Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Brumas do Pensamento

Quinta-feira, 27.01.11

Fico aqui sentado , sentindo que não vale a pena

que as almas não mudam , não há regresso

para o que se perdeu .

Mergulho dentro da bruma que um sorriso rasgou

e encontro de volta , ruelas sem sentido

avenidas em que enterrei um dia o meu melhor sorriso .

Perco-me em memórias de tempos idos

em sonhos de loucuras nunca concretizadas

em lembranças de dores que eu queria

que eu sentia , para sempre amortalhadas .

Procuro-me num vendaval de gosto triste

de sabor a um passado sufocante , doloroso

numa revolta aprisionada

no mais profundo da minha alma

apenas me perco ...

E o reencontro estava à distância de um abraço

tão perto de encontrar o azul

no cinza da minha alma

tão perto de desfazer lágrimas

no orvalho que salpica de diamantes

a rosa azul da memória .

E perco-me de novo nas brumas que ficaram

escondo-me da dor

no sorriso doce do esquecimento

e permaneço imutável

no silêncio de memórias perdidas

numa verdade que sendo só minha

nunca foi capaz de viver .

Perco-me , porque na realidade

é um caminho mais seguro

apenas perder- me ...

.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 15:13


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes



subscrever feeds