Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Obrigado amigo

Domingo, 26.06.16

Ser amigo

Olá Gonçalo

Esperei uns dias para te responder como você merece.

Porque um amigo como você não merece um simples obrigado.

Ter amigos é bom , mas ter amigos como você é uma honra.

Porque você sabe ser amigo e sabe que amigo não é palavra que se usa com qualquer um.

Agradeço o seu carinho , a sua amizade e o seu apoio sempre presente.

Guardo em meu coração momentos únicos de que você faz parte.

Admiro o seu coração honrado e terno , admiro a sua forma de ser e agir.

Raramente passa neste mundo alguém com sua ternura , seu carinho e sobretudo sua verdade de amor.

Meu amigo querido de olhar tão sincero e limpo que sua alma se vê plena e pura.

Meu amigo terno que se magoa tão facilmente e ao mesmo tempo tem um dom de perdão como nunca conheci.

Meu querido amigo terno , leal , de coração de menino e alma de um homem que se agiganta na sua essência.

Meu amigo querido , com uma caminhada tão dolorosa , com uma saúde tão frágil , com dores tão profundas e ao mesmo tempo tão capaz de dar e acreditar.

Meu amigo querido de sorriso feliz de criança , que apesar da dor , acredita ainda na vida , no mundo , nos seus pequenos grandes sonhos.

Meu amigo querido tenho na sua amizade um tesouro que poucas pessoas conseguem ter.

Obrigado meu querido pelas suas palavras , pela sua preocupação diária , pela ternura com que todos os dias me fala , me dá alegria e um sorriso.

Meu amigo , obrigado pela sua amizade sempre presente e pelo seu carinho inigualável.

Um abraço bem apertado.

Adoro você!

Texto de Edson Celulari  "https://www.facebook.com/Edson-Celulari-575199385854086/"

Edição de Pedro Lyon de Castro

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 18:03

Há dias...

Terça-feira, 21.06.16

Edson-Celulari-diagnostado-com-Cancro.jpg

Pergunto-me porque é que a vida é assim?

Porque é que pessoas boas , tranquilas , que trazem paz a quem com elas convive têm que passar por coisas destas.

Entramos numa Era que não entendo , feita de pessoas insensíveis ao sentimento do outro , centradas no seu umbigo , nas suas pequenas ou grandes certezas , nos seus Eus primários.

Eu não sou um exemplo para ninguém , tenho falhas e cometo erros como todos , mas não consigo vestir-me de egoísmo ou centralizar o meu Eu .

Não sou pessoa de "vontades" , aprendi acho que atempadamente que estou mais para servir do que para ser servido.

Ainda hoje guardo em mim a Oração maravilhosa que era a prece de S. Francisco de Assis.

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida eterna.

Sei que não consigo ser tudo isso , mas procuro nortear a minha vida por ai.

Tem horas que me sinto como Santo António pregando aos peixes , eles não ouvem e nem fazem.

Quem trabalha comigo diariamente sabe do meu feitio estourado , mas sabe também que não sou injusto com ninguém.

Que a minha vontade não prevalece , que eu estou atento a todos e a tudo , que me sobrecarrego para não o fazer a ninguém.

Não que isto tenha mérito , não tem , apenas estou a fazer aquilo em que acredito e para o qual fui educado. Só sinto pena de não conseguir passar nada a ninguém.

E ao ver a notícia da doença do Édson sinto-me profundamente triste e cansado de uma vida que teima em dar-me dor.

Fico triste ao ver que por mais que eu dê um sorriso à vida , me doe aos outros , tente viver consoante regras de amor , ela continua a passar-me rasteiras e a surpreender-me da pior forma.

E eu peço pouco à vida , queria saúde , compreensão , paz e não ter que ver mais ninguém partir.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 19:18





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes



subscrever feeds