Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Não digas a ninguém

Sexta-feira, 27.04.07

 

Não digas a ninguém que te procuro

nas brumas da memória

que se perde na noite do tempo

Não digas a ninguém que te procuro

nas horas amargas de dor e de desalento

Não digas a ninguém que te procuro

no orvalho impregnado de odor

que a noite chorou

Não digas a ninguém que te procuro

quando cai o véu da tristeza

sobre os meus olhos cansados

não digas a ninguém que te procuro

por caminhos só nossos

nunca antes pisados

Não digas a ninguém que te procuro

ao cair da noite, uma noite doce

que cai de mansinho como uma oração

Não digas a ninguém que te procuro

porque é mentira

tu estás comigo

não te procuro

acho-te, no meu coração

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 19:17


1 comentário

De Valquiria a 27.04.2007 às 21:27

Esta simplismente lindo...Este poema e o mais puro e sensível ...Aquilo que vem de dentro da alma....Podemos dizer que é autentico hino ao "AMOR"é uma forma de agradecimento que ela faz na tua vida.O amor e tudo o que temos ,desde que nascemos.È o primeiro sentimentos que somos apresentados,logo que chegamos ao leito materno,e nossa vida e o prosseguimento disto sempre estaremos como amor em nosso coração.

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes