Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Aprendem-se Coisas ...

Sábado, 24.05.14
Sempre tive pouca paciência para as pessoas que se vitimizam . Primeiro porque é um acto de egoísmo nato , quem se vitimiza sente-se injustiçado , centra a atenção nas suas amarguras e esquece-se de olhar e apoiar a dor de quem o rodeia . A vitimização também é cerceadora , porque quem se vitimiza deixa de acreditar , deixa de lutar , vai agindo como se todo o mundo estivesse ali para o perseguir . Como se fosse o ser mais incompreendido , martirizado e esmagado pelas calamidades da vida . Para mudar isso há que ter uma coisa simples , aliás duas , auto - estima , muito importante e a segunda , preocupar-se com os outros . Quem se centra na sua dor , no seu cansaço, esquece e negligencia a dor e o cansaço de quem o rodeia . Um dia conheci uma senhora bastante idosa , cega , paralítica há muitos anos , com muitas doenças e ainda assim ela era dinamizadora de um grupo de apoio social a crianças vitimas da SIDA. Quando ma apresentaram , as suas limitações não deixaram de me saltar à vista e eu perguntei :- Apesar da fragilidade da senhora , como consegue fazer tantas coisas pelos outros ? Ela sorriu , com o rosto todo enrugado e respondeu :- Oh meu filho , Deus deu-me apenas um coto de vela , se eu não o usar , ele não vai servir para nada , mas se eu o acender , ilumina tanto como uma vela nova , por isso , meu filho , todos os dias eu acendo o meu coto de vela , para que ele ilumine quem precisa . Aprendi muito com essa senhora e essa lição nunca deixou que eu me vitimizasse . Passei por situações complicadas e ainda assim nunca me fechei sobre mim mesmo . Tenho cansaço , tenho dor , tenho medo , desalento , tenho tudo isso como qualquer ser humano , mas a cada dia que nasce , eu sei que há pessoas que precisam de mim , por isso , por maior que seja a dor ou o cansaço , eu levanto-me e faço o que tem que ser feito . Talvez , tal como essa senhora , eu acendo o meu coutinho de vela diariamente . A vida ensinou-me a não me preocupar com o que não posso mudar e a ter a certeza que na hora a que fui chamado a fazer ou a decidir, eu fiz e decidi o que me pareceu certo . Deixei-me dessas parvoíces de sofrimento emocional,  já me basta o outro , combato-o fazendo aquilo que eu sei que é correcto. Não gasto o meu tempo a desejar que tudo fosse diferente , gasto-o a aprender e a crescer com aquilo que a vida me dá . Aprendi a não me forçar para agradar seja quem for,  se der, deu, se não der , azar .Estou a deixar de fazer fretes , a deixar de concordar só para não magoar , se os outros não estão nem ai , eu vou estar porquê? Deixei de fazer planos , porque planear é como pedir emprestado ao banco , estou a tentar dispor de algo que não é meu , entendo que o meu tempo é de Deus e que na hora certa o que tiver que ser , será . Não ligo mais importância se as pessoas me dão ou não razão , digo o que tenho a dizer , cada um que fique com os seus próprios actos e verdades . Não gosto de estar perto de gente que fica remoendo o passado ou atribuindo culpas ao passado , pelos problemas do presente , nada me pesa no meu passado , por isso concentro-me no hoje , no agora , que é o único tempo certo que tenho . Aprendi que as pessoas em quem eu deposito mais esperanças podem decepcionar-me , mas ao mesmo tempo aprendi que a culpa não é delas, a culpa é da forma como eu as fantasiei e desejei que fossem .

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 11:36


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes



subscrever feeds