Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Verso e Reverso

Sábado, 14.03.15

IMAGEM-001.png

 A melhor coisa que faço , mesmo a meio de um trabalho que é o caso de hoje, quando emocionalmente me stresso é escrever. Escrever para mim é o mesmo que exorcizar da minha alma as coisas que me atormentam. Tem dias que me sinto possuído de forças que não controlo e digo coisas que geralmente não diria. Entendo que sou um vulcão de emoções, que ao passo que a maior parte dos homens, vive os acontecimentos sem expressar emoções , ou sem sequer as sentir , eu sou um ser emocional , logo meio irracional quando o meu espaço de conforto é atingido. Há tempos que não escrevia aqui e hoje aproveito uns momentos de pausa para a minha terapia preferida. A maioria dos meus leitores, os que me conhecem , são os primeiros a dizer que sou um ser insuportável por vezes. Se tantos o afirmam , eu acho que alguma verdade tem que haver nisso. Não me orgulho dessa faceta , mas até hoje também nunca a soube dominar. Como em todas as pessoas , eu tenho o direito e o avesso de mim mesmo e nunca sei quando o direito vira avesso. Nem como desligar as alavancas depois que as acciono.  E como sempre a melhor maneira de me exprimir e de me exorcizar , como todos os que me conhecem , sabem , é escrevendo poesia ou tocando piano. Piano neste momento não dá , então deixo um poema, que liberte as energias que se acumulam desordenadamente em mim...

" Vem do fundo de mim mesmo , algo que me transcende , me domina e explode em mim , perto da irracionalidade que me possui, da fusão quase Divina , entre o bem e o mal que rege a minha alma. Sinto-me uma ilha dentro de mim mesmo, prestes a desencalhar do meu ponto essencial , para um ponto em mim que desconheço e cujas coordenadas me são desconhecidas. Revejo-me e não me vejo, procuro-me e perco-me , dentro de uma força maior que já não domino. Sai das minhas mãos, um fogo que não consigo deter e do meu olhar exausto , uma luz que procura desvendar segredos que me são ainda desconhecidos. Caminho por uma estrada feita de luz e trevas , procurando um trilho onde consiga seguir, sem possuir mapa de direcção. Procuro em mim o medo que me envenena , a felicidade que me embriaga, a angustia que me cerceia e o tempo que me sufoca. Misturo-os num todo, que mescla de emoções a minha alma e me turba a visão , o sentido e a razão. Procuro em ti as mãos que agarram, as palavras que guiam , o amparo que acarinha e a luz que dissolve as trevas. Procuro-me dentro do reverso de mim, tentando nortear a minha caminhada, até ao ponto em que a razão , liberta e sem medo, se funda finalmente com a emoção."

Bom fim de semana para todos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrito por Gonçalo de Assis às 15:03


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  



comentários recentes



subscrever feeds