Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Fantasmas

Quarta-feira, 27.01.10

 

Às vezes o passado volta, lento, seguro do seu lugar.

Frio como asas do sonho, esquecido, como quem demorou a chegar.

Às vezes o passado vem de uma bruma cinza , perdida no meio do medo, vindo da noite dos tempos , qual fantasma , que nos arrepia a alma.

Às vezes o passado vem , quando não se espera, quando é apenas passado , esquecido , arrumado , nas gavetas poeirentas da memória.

Às vezes o passado vem , quando já nem existe , é poeira , esquecimento , história.

Às vezes o passado vem, de um limbo qualquer, de uma dor já perdida , de algo perdido no tempo e no espaço.

Às vezes o passado vem , quando é tristeza , quando é cansaço, porque o passado é morte , é desencanto, são sonhos enterrados, em jardins destroçados, gritos lancinantes que não se soltaram , lágrimas perdidas que cristalizaram.

Às vezes o passado vem , quando já não importa , quando não desejado , porque o futuro é a vida e o passado... é apenas passado...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 23:54


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes



subscrever feeds