabalho regular e que está capacitado para o cargo que tem . Num País onde existiu o malfadado CNO , que deu a iletrados o 12º ano , que fez de analfabetos , pessoas com o ensino secundário completo , baseado nas competências aprendidas na vida e toda a gente achou bem , porque razão agora criticam tanto alguém que se valeu do seu currículo vasto , para com a mesma base obter  o Grau académico a que tinha direito.

Vivemos num País pobre , não em dinheiro , mas sim em mentalidade e valores . Tenho a mais convicta certeza , de que todos os que agora criticam Relvas , aceitariam de mãos abertas uma graduação semelhante. Mas claro que para eles mesmos , para os outros é ilegal .

Muitas vezes fico sem entender o que se passa com os Portugueses. Estamos , nós e a Europa , à beira de um colapso económico sem precedentes e faz-se do Relvas assunto de importância maior. Tal como a revogação da determinação do Estado no corte dos subsídios de Natal e férias à função publica . Às vezes acho que vivo num País de dementes. Os funcionários públicos ficaram muito felizes , porque o tribunal decretou a inconstitucionalidade desse despacho governamental . O que ninguém ainda parou para pensar ,  é que só se o Sr. Juiz que elaborou esse juízo , tenha como pagar esses subsídios . Porque o Estado não tem e nem terá . E caso o Estado cometesse a asneira de os pagar , chegaria uma altura que nem para os ordenados dos meses normais teria liquidez. Não creio que o Dr. Pedro Passos Coelho o assuma por agora , mas os cortes desses subsídios são inevitáveis e não creio que algum dia sejam repostos . Nem aqui , nem em País algum da Europa . Durante anos , governou-se tendo em conta tudo quanto era direito Social , baseado numa constituição comunista , que não teve êxito em País algum no mundo . Desbaratou-se dinheiro pagando rendimentos mínimos a pessoas que não queriam trabalhar . Pagando direitos e mais direitos trabalhistas , que sufocaram a economia . Pelos vistos meus amigos , essa politica não deu certo , nem aqui , nem em lado nenhum .

Agora temos que voltar ao velho e desaprendido hábito de trabalhar a sério , e de viver consoante as nossas possibilidades. Quem ganha um ordenado médio , jamais pode viver como quem ganha um ordenado maior , ou quem tem fortuna pessoal . Durante anos , todos quiseram viver do mesmo modo , para mostrar que também tinham possibilidades e podiam e daí saiu o caos em que estamos . Temos um País de falsos ricos , de pobretanas metidos a finos , que se endividavam até à medula , para provar a quem não estava nem aí , que também eram finos . Eu acho bem que todos tenham uma vida boa, que todos tenham direito a lazer , a boas casas , mas trabalhem para isso .

Acho ridículo , pessoas que conheço que passam todos os fins de semana enfiadas na praia e depois queixam-se que o ordenado é curto. Se é curto , então fiquem em casa , leiam um bom livro , fiquem um pouco consigo mesmas . Ir  à praia todos os fins de semana não dá status a ninguém . Pelo contrário . Quem pode divide a praia , com teatros , eventos culturais, arte. Mas cada um tem que aprender a contar apenas com o que tem . Se ambiciona mais , tudo bem , lute, trabalhe , procure .

O sucesso de um País faz-se com pessoas inconformadas , lutadoras e capazes , não com pessoas medianas que arranjam um emprego mediano e acham que o Estado tem que lhes prover os sonhos .

E mais , não existe nenhum País no mundo que não seja dividido por classes sociais e cada um tem que aprender a viver de acordo com o que tem .

E se quer mais , luta para ter , não espera que seja o Estado a dar-lhe .

Neste momento parece que somos um País com retardo mental , que tem que depender do Estado para tudo .

Já disse mais que uma vez , que ao terminar a ditadura e ao entrarmos na democracia e liberdade , não existe Estado Paternalista .

Liberdade e paternalismo não combinam , por isso em liberdade cada um tem que lutar por si mesmo .

Os facilitismos acabaram , agora cada um que prove o valor que tem . Acho engraçada esta nova mania das depressões . As pessoas têm depressão porque não receberam subsídio de ferias,  têm depressão porque já não podem ir todos os fins de semana para o Algarve ou porque não podem comprar aquele vestidinho que queriam .

Isso é ridículo , depressão sim , eu aceito e compreendo , quando ela ou advém de um problema do foro mental , aliada a uma doença ou então provocada por  uma perda dolorosa , agora depressão por não satisfazer um capricho , para mim é birra de quem não amadureceu .

E de uma vez por todas , vamos preocupar-nos mais com as nossas vidas e menos com o Miguel Relvas e o seu percurso académico .

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 13:10

Obrigado amigos

Terça-feira, 03.07.12

 

Agradeço à Lindalva , A Val , e a todas as amigas e amigos que resolveram fazer-me um almoço de homenagem . Foi um gesto muito especial e deixo aqui os aspectos mais relevantes do almoço.

Aqui fica o aspecto geral das entradas

 

Pratos principais

 

Acompanhamentos

 

Sobremesas

 

E tudo acompanhado de um delicioso champagne da minha marca preferida

 

Aspecto geral da mesa

 

No Final um lugar delicioso para relaxar

 

Agradeço à Val que conhece os meus gostos pessoais em matéria de comida e bebida e se esmerou . Agradeço à Lindalva que teve um gesto muito caloroso e agradeço a presença de todas as amigas e amigos.

Quem quiser conhecer a Ilha da Lindalva , acesse o link:

http://chat-da-ilha.blogspot.pt/

Obrigado a todos.

Um forte e sincero abraço.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 14:44





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes



subscrever feeds