Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Crise

Quinta-feira, 24.03.11

Portugal raramente é notícia  de primeira página na imprensa internacional e hoje abriu as noticias de praticamente todo o Mundo , incluindo o Brasil que nos compara à Grécia . A crise é séria e estamos a braços com ela e cabe a nós Portugueses resolvermos o problema em que estamos metidos . Deixa-me espantado esta onda de greves que só anula o resto da economia que ainda gira em Portugal e pergunto a mim mesmo em que mundo vivem os sindicalistas que organizam estas mesmas greves . Será que não sabem que não adianta fazer greves , protestos , que a situação não vai mudar , simplesmente porque não há como . Portugal não tem dinheiro para fazer face às despesas normais do Pais e se hoje os partidos de esquerda se queixam da perda de benefícios por parte dos trabalhadores , ainda não se aperceberam do que na verdade nos espera . Não é o momento de fazer greves , de criar tensão social , de pedir benefícios , é altura de trabalhar em conjunto por um Pais em agonia económica . Não adianta colocar todas as culpas nos ombros do Engenheiro Sócrates , a crise começou em 74 , quando um movimento militar colocou fim ao regime governamental de então , sem ter uma visão real das coisas . A seguir ao 25 de Abril , com a lei da reforma agrária , com as leis comunistas , fomos descapitalizando e destruindo a economia de um Pais pequeno que subsistia praticamente da agricultura e das pescas . A agricultura , as grandes herdades foram colocadas nas mãos de pessoas incapazes de as gerir , o dinheiro desaparecia , não havia lei nem ordem e o caos foi crescendo . Vieram os difíceis anos  80 e depois a " salvação" pela mão da comunidade Europeia quando aderimos . Fizemos uma péssima descolonização , deixamos tudo de mão beijada como se fossemos uma potência rica , apenas para ganhar prestigio internacional e isso deve-se ao péssimo trabalho do Dr. Mário Soares . A adesão de Portugal à CEE dourou por uns anos a pobreza encoberta e a incompetência governamental do nosso Pais . Em troca do dinheiro com que os sucessivos governos de TODAS as cores políticas ganhavam eleições , desistimos da nossa pesca , fechamos todas as fabricas de conservas de pescado , abrimos mão da produção de leite , de azeite , arrancou-se olival , vinha, recebemos para fazermos o que sabia melhor , a total inércia . Claro que o nosso Pais recebia subsídios para investir nos mais variados sectores , tendo a agricultura recebido imensos subsídios para implantar em Portugal novas culturas como beterraba , cártamo, algodão  etc... Mas esses subsídios não eram fiscalizados e assim sendo os agricultores tão empenhados em progredir a economia , optaram por investir em casas de férias no Algarve e em sustentar a amante e o carrinho topo de gama .  Ora um Pais que só recebe , nada faz para implantar uma economia auto - suficiente acaba por cair . É como uma casa em que os donos vivessem de doações para investirem e em vez disso gastassem simplesmente sem se importarem com acautelar o futuro , chega o momento que as doações cessam e se pedem contas do dinheiro investido e simplesmente nada há para gerir ou para permitir um futuro seguro. Assim fez o nosso Pais e agora simplesmente não temos recursos . Neste momento com a desconfiança dos mercados internacionais que mesmo a juros altíssimos podem decidir não nos emprestar mais nada , estamos perante cenários nada famosos . Primeiro estamos a um passo da banca rota declarada , ou seja a falência total dos bancos se não conseguirem capital estrangeiro e ai ninguém vai responder pelas poupanças dos portugueses , que perante a falência do sistema bancário , simplesmente perderão o que depositaram . Temos também o cenário da ajuda Internacional , que ao contrário do Engenheiro Sócrates eu não acredito que vai denegrir a boa imagem do Pais , simplesmente porque ela já não existe . Provavelmente iremos ter eleições para respeitar o sistema democrático , mas que ninguém se engane , mesmo que o PSD ganhe , ele para levar a cabo todas as reformas estruturais e profundas que são necessárias , vai precisar do acordo de todos os partidos . Um governo de consenso com o CDS , o próprio PS e até com os partidos à esquerda do PS . Todos têm que fazer um pacto de estabilidade que permita efectuar as profundas reformas que se tornam urgentes . E claro que o Dr. Passos Coelho não vai tirar coelhos de uma cartola inexistente , vai governar com o que há , tendo que tomar medidas muito duras também . Acredito que vá reduzir despesas de estado, certamente irá aumentar o IVA e espero sinceramente que mexa em todo o sistema de Segurança Social , o maior cancro da nossa economia . É urgente que sejam fiscalizadas todas as baixas , que não continue como até aqui , que até uma unha encravada dava baixa. Que fiscalizem a atribuição de subsídios de desemprego , para acabar com aquelas situações vergonhosas de pessoas que recebiam e trabalhavam ao mesmo tempo ou que trabalhavam só o tempo necessário para obter esse subsidio e depois permitiam-se viver dele sem qualquer intenção de procurar trabalho . E que se termine de uma vez com o subsidio de reinserção social , que foi uma catástrofe económica e um fiasco social , um subsidio que sustenta a pior parte da sociedade , aqueles que nunca trabalharam , e tenho que referir de novo a vergonha que é dar subsídios a ciganos , que enganam o Estado a torto e a direito , que recebem dois e três subsídios com identidades diferentes e todos os parasitas sociais que aprenderam a ser dependentes de subsídios como se o Estado tivesse que arcar com a sua preguiça . A Segurança Social deve contemplar somente com subsídios quem descontou para lá durante uma vida de trabalho e que parou por velhice ou por ter perdido o trabalho sem culpa. Ou ainda para aqueles que por nascerem deficientes nunca puderam trabalhar e têm direito a viver com dignidade . Todos os outros devem ser simplesmente banidos do sistema social . Quem quer usufruir tem que contribuir , e é da mais absoluta injustiça que meia dúzia trabalhe para sustentar a preguiça de uma dúzia . Nem sequer é viável em termos financeiros . Que se aumentem as propinas das faculdades e que o Estado deixe de subsidiar faculdades privadas , para que o numero de Doutores desça em Portugal , porque somos um Pais de Doutores de vistas estreitas . Doutores que saem da faculdade com um canudo e que depois se colocam à sua sombra como se o seu estatuto de doutor lhes desse justificação para não procurarem trabalho que não seja aquilo que estudaram . Temos a vergonha de doutores formados em privadas que saem das faculdades absolutamente inaptos para trabalhar . Simplesmente porque os cursos lhes foram dados de mão beijada. Voltemos a ter licenciados em numero controlado para quem seja possível dar emprego de verdade , para não termos um Pais de madraços e insatisfeitos ou de doutores fazendo a caixa dos centros comerciais, após anos de estudo inutil e sustentado pelo estado  . Aposte-se na formação profissional em vez de licenciaturas , que se formem jovens para trabalhar e não para baixar o numero dos inscritos nos Centros de Emprego. E sobretudo que todos tenhamos a capacidade de aceitar como inevitável a profunda austeridade que ai vem . É claro que os trabalhadores vão perder benefícios , vai acabar o 13º mês e mais umas quantas regalias , mas neste momento é impossível fazer diferente. E se não se aceitar isso , corre-se o risco de destabilizar completamente qualquer hipótese de reabilitar a economia . E que tenhamos em atenção que neste momento já será indiferente quem governa , qualquer que sejao governante, terá que tomar as mesmas medidas . Os partidos de esquerda queixam-se que o Estado sempre pede sacrifícios aos mesmos , a verdade é que o Estado tem que cortar nas contas de quem dele depende e de quem ele financia . Este é o erro de uma politica com benefícios a mais , com direitos a mais , e com nenhum sentido de dever pela parte do povo . Neste momento o dever é de todos e a bem ou a mal todos pagaremos a factura . Há que arregaçar as mangas e trabalhar em vez de exigir o que neste momento já é impossível de obter . Com a crise anunciada da Espanha , da Itália e da Bélgica, caminhamos para o colapso da zona Euro e para o fim de um sonho dourado. Estamos mais perto do que se pensa , de termos que unir todos os Países da zona Euro num só , criando um governo que faça a gerência de todos os Países , como se governasse um Pais constituído por muitos Estados. E isso seria perder a pouca soberania que nos resta . Que o Pais saiba unir-se sem convulsões sociais e lute por uma causa comum , mas que TODOS trabalhem , porque pagar impostos para outros nada fazerem é desmotivante e injusto . E apesar de tudo que nos reste a esperança de que amanhã é outro dia ...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 16:21


6 comentários

De Paulo Ribeiro a 25.03.2011 às 14:44

As crises nunca têm quem as assuma mas infelizmente sempre haverá quem as pague .
Desejo que impere a justiça , a igualdade e sobretudo uma vontade comunitária de mudar o que está mal .
Um abraço

De Miguel Ferreira a 25.03.2011 às 16:35

Quando se tem uma vida confortável é fácil falar de crise .
O pior é quando ela nos atinge como é o meu caso .

De Zé Povinho a 25.03.2011 às 16:40

E solução o Senhor tem?

De Luis Amaro a 25.03.2011 às 16:46

O Dr. Passos Coelho não vai saber governar . Ele está borrado de medo da crise politica que ele mesmo provocou , quando disse que não podia concordar com o Sócrates e agora já quer tomar as mesmas medidas .

De Olha a novidade a 25.03.2011 às 16:57


Doutor que tão bem fala da crise , se eu tivesse a maçonaria a dar-me mama e um maninho deputado como o Senhor tem e uma herança considerável , eu também fazia juízos sobre a crise .
Assim não falo , sinto-a

De Só Maria a 25.03.2011 às 17:05


Todos os doutores de colarinho branco falam tão bemmm

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes