Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Ao Anoitecer

Sábado, 23.05.15

 

romance28.jpg

 A noite cai lentamente sobre a cidade que dorme, mas permanecemos acordados, envoltos no desejo que sentimos fluir do âmago do nosso ser . A tua mão procura a minha e ambas se apertam num amplexo de desejo. A minha boca procura a tua , sedenta do teu gosto tão conhecido, a minha língua entreabre os teus lábios e procura beber ansiosamente cada gota do teu gosto. As minhas mãos erram a esmo pelo teu corpo aconchegado ao meu, e tomam caminhos que sabemos onde vão dar. Inclino o teu corpo sobre a carpete no chão e rolamos juntos , numa brincadeira já tensa de dois corpos que se desejam. O meu corpo trémulo que te deseja, cobre o teu, fazendo com que sintas o meu desejo , o meu domínio. Sei que o meu calor te excita , embora brinques comigo numa recusa que sei que é apenas mera traquinice. As minhas mãos ansiosas. desapertam a tua blusa e mostram-me expostos os teus seios, envoltos na lingerie de renda que os encerra. Arranco-te a blusa, ignorando os protestos que sei que não são sinceros e a minha boca cai ávida sobre a renda que protege os teus seios. Sinto o teu corpo estremecer e colar-se mais ao meu. Sorrio interiormente , antevendo o desejo que te possui. Com pouco cuidado , as minhas mãos arrancam a lingerie que protege os teus seios da minha vontade e os meus lábios caem sobre eles, como pássaro faminto sobre fruta madura. Sinto a tua resposta ao toque da minha boca e ela enlouquece-me. Sei que és minha e o meu desejo avoluma-se a um tal ponto que parece explodis. Os nossos corpos desnudam-se ao sabor de um desejo que não sabe mais esperar. As nossas bocas exploram-nos e o nosso desejo mútuo entra numa ascendência que nos cega. Queremos ser apenas um e dando voz a esse desejo , os nossos corps unem-se, tornando-se um só. E entoam juntos o ritmo do desespero que sai das nossas bocas húmidas que se colam, até que como envolvidos por uma centelha de fogo , a agonia explode , deixando no seu lugar saciedade e paz. E a certeza imortal de que nos pertencemos...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 14:35


4 comentários

De Bianca Ferreira a 23.05.2015 às 16:10

Boa tarde Gonçalo


Parece que a temperatura por aqui subiu , é muito bom sentir-te bem.
Tu mais do que ninguém merece ser feliz.
Desejo profundamente que esse teu estado de espírito se mantenha e sejas sempre muito feliz.
Um beijo com carinho 

De M. António a 23.05.2015 às 16:23

Com mil demónios oh pai , então eu venho aqui à procura de ensinamentos para a vida e tu enfias-me ideias pecadoras?
E depois pedes para eu ter juízo?
Mas olha vou deixar-te aqui o link de uma excelente musica para ouvirem enquanto estiverem a ler este texto.
Completam-se...
https://youtu.be/k3Fa4lOQfbA

Beijo pai e não entres em combustão espontânea.

De Miguel Falabella a 23.05.2015 às 16:51

Oi meu querido , não pude deixar de me deleitar com a extrema sensibilidade com que é exposta a sensualidade que nada tem de comum ou vulgar.
E lhe deixo meu desejo sincero que nada magoe seu coração , que nada o decepcione ou abale a magia em que esse amor o envolve.
Você merece ser feliz , ser amado e sobretudo ser compreendido.
Sei de sua extrema sensibilidade e de sua capacidade grande em se magoar com coisas que a outro qualquer nem arranharia.
E desejo que esta magia se eternize.
Vinha relembrar que aguardo seu texto.
Mas depois disto , vou ali apanhar ar...
Um grande abraço e me liga , vai.

De Rita G. a 23.05.2015 às 17:14


http://ouvirmusicasletras.net/letra/rita-guerra/675252/

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes