Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Sondar a Alma

Terça-feira, 04.05.10
Perdoa-me amor
Por tanta vez fazer e dizer o que não quero
ou o que não deveria.
Perdoa-me amor
pelo desespero que às vezes me toma
e me leva a actos impensados.
Perdoa-me amor por dizer às vezes
palavras que te ferem.
Perdeoa-me meu amor pelo modo como vejo o mundo
e vendo o mundo
tantas vezes não te vejo.
Perdoa-me amor por pensar pouco
por querer ser tão correcto
e errar tanto
por ser tão rápido a julgar
e ser tão fraco.
Perdoa-me por apenas ver erros alheios
e persistir nos meus
por tentar corrigir os outros
e não ser capaz de me corrigir a mim.
Perdoa-me amor
por todos os erros que já cometi
e que ainda cometo
e por amando-te com loucura
sem querer me perder num erro tão óbvio.
Perdoa-me por ser tão egoísta
que só penso em mim
e tão sincero
quando deveria tentar mentir.
Perdoa-me por estar sempre do lado certo
na teoria
mas tão perdido na prática
por ser tão corrigido
e nunca aprender com o erro.
Perdoa-me amor
por me afundar na mágoa
e tanta vez afundar-te comigo
por me fechar e calar
e de repente sentir-me apenas só
quando sempre estas comigo.
Perdoa-me amor por não desabafar contigo os meus medos
e por ouvir pessoas
que me afastam do caminho
e por ver em todos um amigo.
Perdoa-me amor por não ser sensato
por não me amar tanto
que me proteja
e por me enganar a mim mesmo
quando penso que não te magoarei.
perdoa-me amor
pela minha dor
que me torna frio e duro
pelo sorriso roubado à lágrima
e pela máscara com que enfrento o mundo.
Perdoa-me amor
quando te nego um sorriso verdadeiro
quando tudo ao meu redor de repente é um caos.
Perdoa-me amor
pela injustiça dos meus actos
por não valorizar como deveria
todo o amor que me rodeia.
Perdoa-me amor
por esquecer o teu sorriso
por ser cheio de mim
e algumas vezes ser calculista.
perdoa-me amor
por esconder coisas que não podia
por não admitir os meus erros.
Perdoa-me amor
por eu querer paz no mundo
e esquecer a nossa paz
perdoa-me amor
por eu esquecer tanta vez
que te devo a vida
e por descer tanta vez
a escada do erro.
Perdoa-me amor
pelas vezes em que não te entendi
e pelas vezes em que não soube fugir do erro.
Mas meu amor
apesar da minha fragilidade
que eu não atrapalhe a nossa vida
a nossa felicidade.
Perdoa-me pelas lágrimas tão escusadas
e pelas vezes em que coloco em causa um amor  tão especial
que é a razão da minha existencia.
Perdoa-me
que apesar de seres a minha luz
eu insista às vezes em mergulhar nas trevas
deixando quieto o amplexo do teu amor.
E embora sabendo que tenho o teu amor eterno
espero um dia
merecer também o teu Perdão.
 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 22:46


2 comentários

De valquiria a 05.05.2010 às 20:38

Boa noite Gonçalo!!!A nobresa esta em que pedi perdão porem mais nobre de  quem perdoa.Gonçalo,seu texto nos da um parâmetro de comportamento regido dos fatos  que gerou  seu pedido de perdão.Tera um desfecho  feliz (o perdão)porque o amor de vocês é eterno.
Beijos com carinho

De Paulo Ribeiro a 06.05.2010 às 22:53

Às vezes o termo perdoar não se aplica, deveríamos apenas pedir que nos entendam.
Viver junto é um aprendizado diário , uma entrega total de dois seres que no entanto têm que manter as suas personalidades distintas.
Viver junto com maturidade é compreender que o outro jamais será como sonhamos , mas compreender que também não somos como o outro sonhou e ter a capacidade de juntos , tornar a vida , não um sonho porque isso é mera utopia , mas sim uma escalada diária de crescimento e de entendimento.
Que o Pai os abençoe.

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes