Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Metade

Sábado, 22.05.10

 

Perco-me nas madrugadas desertas, no sussurro do mar , que desliza pelo teu seio,

perco-me nos segredos da madrugada , nas fontes secretas, dos escondidos jardins.

Perco-me nas ondas da tempestade dos teus beijos, no sabor a hortelã agreste que exalas

no meio de trilhos escondidos , de armadilhas secretas , que eu sei descobrir.

Perco-me nas brumas de um amor tão vivido, tão esperado e intenso, sonhado e sentido.

Perco-me no norte do teu ser , que descubro a cada dia , no sol que é o teu sorriso e no teu sereno ocaso.

Perco-me nos meus sonhos esquecidos , perco-me na luz das violetas que perfuma o teu cabelo

na luz encantada da lua , que nasce no arco-íris do teu olhar.

Perco-me em sentidos desconhecidos , em odores quentes e enlouquecedores , em horas de insana paixão

em abraços torturados , em dias tão adormecidos , no embalo de beijos trocados, em murmúrios sussurrados

num climax de ternura.

Perco-me na imensidão do teu abraço , no oceano do teu amor , onde afogo o meu cansaço

onde sinto o sonho florescer , acordar do marasmo das noites sem estrelas

de outros amores , que foram fantasmas , e hoje me arrepiam a pele de frio e solidão

e só a ti me entrego , como menino perdido , fugindo de imagens esquecidas , perdido , pedindo abrigo.

És a luz dos meus passos , que ecoam em noites da alma , em dias cinza , pesados

em que a dor se multiplica por cada gesto, em cada palavra, em cada sorriso esboçado

em cada amanhecer desejado , depois de noite inclemente e escura

sou viajante perdido , ser de outras estrelas , de luas cândidas e serenas, de vidas paralelas

de outras multiplas realidades , sou viajante do sonho , da fé e da alvorada

que te procurou perdido , em realidades opostas, em situações já esquecidas

em mil estrelas fulgurantes , em rotas desconhecidas ,

em infinitas possibilidades de outras vidas além , onde o azul se acaba

onde começa a magia , sem ti eu me perdia, sem cor ou realidade

mas descobri-te por fim , e hoje estou completo , vivo feliz e desperto

uma sombra do que fui , quando um dia me perdi, para descobrir finalmente

que sem ti , infelizmente , eu seria somente , uma metade de mim...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 17:21


1 comentário

De valquiria a 23.05.2010 às 17:54

Boa tarde Gonçalo!!!Lindo!!!Realmente a texto que leio ,chego a conclusão que és um  ser especial aqui na terra.Sempre em suas palvras trazendo amor,simplicidade do ser,serenidade,sentimentos maravilhoso que amr querido.Que sua vida e da Maria  seja cada dia mais maravilhoso,com este lindo amor entre vocês.
Beijos com carinho

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes