Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



POETA

Sábado, 11.01.14

 

O poeta procura no tempo , um tempo em que só ele acredita. O poeta vê no tempo, o tempo que ninguém vê . Talvez os poetas sejam loucos ou louco seja o mundo que os não entende . Não se escolhe ser poeta , a poesia nasce na alma e jorra para o mundo sem que nada a detenha . O poeta vê estrelas onde os outros nada vêm ou nem se dão ao trabalho de olhar . O poeta é um ser diferente, daqueles que nascem sentindo as dores que mais ninguém entende e dando valor ao que mais ninguém dá . O poeta perde-se na noite das lembranças ou passeia na paisagem dos sonhos que ele mesmo inventou . O poeta é efémero como o voo de um pássaro e livre como o horizonte que se perde ao longe e que a nossa vista não consegue alcançar . Ser poeta é saber rir , saber chorar , saber esperar , aceitar e inventar . O poeta cria uma paleta imaginária e com ela retoca as cores do céu . O poeta grita verdades com um sorriso e inventa mundos que não abre paraninguém . O poeta tem uma alma com a alvura de uma rosa branca e com a inocência de uma criança que olha só o que a vida tem de belo . Ser poeta é ser capaz de abraçar o mundo , de abraçar a Natureza e ser capaz de ter a audácia de envolver Deus nesse seu abraço . Ser poeta é sonhar com um mundo melhor e acreditar que cada homem é capaz de dar um pouco de si , para um todo perfeito . Ser poeta é entender o valor de um sorriso e o peso de uma lágrima , é chorar sem sentir vergonha , porque são também poesia as lágrimas dos poetas . Ser poeta é sentir-se gigante , num pequenino e efémero instante , quando elevado nas suas rimas , o poeta se sente maior entre os seus , tão grande que chega a imaginar-se um deus . Mas ser poeta é sentir-se também pequenino , perdido nas encruzilhadas da vida , sem saber em que esquina virar , em que rua seguir , exausto , sedento de carinho . Ser poeta é ser gigante , ser sábio , ser coerente , mas ser poeta é também , ser menino , ser pequenino , ser um pingo de gente . O poeta cresce e agiganta-se nas suas verdades gritadas , nas suas penas passadas , porque é de penas que se faz a grandeza do poeta. Mas quando um dia , porque há sempre um dia , o poeta se cansa , o sonho termina, o dia cai e as nuvens da cor de chumbo , toldam e cerceiam a manhã primaveril do poeta, nesse dia o sonho morre e a alma do poeta cai em farrapos de uma fantasia morta . Nesse dia a natureza clama e Deus do seu Celestial aposento , solta de leve um lamento , porque até Deus lamenta , quando se perde um poeta . As fadas terminam as suas danças e tristes recolhem-se num silêncio pesado , que cheira a adeus e a morte. A chuva cai , escorre lentamente sobre a face pálida do poeta que já não sente, a natureza chora , e o vento grita num longo clamor " Hoje morreu um poeta". As rosas deixam cair as pétalas e os ribeiros choram no correr lento das suas mágoas , porque morreu um poeta . Então , quanto vale um poeta? Muito , dirão vocês , se até Deus o lamenta , se a natureza chora , se as águas deixam de cantar ... Nada , direi eu ... Um poeta não vale nada , é apenas um cristal bonito , um coração triste e cansado, que sempre acreditou que a sua missão era amar. Quem liga para um poeta, que passa a vida a sonhar?

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 20:41


4 comentários

De Sandrinha a 14.01.2014 às 10:30

Os poetas tem uma alma linda...capaz de nos fazer sonhar...nos leva para o mundo da imaginação...nos transporta para o lugar que é só dele..mais que acaba sendo nosso também quando conseguimos ter sensibilidade para sentir...eu amo poesias...e na minha adolescência...era a minha leitura preferida...eu adorava ir na livraria e comprar livros de poesia...isto não era muito normal naquela epoca na minha idade...mais quem disse que fui normal algum dia ?rsrs!adorei o texto!parabéns a você poeta..que escreve maravilhosamente bem.E a todos que passarem por aqui...um Abraço!com carinho...

De Carlos Oliveira a 15.01.2014 às 20:25


Boa noite Garoto
Ser poeta como disse a Lusa Florbela Espanca (é ser mais alto , é ser maior , é morder como quem beija , em suma , é ter asas de condor).
Ser poeta é tudo isso e vc é tudo isso e muito mais .
Você é um poeta muito especial , escreve muito bem e nos toca a alma . Obviamente que tem um grave problema ( é terrível aturar um poeta), e eu sei do que falo . Porque um poeta tem mil contradições , mil emoções e mil razões para cada acto . Ser poeta é ser muitos , num só . Mas quem tem o privilégio de viver com você , descobre que pode aprender muito e que você nos abre um mundo e um aprendizado que vai muito além daquilo que se possa imaginar . Aprendi e aprendo com você todos os dias , você montou e desmontou minhas razões e verdades tanta vez e me ensinou tanto , em tanta coisa, que eu acho que te devo um eterno obrigado .
E mudando de assunto , onde Anda a Val , a dignissima representante dos fãs e leitores deste blog?
Um forte abraço

De Maria Luisa Lima a 16.01.2014 às 17:59

Boa Tarde , Gonçalo . Não tenho intimidade consigo e não tenho blogs , nem sequer tenho net em casa . Tenho despesas mais prementes e mais urgentes , mas resolvi usar a net do meu trabalho para lhe dizer uma coisa . Eu não estou no Continente , vivo na Terceira e por mero acaso uma noite deste mês , numa sexta feira , ao passar junto a uma quinta de aspecto luxuoso e austero , vinha eu do meu trabalho , vi muito movimento e como toda a portuguesa , sou curiosa . Quando passamos , esztava um grupo de homens impecavelmente vestidos ao portão . Estranhei , porque aquilo está sempre fechado e nunca se vê quem para ali entra . Vi então esse grupo de homens e no meio deles , um homem loiro , de fato e gabardine cintada , com aspecto imperial . Eu não pararia , no entanto vinha com uma colega que reconheceu o Sr. das fotos aqui do Blog . E pediu para que eu parasse para o cumprimentar . Mal o fiz e note-se que éramos apenas duas mulheres , logo dois seguranças visivelmente armados nos barraram a passagem , com uma pergunta ríspida ; - Quem são vocês e o que querem daqui . Por mim não queria nada , mas a minha colega explicou e o segurança com visível irritação foi falar com o senhor . Vi que o senhor nos olhou às duas e murmurou algo ao seu segurança , que voltou ainda mais furioso e quase gritou : - Isto é propriedade particular , saiam daqui . Isso já não aceitei, que eu saiba , a estrada ainda é propriedade publica , e respondi de forma pouco simpática . Até que um estrangeiro de sotaque alemão , que ainda deve respirar nazismo , berrou numa furia doida que saíssemos dali . Aquilo era caricato , e o Sr que tanto prega aqui a igualdade , entrou no luxuoso carro que o esperava , onde um motorista fardado lhe abriu a porta . Entraram varias pessoas e os carros partiram em comitiva , levando na frente batedores de uma empresa de segurança . Não sei o que o Sr faz aqui , presumo que esteja de férias , eu vinha do meu trabalho , depois de um turno nocturno cansativo e parei porque a minha colega queria ser simpática . Desculpe , mas a forma fria como o Sr assistiu à forma agressiva como os seus seguranças nos afastaram dos carros luxuosos e daqueles senhores todos, perfumados e vestindo roupas de marca . Claro que eu destoava do seu fato Armani e do seu casaco cintado Armani , muito elegante, dos botões de punho com diamantes. Infelizmente o seu olhar frio e distante desmentiu tudo o que o Sr escreve aqui . Igualdade? Fraternidade? Não andamos a ler o mesmo dicionário .

De Lindalva a 20.01.2014 às 02:13

Só não ligarei se os créditos do celular acabarem Image brincadeiras a parte meu querido POETA Gonçalo um abraço e desejo de um transcorrer de ano novo com muitos sorrisos e hoje vim te fazer um convite - é um convite spam *risos*, mas como ainda tenho tantas casinhas a visitar não poderia deixar de ser diferente... Estou te convidando para participar das Bodas de Flores e Frutas da Ilha e minhas Bodas de Cristal nas ondas, posso contar com tua presença né? Beijos no coração, Luz e Paz!Image

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes