Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O Valor das coisas é proporcional à importância dada

Quarta-feira, 30.10.13

 

Porque será que uma coisa que é problema para alguém , para outra pessoa parece algo tão simples? Depende daquilo que as pessoas consideram como importante . Para alguns , ter um carro topo de marca é essencial , para outros é mais importante estar com a família . Acontece tanta vez , alguém nos vir dizer que ficou muito nervoso com uma situação , quando para nós , aquilo não teria importância absolutamente nenhuma . E não entendemos como alguém gastou o seu tempo com algo tão banal . Se a pessoa se enervou com algo que aparentemente não importa , é porque para essa pessoa isso tem uma importância maior , do que aquela que nós daríamos . Conhece-se os valores íntimos de alguém , descobrindo as coisas a que essa pessoa dá importancia. Geralmente e porque o ser humano por muito que disfarce tem uma parte de si que é imperfeita , costumamos dar importância aquilo que não temos e quando temos , a coisa perde a importância que tinha , antes da posse . O valor das coisas é relativo , o valor da honestidade para um honesto , é ridicula para um desonesto . Sempre aprendi a conhecer-me sozinho , nunca gostei de crescer com base em experiencias alheias e aquilo que os outros acham que sabem ou aprenderam , para mim não são regras , embora respeite , claro . Geralmente os nossos problemas não são maiores nem menores que os dos outros , tudo o que afecte aquilo que se julga importante , é visto como um problema . E quando entendemos que não se vive só , que os nossos problemas não são o Centro do Universo , e mesmo quando percebemos que as pessoas não ligam aquilo que para nós parece ser tão grave , não significa que elas estejam erradas . Aquilo a que damos valor , não tem sempre importância para os outros , e não podemos esperar que a sua importância seja reconhecida . E quando nos deparamos com a inevitável pergunta, afinal o que é importante? É a corrente social quem decide e opina . Os nossos sentimentos mudam com o passar do tempo e o que toma maior importância na nossa vida , também . O que gera a empatia entre dois seres humanos é a sua igual qualificação de valores e prioridades. Com a experiencia de vida que tenho, chego à conclusão de que as coisas a que devemos dar importância na nossa vida , são realmente muito poucas . Infelizmente nas nossas vidas , damos valor a coisas que o não possuem ou não deveriam possuir . Imaginemos que compramos uma linda jóia . Trabalhamos para ela , gostamos dela , e de repente ela é roubada . Fica-se de mau humor , irritamo-nos , e afinal não passa da perda de uma coisa . Aquilo a que damos importância excessiva, toma importância demasiada .  Não quero com isto dizer que devemos ser frios , apenas devemos poupar energias para o que de facto vale a pena . Quando uma situação se torna tão importante para nós , é porque no nosso coração há um espaço e um eco para isso . Existe uma aceitação real desses valores . Devíamos para poupar a nossa energia vital , fazer um exame dos valores a que nos prendemos , porque por vezes temos valores tão mecanizados , que eles actuam como um filtro opaco , que turva a visão para aquilo que de facto é importante . Temos que policiar os nossos valores internos , porque eles determinam a importância que os diferentes acontecimentos ao nosso redor atingem . O caminho é dar importância aquilo que pode fazer mudar a nossa existencia , aquilo que mexeria nas bases da nossa vida se nos fosse dado ou tirado , e deixar para lá , aquilo que de facto não deve ter importância , ainda que todo o mundo diga o contrário . Porque somos nós a determinar os nossos próprios valores .

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:41


3 comentários

De valquiria a 31.10.2013 às 11:38

Bom dia Gonçalo!!!Seus textos nos fazem refletir.Sim,somos nos que determinamos nossos próprios valores.Hoje,as questões ligadas a vida,a etíca,a moral,aos valores exigem muita reflexão.Se não houver reflexão,caímos no dogmatismo ou não compreendemos a vida em sua essência.
Beijos com carinho!!

De Paulo Ribeiro a 31.10.2013 às 16:22

Boa tarde meu filho, a nossa sociedade anda colocando o peso certo nos valores errados . Não vejo ninguém dar valor por exemplo ao olhar carinhoso de um cão , ao abraço meigo de uma criança , ao olhar terno de um idoso . Mas dá-se valor ao telemóvel ultima geração , que uma semana depois já está obsoleto . Ontem , para exemplificar o distanciamento entre o homem e Deus, li ontem uma noticia vinda da Alemanha , que informa que o registo nesse País vai permitir registar crianças com sexo indefinido . Que eu saiba, Deus só criou duas opções , homem e mulher . Como se baptiza uma criança de sexo indefinido ? Tudo isto é lamentável . Um abraço para ti.

De Lindalva a 03.11.2013 às 13:27

Nos somos os donos, senhores do nosso caminhar meu amigo Gonçalo. Responsáveis únicos das nossas ações. O que chamamos de certo ou errado é o resultado do que nós mesmo operamos. Olá meu amigo demorei, mas venho hoje dá o ar da graça, deixar um abraço apertado e claro me deleitar com os teus escritos sempre tão bem colocados, que nos leva a uma reflexão. Aproveito meu querido para convidar o blogueiro Gonçalo para participar de mais uma brincadeirinha da minha Ilha, chama-se Natal Azul. Podendo, querendo aparece por lá ok? Um enorme beijo para tu e para doce Maria!

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes