Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



POESIA

Quinta-feira, 02.11.06

Eu queria fazer-te um poema

não daqueles escritos

por poetas de fama

que medem ao centímetro

cada palavra usada

Eu queria fazer-te um poema

daqueles poemas de amor

não daqueles conhecidos

famosos

estilizados

Eu queria fazer-te um poema

onde pudesse apenas dizer

o quanto te amo

Sem palavras rebuscadas

sem rimas forçadas

Eu queria fazer-te um poema

que falasse na luz

dos teus olhos

na textura aveludada

da tua pele

no sabor doce da tua boca

no aroma delicado

dos teus cabelos

Eu queria fazer-te um poema

de amor

de verdade

de vida

Mas como não sou poeta

desses poetas que escrevem

palavras que nunca sentiram

que proclamam verdades

que jamais viram

Eu digo simplesmente

que te amo

Não é preciso rimar

para fazer um poema

não se pode forçar a sentir,

um coração

Digo sem palavras cultas

sem frases medidas

sem palavras escolhidas

digo apenas que te amo

Não sou poeta de fama

só quero dizer-te que te amo

e para nós meu amor

a verdade

a realidade

a cumplicidade

o amor

não nasce nos versos medidos

de uma qualquer poesia

nasce na nossa entrega

enlouquecida

que alimenta em nós a chama

porque a nossa poesia meu amor

nasce todas as noites

na intimidade da nossa cama

, nasce a poesia de quem ama!!!

                   

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

Escrito por Gonçalo de Assis às 03:47


5 comentários

De Claudia Fonseca a 02.11.2006 às 10:48

Que lindo o teu texto de hoje. É sempre uma alegria entrar neste blog. Lindo realmente. Adorei sinceramente. Tu deves ser do tipo de homem que já não há. Daqueles como cantava o Roberto Carlos: Ainda mandas flores e chamas querida à namorada. Continua assim. Beijos

De Maria a 02.11.2006 às 11:15

Gonçalo vou fazer aqui aquilo que censuro nos outros. Vou usar este espaço sem ser para comentar o teu texto. Eu deixo sempre comentários malucos, como eu, mas hoje vou falar a sério. Fazes o favor de entrar no msn para conversarmos.Desculpa ocupar o teu espaço com isto. Mas ontem na net tu despachaste-me, as unicas palavras que dizias, era, sim, não, pois, está bem. Olha eu não sei o que se passa contigo mas fiquei e estou preocupada. Ainda mais que não tenho telefone nenhum teu por onde possa saber notícias. Tu és uma das poucas pessoas que andam na net e que realmente presta. A tua tristeza vai sendo maior cada vez que falamos. Fazes o favor de entrar no msn e vamos conversar. Não quero que desabafes comigo, mas que fales. Eu conto-te umas das minhas aventuras e tu ris. Pelo menos ris, homem. Que raio. De todos os meus contactos tu és o unico que presta, (ainda bem que eles não lêm o teu blog, hehehe) e eu estou mesmo preocupada. E olha que para eu me preocupar o assunto é grave. Eu não dormi quase nada , mas contra os meus hábitos, (o que eu não faço por um amigo fino e educado) vou entrar agora acompanhada de litros de café. Fazes o favor de entrar nesse msn e vamos falar nem que seja do tempo. Fico à tua espera. Se me bloqueaste estás fodido comigo que eu sei ver essa coisa. Aprendi ontem, hehehe. Beijos

De Andre a 02.11.2006 às 19:09

Oi meu. Continua um show o teu cantinho. Abraço. Continua assim

De Pedro Castro a 02.11.2006 às 22:39

Boa noite meu amigo. Lindos textos. Força sempre. Aquele abraço

De tiago mota a 13.02.2010 às 00:15

ola gosto muito deste poema eu também escrevo e quando nos toca no ponto uma pessoa só exprime as dores e sentimentos em palavras que as pessoas ao lerem apercebem-se do verdadeiro significado das palavras.. gostei muito

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes