Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Sinto Muito

Terça-feira, 29.01.13

 

Mais uma vez estou aqui infelizmente para dar os meus sentidos pêsames a todos os Brasileiros e principalmente às famílias dos jovens que morreram na Discoteca de Santa Maria, em Rio Grande do Sul. É uma tragédia horrivel de proporções internacionais que infelizmente ensombrou o inicio deste ano . Nada mais há a dizer sobre este terrível acidente que enlutou o Brasil e o mundo, e que me entristeceu profundamente . É um acidente que roubou a vida e os sonhos de tantos jovens, e que me pesa especialmente pelos laços de profundo amor e respeito que me ligam ao Brasil . Já tive a oportunidade de apresentar o meu sincero pesar às autoridades do Brasil , na pessoa de Sua Excelência, a Presidente Dilma Rousseff. Ainda assim , sinto-me no dever de expressar aqui também o meu sincero pesar a todos os leitores Brasileiros que por aqui passam . Sinto muito , do fundo do meu coração . Que Deus receba em seu seio os jovens que perderam a vida e tão cedo recolheram à casa do Pai Divino . Que o Pai ampare a dor de todos os que neste horrível acidente perderam os seus familiares . Aos que se encontram internados  os meus votos sinceros de rápidas melhoras . 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 14:40

Parte de dentro

Domingo, 27.01.13

Vem de dentro da minha alma aquilo que eu sou e aquilo que eu sou , é a minha verdade e a minha lei . Estou certo ou não , confesso que não sei . Marquei muitas vidas e muitas vidas marcaram a minha , vivi muitas existências numa existência só e galguei montanhas , rios e vales , planícies, perdi-me em florestas negras , em florestas virgens e daquilo que sou , tudo de mim dei , sem esperar  nada , porque nada se deve esperar , daquilo que se dá . Naveguei por mares turbulentos , saqueei navios , enfrentei piratas , fui rei e senhor de terras por desbravar e em todas elas eu quis ensinar a amar . Vem de dentro de mim a essência do que sou , do que dou , do que sou capaz e ultrapasso metas e certezas , rio dos medos , das dúvidas, das incertezas e encontro-me no caminho onde os abraços se cruzam e as pétalas me beijam , conduzidas pelas mãos de quem celebra a minha vitória . Nasci para lutar , para vencer , para ser eu mesmo , sem máscaras , sem falsos sorrisos , sem palavras fáceis e eticamente correctas , sou aquilo que sou, aquilo que sempre fui e serei,  o caminho que traço , é o meu destino e a minha lei . Sou frágil e sou forte, sou agressivo e dócil , sou aquilo que na verdade sou, sem atenuar a dureza ou extremar a doçura , sou pássaro livre, muitas vezes ferido , mas que sempre ousou voar , porque a minha liberdade está na minha vontade de acreditar e de sonhar. Sou aquilo que sou , sempre serei assim e ergo com orgulho a minha bandeira , por ser quem sempre fui e não ser o que quiseram fazer de mim...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 16:44

Pensamentos dos Primeiros Passos do Conhecimento

Segunda-feira, 21.01.13

Na nossa vida não existem recompensas nem castigos  pelos nossos actos, apenas existem consequencias .

O tempo e o amor são dois elementos da nossa vida dos quais nunca podemos ter certezas absolutas .

Para poder ensinar bem , apenas há um requisito especifico"saber"...

As palavras são como o vento , ou ajudam ou destroem .

Os amigos de verdade são aqueles que dispensam justificações .

Podemos arrepender-nos do que dissemos, nunca nos arrependemos do que calamos .

A melhor maneira de pedir coisas a Deus, não é rezando , é tornando-nos dignos da sua presença na nossa vida .

O silêncio é uma resposta que muitos entendem da forma errada.

Um homem que vence uma guerra, é forte , mas o que se vence a si mesmo , é sábio .

É melhor saber poucas coisas , muito bem , do que saber muitas , muito mal .

Para ter conhecimentos , há que estudar , mas para ter sabedoria , há que observar .

Todos os dias nos é oferecida uma nova oportunidade , o que fazemos com ela é da nossa responsabilidade.

Amar é olhar a mesma paisagem de vários ângulos.

É a nossa vontade de chegar à meta que torna a vida interessante .

Não é preciso ser forte , basta ser inteligente .

Difícil não é conquistar , é saber o que fazer depois .

Antes de pedirmos ao mundo que mude , devemos mudar nós mesmos .

É melhor voltar atrás que persistir num caminho incerto .

A paciência é uma planta amarga de frutos doces.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 21:06

Quem sou eu?

Sexta-feira, 18.01.13

Há dias estranhos. Ontem tive uma tarde de loucos e não deu sequer para abrir o PC de tarde . Hoje creio que vou pelo mesmo caminho , mas aproveitando a pausa da manhã vim até aqui , como sempre actualizar o blog . E acho que para não variar muito vou falar de mim. Há dias , uma leitora do Sonhos inquiria-me sobre a minha foto . Ela tinha a certeza , dizia ela , que eu ocultava a minha verdadeira face . Como é uma história já não recente , não liguei . Efectivamente ri-me . Acho que a leitora deste espaço esqueceu , que o meu blog tem quase um milhão de visitas desde que o criei . Que centenas de amigos meus me visitam e que tendo eu cargos de responsabilidade jamais me poderia dar ao luxo de  mudar a minha foto ou identidade . Para não falar nos conhecidos da minha mulher , para quem isso deveria parecer loucura . Seria algo que me iria descredibilizar para sempre , para além de ser punível por lei . Não sou de me exibir e de encher o meu blog de fotos , até porque a minha situação privada e profissional não mo permite . Mas as fotos que aqui coloquei e que amigos aqui colocaram são minhas . Assim como nunca alterei a minha verdadeira identidade , jamais iria alterar a minha imagem e pior que isso não poderia . O meu blog é visto todos os dias por amigos , que me internariam , se eu sequer ousasse mudar de fisionomia . Acho piada , que parece que algumas pessoas ainda acham que a net é um domínio de ninguém onde qualquer um usa imagem e identidade que quer . Não é o meu caso , eu e dada a visibilidade do meu blog tanto para amigos e mestres, jamais o poderia fazer, seria um absurdo impensável, mas ainda que o meu blog fosse um mero diário virtual , sem visibilidade alguma , ainda assim eu não o faria . Isto porque aprendi que jamais se deve deixar de honrar a nossa própria identidade e imagem . Eu tenho orgulho de quem sou , de onde venho , de para onde vou e nunca trocaria isso por nada . Nasci assim tal como podem ver , loiro , de cabelo indomável e de olhos de um azul esquisito . Mas se tivesse nascido , preto , índio , moreno , cigano , aleijado , fosse como fosse , jamais ocultaria esse facto . "Vender" uma imagem falsa seria não ter identidade. Já fiz muita coisa na vida , até modelo publicitário de uma agência americana eu fui e tudo o que fiz foi com dignidade . Se gostam do meu rosto ou não , isso já é assunto de cada um . Agora não posso afirmar que tenho outro , para incentivar fantasias ou para dar base a teorias que me ultrapassam . Sempre fui eu mesmo e a pior coisa que me podem fazer é colocar em causa aquilo que sou , eu não sou palhaço , e detesto sequer imaginar que alguém possa pensar isso de mim . Irrita-me . Eu começo a achar que sou como um slogan publicitário :

- Não sou comida , mas dou água na boca

- Não sou placa publicitária , mas chamo a atenção .

- Nunca me perdi, mas insistem em procurar-me

- Não sou musica , mas lá que me dão musica , lá isso dão .

- Não sou droga , mas lá que deixo uma tremenda panca , parece que sim

 - Não sou cerveja , mas acho que embriago pensamentos .

- Também não sou Red Bull- mas dou asas a muitas imaginações .

E para quem neste momento já está a rir-se ou a julgar-me mal , devo dizer que não sou convencido , sou realista .

O que desenvolvo aqui , neste blog é um trabalho sério . Não tenho tempo de sobra para jogar fora na net a brincar .

Para além de deixar aqui experiências minhas , passo aqui também as mensagens que acho que podem apoiar e formar pessoas .

Sou Mestre e até aqui sempre me orgulhei de tentar formar mais e melhor .

E que porcaria de Mestre seria eu , se os meu discípulos entrassem aqui e vissem que o Mestre andava a brincar, usando a imagem de outra pessoa qualquer .

Ou que credibilidade teria eu perante amigos e colaboradores se o fizesse ?

Já para não falar do pratinho que isso seria para os meus inimigos , esses iriam deitar e rolar com a situação .

Este blog já andou em várias rádios , na TV e até hoje ninguém teve e nem terá nada a apontar-me .

O que faço na minha vida publica é límpido .

Não tenho rabos presos com nada e nem com ninguém .

Deixo a todos um grande abraço e para aqueles que me dizem asneiras , deixo um pedido . Pensem primeiro , não custa nada .

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:28

Globalização - Pedido de pizza em 2019

Quinta-feira, 17.01.13

- Telefonista: TelePizza, boa noite!

 - Cliente: Boa noite, quero encomendar Pizzas...

 - Telefonista: Pode-me dar o seu NIN?

 - Cliente: Sim, o meu Número de Identificação Nacional é o 6102 1993 8456 5463 2107.

 - Telefonista: Obrigada, Sr. Lacerda. O seu endereço é na Avenida Paes de Barros, 19, Apartamento 11, e o número do seu telefone é o 215494236, certo? O telefone do seu escritório na Liberty Seguros, é o 21 574 52 30 e o seu telemóvel é o 96 266 25 66, correcto?

 - Cliente: Como é que conseguiu todas essas informações?

 - Telefonista: Porque estamos ligados em rede ao Grande Sistema Central.

 - Cliente: Ah, sim, é verdade! Quero encomendar duas Pizzas: uma Quatro Queijos e outra Calabresa...

 - Telefonista: Talvez não seja boa ideia...

 - Cliente: O quê...?

 - Telefonista: Consta na sua ficha médica que o senhor sofre de hipertensão e tem a taxa de colesterol muito alta. Além disso, o seu seguro de vida proíbe categoricamente escolhas perigosas para a saúde.

 - Cliente: Claro! Tem razão! O que é que sugere?

 - Telefonista: Por que é que não experimenta a nossa Pizza Superlight, com Tofu e Rabanetes? O senhor vai adorar!

 - Cliente: Como é que sabe que vou adorar?

 - Telefonista: O senhor consultou a página 'Receitas Gulosas com Soja' da Biblioteca Municipal, no dia 15 de Janeiro, às 14:27 e permaneceu ligado à rede durante 39 minutos. Daí a minha sugestão...

 - Cliente: Ok, está bem! Mande-me então duas Pizzas tamanho familiar!

 - Telefonista: É a escolha certa para o senhor, a sua esposa e os vossos quatro filhos, pode ter a certeza.

 - Cliente: Quanto é?

 - Telefonista: São 49,99.

 - Cliente: Quer o número do meu Cartão de Crédito?

 - Telefonista: Lamento, mas o senhor vai ter que pagar em dinheiro. O limite do seu Cartão de Crédito foi ultrapassado.

 - Cliente: Tudo bem. Posso ir ao Multibanco levantar dinheiro antes que chegue a Pizza.

 - Telefonista: Duvido que consiga. A sua Conta de Depósito à Ordem está com o saldo negativo.

 - Cliente: Meta-se na sua vida! Mande-me as Pizzas que eu arranjo o dinheiro. Quando é que entregam?

 - Telefonista: Estamos um pouco atrasados. Serão entregues em 45 minutos. Se estiver com muita pressa pode vir buscá-las, se bem que transportar duas Pizzas na moto, não é lá muito aconselhável. Além de ser perigoso...

 - Cliente: Mas que história é essa? Como é que sabe que eu vou de moto?

 - Telefonista: Peço desculpa, mas reparei aqui que não pagou as últimas prestações do carro e ele foi penhorado. Mas a sua moto está paga e então, pensei que fosse utilizá-la.

 - Cliente: F********.......!!!!!!!!!

 - Telefonista: Gostaria de pedir-lhe para não ser mal educado... Não se esqueça de que já foi condenado em Julho de 2006 por desacato em público a um Agente da Autoridade

 - Cliente: (Silêncio).

 - Telefonista: Mais alguma coisa?

 - Cliente: Não. É só isso... Não. Espere... Não se esqueça dos 2 litros de

 Coca-Cola que constam na promoção.

 - Telefonista: O regulamento da nossa promoção, conforme citado no artigo 095423/12, proíbe a venda de bebidas com açúcar a pessoas diabéticas...

 - Cliente: Aaaaaaaahhhhhhhh!!!!!!!!!!! Vou atirar-me pela janela!!!!!

 - Telefonista: E torcer um pé? O senhor mora no rés-do-chão...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 12:23

Reunião Fora de Horas

Terça-feira, 15.01.13

Uma noite igual a tantas outras . Depois de um dia cansativo , a noite avizinha-se igual, longa ,  e quase dolorosa para quem como eu tem uma enxaqueca monumental . Saio de casa com extrema má vontade, com uma tremenda tentação de mergulhar na minha caminha quente e esquecer tudo .Chego à sala de reuniões , o espaço é amplo, junto à enorme mesa central a maior parte das cadeiras ainda estão vazias . Fico furioso por verificar que como sempre há atrasos e a coisa se vai arrastar. Os participantes vão chegando a pouco e pouco , seguem-se os habituais cumprimentos , conversas de ocasião e o tempo passa. Para mitigar a minha irritação foco a minha atenção no enorme arranjo floral que enfeita a mesa . As rosas de um vermelho púrpura parecem orladas de veludo e sobressaem de forma forte contra a cor escura dos moveis circundantes . Os meus olhos passeiam-se pelo tecto ricamente decorado com pesadas flores de lis douradas. Olho os cortinados azuis , que cerram as janelas onde a noite se mostra raiada de estrelas. Ouço o som da garrafa de champanhe que se abre e penso :- Caramba , um aniversário , só me faltava essa . A minha cabeça dói , uma dor seca , entre os olhos , que me faz sentir náuseas . Seguro a taça de champanhe que me colocam nas mãos . Ergo-a num brinde distraído, nem sei o que foi dito . Vagarosamente todos se sentam e apetece-me gritar, "despachem-se". Mas em vez disso , sorrio alheio. Fala-se muito , ouço vagamente frases soltas , deixo que a minha mente divague por coisas minhas . Deixo de ouvir o burburinho na sala, não ouço nada do que é dito , fico quieto . De repente tocam-me no ombro, um colega sorridente , pergunta , então assinamos?

Olho para ele de olhos perplexos , não sei o que ele quer dizer com aquilo , não sei o que devo ou não assinar . Não sei o que se discutiu, o que foi aprovado . Penso que sempre é possível ler antes de assinar , mas reparo no enorme monte de folhas que me estendem . A dor de cabeça é aguda , irritante , sinto-me desconfortável , não consigo ler aquilo tudo . Pego na caneta que me estendem e assino . Aperto mãos que se estendem , quero sair dali . Quero dormir . No dia seguinte a dor passou e vem o embaraço pelo mau trabalho da noite anterior . Um dos presentes na reunião liga-me e diz entusiasmado : - Excelente trabalho o de ontem ...

Não arrisco comentar , falo um pouco e desligo .

Sento-me e mando SMS ao único amigo a quem ousaria confidenciar a minha falta de empenho .

O SMS sai simples e directo " M... não sei o que assinamos ontem".

Minutos depois a resposta : " Deixa lá , a minha namorada diz que para a porcaria que andamos a fazer, nem vale a pena lembrar-te o que assinamos".

Mais tarde com calma , li o que assinei e estava tudo certo e bem resolvido .

Há sempre quem goste de me assustar ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 14:44

Passado

Segunda-feira, 14.01.13

Fui na verdade um homem de muitas mulheres,era assediado e aproveitava-me disso para ter quem eu queria e quando queria . Não amava , era impossível amar aquele entra e sai de mulheres na minha vida . Evidentemente por vezes acontecia-me apaixonar também , mas eram paixões fugazes , de momento . O passar do tempo trouxe-me mais maturidade e por conseguinte mais capacidade de entrega . Abandonei e fui abandonado também , tive pessoas que eu amei e me deixaram e pessoas que me amavam e eu abandonei . Mas hoje gostava de me focar especialmente nas poucas que eu amei e partiram . E a essas hoje eu agradeço o terem saído da minha vida , infelizmente por não terem sabido valorizar o amor que lhes dei . Talvez eu não tenha sabido demonstrar ou elas não tivessem sabido reconhecer , não importa mais . Agradeço as palavras duras , as horas em que precisei e simplesmente não estiveram lá , os momentos de extrema decepção , porque foi com tudo isso que eu cresci , amadureci e aprendi a dar valor a quem prova amar-me de verdade . Foi sofrendo decepções que aprendi o valor que tem o verdadeiro amor , foi com todas as desilusões que aprendi a amar-me a mim mesmo também . Desejo que essas minhas ex , tenham encontrado em suas vidas alguém que as amasse muito e que as tenha ensinado a amar também . Não lhes desejo mal , não lhes desejo que passem nem um décimo daquilo que por minha vez passei . Espero que tenham crescido e se tenham transformado em mulheres de verdade , porque amar uma mulher que insiste em ser criança , cansa . Nunca fechei a porta às pessoas que amei , todas ficaram com o meu numero de telefone, mas nunca aceitei reatar com ninguém . O que se quebra , já não se recupera e colado fica inestético e feio . Neste momento sou um homem feliz , realizado , calmo , e as minhas ex são apenas marcas deixadas na minha história . Apenas mais uma referência , um aprendizado , um momento que se foi .

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 14:35

Pedaço da Minha Alma

Domingo, 13.01.13

Há um lugar no fundo da minha alma que se torna infinito perante a verdade da vida, um local só meu , privado, que não abro a ninguém . Há um lugar infinito, onde eu sou quem sou , para lá de convenções sociais, de aparência , de responsabilidade, de sonhos ou fantasias . Há um lugar onde sou predador e sou presa , onde sou derrota e vitória , onde sou tristeza e alegria . Há um lugar infinito , onde tudo e nada foi dito , onde o presente se enlaça nas linhas ainda  vivas do passado . Há um lugar na minha alma , onde é suposta a calma, onde é suposto o equilíbrio , onde me encontro e desencontro ao sabor das emoções . Há um lugar em mim mesmo , em que existe uma fronteira entre sonho e realidade , entre amor e saudade , entre o que foi e o que é , entre o que partiu e o que ficou , há um lugar na minha alma, em que a vida se escondeu , num momento que passou . Sinto-me perdido, nas encruzilhadas do destino , nas vielas dos sonhos perdidos , na soleira da porta da mágoa que aqui fez morada, sinto-me inquieto e sem bússola , envolto nas ondas de espuma , que singram selvaticamente sobre a proa do meu navio , onde as esperanças se afogam e ficam vogando à deriva . Mas há um lugar da minha alma , inacessível , onde brilha a paz das certezas adquiridas , das verdades imutáveis , do conhecimento absoluto , onde se espraia a luz do saber real , um pedaço da minha alma , só meu , onde existe um oásis de paz,no meio da turbulência exterior . Há um pedaço da minha alma , que zelo , preencho , cultivo , guardo e não exponho , não abro , não permito invasões , um pedaço da minha alma pura , simples , sem subterfúgios , lutas ou ambições, um pedaço de alma que se ilumina como fé entre os ateus , um pedaço de céu interior , onde sou um supremo Deus .

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 12:32

Anjo de Luz

Sexta-feira, 11.01.13

Há um anjo de luz na minha vida, que ultrapassa as fronteiras do espaço

e corre solto sobre a minha incauta alma .

Há um anjo de luz na minha vida , que guarda segredos imemoriais

que sabe de mim coisas que nem eu sei, que se me alimenta de esperança

e me aquece o frio , com que o cinza do tempo me embrulha .

Há um ano de luz na minha vida , que foge do comum dos anjos

que se passeia pela minha existência, ao seu belo prazer

deixando no meu coração uma réstia de luz .

Há um anjo de luz na minha vida , que me segura a mão

e caminha comigo

como se parte de mim fosse , parte de um passado

que eu relembro a cada passo.

Há um anjo de luz na minha vida

que me segura num abraço intemporal

me afasta o medo

me faz nascer o sorriso

quando a minha alegria parece ter já desaparecido .

Há um ano de luz na minha vida

que eu sinto caminhar ao meu lado

que está presente em mim

um anjo da guarda sem limites de tempo e espaço

que não tem principio nem fim ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 16:57

A Fuga do Café

Quinta-feira, 10.01.13

Às  vezes acontecem-me coisas que ficam na memória e me trazem um certo sorriso aos olhos e à alma ...

Uma tarde comum , como todas as minhas tardes, saio do meu carro mesmo em frente ao edifício onde está o meu escritório . Uma tarde chata , cinza, pesada , em que as árvores despidas agitam os ramos nus sob uma ligeira brisa fria . Visto calças azuis , camisa castanha, uso no pescoço um cachecol de seda bege e sobre a camisa um casaco preto . Entro no edifício apressado , a aragem fria não convida a ficar na rua , na recepção a miúda que todos os dias está impecavelmente vestida , penteada e maquiada , cumprimenta-me e sorri como sempre . O cheiro do seu perfume é doce e intenso , aspiro-o deliciado , mas quase não a vejo . Ela está sempre ali , para mim é como uma certeza absoluta , ela está ali. Entro no elevador já perfumado por quem subiu antes de mim, olho para o espelho gigante que cobre uma parede do elevador, vejo divertido que o meu cabelo voltou a estar todo espetado . Esse sempre foi o terror da minha mãe , ela queria que o meu cabelo ficasse bem penteado, mas ele tem vontade própria e deixa-me com um ar rebelde que me diverte . O elevador pára, saio para o corredor bem aquecido , os meus passos não fazem ruído sobre a espessa carpete que se estende pelo chão . Das portas fechadas dos gabinetes chega-me o som de teclados , de toques de telefone , de conversas e de risos . Caminho até ao meu gabinete , abro a porta e uma onda de ar quente acolhe-me . Já me tinham ligado o ar condicionado, a minha música preferida tocava baixinho , sobre a minha mesa, as pastas alinhavam-se impecavelmente arrumadas . Olho em volta e apesar do calor ambiente , sinto frio . O gabinete é enorme , o chão de mármore branca faz lembrar a gélida neve . Uma das paredes está coberta por um espelho que a tapa completamente , olho-o e ele reflecte um homem despenteado , que parece entediado e cansado . Acendo o pesado lustre que fica ao centro do tecto, a luz intensa que se espalha parece aquecer o ambiente . Abro as pesadas cortinas de veludo que tapam uma imensa janela , mas não há sol algum para iluminar essa tarde . Torno a cerrar a cortina , prefiro o lustre que imita a luz do sol . Nem abro a varanda para ver as minhas plantas , sinto frio , quero ficar quieto . Uma ligeira pancada na porta tira-me desse marasmo , mando que entre .

O Paulo entra efusivamente na sala, dá-me o abraço apertado de todos os dias .

-Não te ouvi chegar ...

Rio-me .

Convido-o para um café quentinho , que aceita de imediato. Peço pelo telefone dois cafés com natas e canela, enquanto esperamos falamos de banalidades .

Conhecemo-nos tão bem , que nem precisamos falar para nos entendermos .

O café chega pela mão de uma funcionária extremamente bonita. Capto o olhar do Paulo sobre ela , vejo como ele olha atentamente cada gesto , cada traço e sorrio , ele capta o meu sorriso e cora , meio divertido , meio atrapalhado . Ela sai e bebemos o café tranquilamente , enquanto olhamos no jornal as cotações do dia .

Ele sai para o seu gabinete e torno a ficar só . Sinceramente não me apetece trabalhar , mas há coisas que são urgentes . Ligo o PC e aguardo que a net ligue também . Muito rapidamente tudo está operacional . Abro pastas necessárias ao trabalho e quase por impulso ligo o MSN . Sei que me vai distrair , mas não tento contrariar o impulso . Vou trabalhando e falando, sempre consegui essa proeza . Há conversas que de repente se tornam intimistas , que mexem com sentimentos . Trabalhar assim fica difícil , peço mais um café. Quando ele chega , tomo-o mesmo em frente ao PC . O meu olhar está absorto no monitor , sem querer o meu braço toca numa coluna de som e o café cai-me todo em cima . A primeira reacção é de irritação . O cachecol , a camisa e o casaco ficam cheios de café .Como é que uma chaveninha tão pequena pode conter café suficiente para sujar tanto . Sinto a camisa molhada no peito, ainda quente , mas sei que vai arrefecer . Ligo para a recepção e peço o motorista . Avisam-me que não está , que está na rua a trabalho . Deixo recado para que suba mal chegue . A camisa incomoda-me assim molhada , fico mais um pouco a conversar no MSN , o trabalho fica de lado . A conversa fica interessante , os meus sentidos prendem-se ali . Deixo de sentir o frio da camisa molhada , o meu pensamento voa para outras paragens . O tempo passa e nem me dou conta . De repente batem na porta , o motorista entra apressado e exclama :- Como o Senhor está!! Já está assim há muito tempo? Vamos já para casa para o senhor mudar de roupa .

O meu pensamento vagueia tão longe que mal me apercebo daquilo que é dito .

Ele coloca-me a gabardine sobre os ombros e gentilmente toca-me para que me levante e saia .

Digito rapidamente no PC : - Tenho que ir .

Do outro lado vem a resposta. - É tão cedo , porque foges?

Vejo que o motorista por trás de mim , lê aquilo que apareceu escrito e disfarça atrapalhado.

Desligo o PC e rio para mim mesmo . Parece de facto uma fuga , mas na verdade fujo da roupa fria e manchada de café .

Desço no elevador e olho no espelho a minha figura lamentável , com a roupa manchada .

Ainda no elevador visto a gabardine para que não se veja o estrago na roupa.

Ao sair a recepcionista olha-me e comenta: - Vai já sair Dr.? Está tudo bem ?

Sorrio-lhe e digo que sim . Saio e entro no carro que já me espera de porta aberta .

Coloco um CD de música clássica e fecho os olhos . O motorista respeita o meu silêncio e fica calado . Acho que adormeci e acordei com o ruído dos portões da quinta que se abrem . O carro entra e fecham-se de imediato . Saio do carro e sou acolhido em festa pelos meus cães. Entro no salão pelo jardim , a casa está calma , tranquila , a TV está ligada sem som , as minhas revistas e jornais estão arrumadas ao lado do sofá . Ninguém está em casa , a empregada deve ter ido às compras e ao longe ouço a voz familiar do marido dela a falar com os cães .

Vou para o banho e deixo que a água quente me aqueça e lave o cheiro a café .

Na minha cabeça ecoa ainda a frase : - Porque foges???

É mais uma tarde na minha vida...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:19


Pág. 1/2





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes



subscrever feeds