Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



POEMA

Quarta-feira, 17.01.07

Nos momentos de intimidade

de loucura

de procura

na insaciadade dos corpos

no abraço que tem magia

no calor do corpo amado

no suor que corre

na respiração que acelera

na minha língua

que descobre o sabor da tua pele

Na paixão dos nossos corpos

enlaçados

apertados

Gritos

gemidos

trocados

enleados

numa suave melodia

feita de desejo

prazer

desespero

na entrega forte

no forma como dominando

somos dominados

como na entrega

exigimos

como sendo possuídos

possuímos

Nessa entrega que é possessão

faz-se um poema

de amor

de carne

marcado a ferro

no coração

Assim se faz

poema

sedução

calor eterno

no inferno

da paixão

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:41


3 comentários

De Milú a 19.01.2007 às 17:52

Olá!

Poema maravilhoso, como sempre são os seus textos... Lembra-se do verdinho?Daquele simpático e sorridente boneco... pois, não é que o perdi? Fique bem...
Um beijo

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes