Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Tributo

Domingo, 19.10.14

Ora bem, como diz o meu chefe, homem que é homem admite aquilo que faz. Durante algum tempo deixei aqui comentários anónimos para pedir um emprego . Acredito que nem sempre fui correcto e que o meu sentido de humor por vezes se excedeu. No entanto uma coisa é certa , posso ter ido por atalhos tortuosos , mas cheguei ao caminho certo . Se há algo que eu me orgulho de ter , é honra, e a honra passa por ser reposta aqui a verdade. Então como já disse, após ter colocado aqui muitos comentários , uma vez fui interpelado pelo visado , que respondendo a um dos meus comentários me respondeu " que se fosse homem , desse a cara". Isso mexeu com o meu brio , eu não ia deixar que duvidasse da minha masculinidade , ainda que o recurso ao anonimato em nada me abonasse. Resolvi mandar mail a apalpar terreno . Recebi uma resposta fria , que me interpelava a aparecer na casa do visado, caso ainda quisesse trabalho . Eu estava a passar uma época muito má e de certa forma desmotivado com a vida. Não sabia o que esperar de um homem que eu tinha tentado irritar com comentários , mas se fosse que teria a perder?

Pedi a morada e um belo dia de inverno, em que o sol luzia por entre as nuvens, e o frio me deixava ainda a alma mais cinza, resolvi arriscar. Iniciei a viagem , pensando que a qualquer momento podia arrepender-me e voltar atrás. Que eu não tinha mesmo que ir. Mas quilometro a quilometro fui indo , até que me deparei com um enorme portão , tal como me havia sido descrito.

Portão de entrada.jpg

 Pensei , bem já que cheguei até aqui há que ir em frente. Muito nervoso , de mãos a suar , toquei a campainha que custei a encontrar porque a hera a tapa. Respondeu ao meu toque um coro de latidos e ouvi os cães a correr do outro lado. Pelo interfone perguntaram quem era e eu fiquei atrapalhado. E agora?, pensei. O melhor era ser directo, disse que era o homem que colocara uns comentários no blog e que me tinham mandado ir lá a casa. Fez-se um silêncio e pensei , não me vão abrir o portão. Mas passados cerca de 5 minutos , que a mim pareceu uma eternidade, uma senhora baixinha, de óculos, com um sorriso simpático abriu o portão mais pequeno e convidou-me a entrar. Segui-a por um caminho calcetado e rodeado de relva e de cuidados canteiros de flores. Os cães pareciam ser amigáveis afinal e dando-me passagem , ela mandou-me entrar por um imenso corredor. Nem tive tempo de olhar o que me rodeava tal era o meu estado de nervos. Sente-se aqui, disse ela e espere. Olhei ao meu redor e encontrava-me num corredor que era uma espécie de ante-camara de uma suite.

corredor.jpg

A decoração era pesada , rica em tons de ouro . Com o meu telemóvel fui fotografando não sei bem porquê, mas sentia que tinha que ocupar o meu tempo. Os minutos foram passando e ninguém aparecia , o meu nervoso aumentou. Até que ouvi passos e um homem entrou e olhou-me com ar sério. Por favor , pedi, vinha falar com o Dr Gonçalo e ele não aparece. O homem deu um sorriso condescente, o Dr. está a falar para os Estados Unidos, aguarde. E voltei a ficar só. O tempo passou , talvez uma hora ou mais , até que a mesma mulher de ar maternal veio ter comigo . O Dr. pede desculpa pela demora , mas vai já falar consigo . Vamos até à sala. Seguia-a cada vez mais constrangido e arrependido de ter ido . Entrei na sala que ela me indicou. 

sala -dialogo.jpg

Voltei a sentar-me e a esperar. A senhora tinha deixado numa mesinha de apoio um tabuleiro com bolos e café , mas estava nervoso demais para aceitar fosse o que fosse. Pensei desistir e sair dali  mas já não sabia encontrar a saída. Minutos depois , entrou um homem alto , bem vestido e perfumado, que me estendeu a mão com um sorriso.

Então é o famoso amigo oculto do meu blog. 

Sorri constrangido , a situação não era confortável . Mas estava ali para isso , de repente soltei tudo o que me ia na alma , a minha procura vã por uma oportunidade, o meu desespero e o fel que me tinha levado a escrever aquelas coisas a alguém que me tinha parecido hipócrita ao falar de igualdade, quando deixava transparecer o status , o luxo e a posição . Ele ouviu-me sem me interromper, e depois falamos muito , muito tempo . Não sei dizer quanto tempo foi , mas vi que o dia lá fora ia escurecendo .Reparei no ar cansado , que as fotos raras colocadas no blog não me tinham permitido notar. Notei um extremo cansaço nos gestos e um sorriso triste. Senti-me mal por toda aquela situação . Perguntou-me se tinha o currículo e fui buscar ao carro , acompanhado de um outro homem que não sabia quem era. No regresso fui para um escritório onde se decidiu a minha vida.

escritório.jpeg

Ali nesse mesmo dia fui contratado para um cargo que não esperava. Desde ai , não digo que a minha vida tenha sido um mar de rosas, porque os embates com o chefe às vezes são inevitáveis , mas sinto que o meu trabalho é reconhecido. Que tenho hipótese de mostrar o valor que tenho e devo a este senhor a minha tranquilidade a nível laboral. Ao lado dele cresci e aprendi mesmo muito , muito mais do que aquilo que imaginei. Continuamos com as nossas picardias , nem podia deixar de ser , mas sei que lhe devo este tributo . Como todos os que trabalham perto dele , tenho acesso à Pass deste blog , e sei que ele não vai gostar desta exposição , mas sinto que lhe devo este tributo. 

Muito obrigado

P.S. Para mostrar que não perdi o meu poder contestatário , aqui deixo um link de uma música , como o nosso chefe tanto gosta de nos deixar por vezes , para nos fazer reflectir. P lonk que lhe deixo não tem qualquer teor de reflexão , mas mostra aquilo que todos aqui às vezes sentimos por ele. Principalmente no início de cada ano.

http://youtu.be/_Uu9e3hdpqM

Cole na barra de pesquisa e ouça , chefe... até porque o novo ano está por ai.

Grato

Pedro Moura

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 10:25


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes



subscrever feeds